Bassi – O Artesão da carne

3 dicas do Bassi, o artesão da carne, para o seu negócio Bassi O artesão da carne Por Marco Aurélio Marcondes Você sabia que cerca de 60 milhões de churrasqueiras são acesas por fim de semana? Quem revela isso é Marcos GuardaBassi (proprietário do Marcos GuardaBassi ? O artesão da carne ? Restaurante), conhecido como o artesão da carne. ?O churrasco é uma grande confraternização, um excelente estado de espírito. Quantas vezes você foi a um churrasco em que estava tudo bom, exceto a comida, por a carne estar salgada demais, dura ou extremamente bem passada? Infelizmente, isso ainda é muito comum. É por isso que, ao longo desses 27 anos de restaurante, tenho estado nos meio de comunicação constantemente, informando ao consumidor sobre tudo que envolve carne?, declara.

Tudo começou quando Marcos tinha oito anos. Ele e sua mãe compravam miúdos de boi no Mercado Municipal de São Paulo e saíam pelas ruas vendendo. Marcos carregava uma sacola com cerca de 30 quilos. Algum tempo depois, ele teve a oportunidade de adquirir uma banca dentro do Mercado Municipal. Aos 15 anos, comprou um açougue que, imediatamente, passou a ser chamado de casa de carnes. ?Não me considero precoce, na verdade, estava apenas realizando meu sonho, coisa que continuo fazendo até hoje?, conta.

Em 2001, resolveu reinventar o negócio de carnes: mudou o local, deu uma conotação de restaurante, proporcionando uma nova roupagem, sem perder o fio didático do negócio. Fio didático? Isso mesmo. O Marcos GuardaBassi ? O artesão da carne ? Restaurante foi o primeiro a apresentar carnes do ponto de vista técnico para o consumidor, dizendo de onde saía cada produto, o que era confeccionado, o que significava a maminha, a picanha, a fraldinha, enfim, cada parte do boi era demonstrada e explicada no cardápio.

Marcos já possuía clientes fiéis, mas queria transformá-los em fãs. Para isso, começou a trabalhar em novas linhas de produtos, criando produtos exclusivos para que o cliente pudesse identificar seu diferencial. Hoje, possui DVD com suas palestras falando tudo sobre carnes e um espaço reservado dentro do próprio restaurante para as empresas que fomentam qualidade de vida para seus funcionários e a aproximação da comida com o lazer. ?Aí é que está o grande negócio, ter a visão de informar o seu consumidor sobre o que você está fazendo e, ao mesmo tempo, ajudá-lo com conhecimento para sua vida?, lembra.

Os segredos do sucesso ? Ele revela três grandes dicas que são primordiais para o sucesso de qualquer empresa. A primeira dica diz respeito aos colaboradores: ?Nunca tive dificuldades na contratação de pessoas, pois seleciono quem acho que será comprometido com aquilo que fará, não me importando se é qualificado ou não. Ele será preparado em nossa empresa?, ressalta. Para Marcos, uma empresa deve proporcionar condições de profissionalização, mesmo que o colaborador seja analfabeto. O que o incomoda não é o colaborador ser analfabeto, mas que ele vá embora analfabeto, se um dia vier a sair da empresa. Por isso ele está constantemente treinando sua equipe.

Muitos se espelham nele, talvez por sua história de vida, tanto pessoal quanto profissional. A rotatividade na empresa é muito pequena e o segredo está em dois fatores. O primeiro, é que Marcos se preocupa com quem está comprometido com a organização. ?A porta da empresa está sempre aberta para tudo que o colaborador queira, desde que esteja envolvido com o negócio. Inclusive aqueles que desejam crescer na vida com o seu próprio negócio, pois dou a maior força, 90% dos que saíram da empresa criaram seu próprio empreendimento com todo o meu apoio e suporte. Costumo dizer que o Brasil não precisa de empregados, mas de empreendedores?, conta. O segundo fator é que ele se preocupa com aqueles que são comprometidos com suas famílias. Por exemplo: possui programas de apoio às famílias dos colaboradores. Os próprios familiares mantêm contato direto com a empresa.

A segunda dica é cuidar bem dos seus clientes externos, pois eles são o oxigênio de qualquer empresa. Marcos e sua equipe se importam muito com seus clientes, procuram saber o que pensam e precisam. Para descobrir a vontade dos clientes, fazem pesquisas. ?Eu telefono para cada um dando o retorno?, relata. Em todas as mesas há lembretes solicitando sugestões. O artesão está sempre presente nos horários de pico, interagindo com todos. Seus colaboradores estão constantemente atentos, pois, às vezes, o cliente não diz nada porque não sabe o que dizer, mas pressente ou sente. Nesse momento, entra em ação uma equipe treinada para identificar possíveis insatisfações.

A terceira e última dica leva em consideração os fornecedores. ?Eu não tenho apenas ?parceria?. Essa palavra está na moda, mas o que é, de fato, parceria? Para mim, é envolvimento, é comprometimento?, acredita. Entende que se o fornecedor não estiver na mesma sintonia da empresa, não cumprirá absolutamente nada e, muito menos, suprirá as necessidades. ?Parceria não significa ?eu lhe dou o melhor por um preço menor?, mas ?eu lhe dou o melhor por um preço justo, com suporte em relação ao produto e, em contrapartida, você me dá resultados??, explica o artesão da carne.

3 dicas de empreendedorismo do Bassi:

» Proporcione condições de profissionalização para os colaboradores.
» Cuide bem de seus clientes externos.
» Seja parceiro de seus fornecedores.

Conteúdos Relacionados

Dica número 1 de liderança em vendas

Volta e meia recebo perguntas como esta: “Raul, se você pudesse me dar só uma dica sobre como ser um gestor melhor, qual seria?”

Procuro evitar responder questionamentos como este porque eles costumam vir de alguém que está procurando um atalho ou uma pílula mágica, mas a verdade é que sempre existe mais de uma opção para resolver um problema ou desafio – por isso mesmo, buscar uma única ferramenta milagrosa raramente traz os melhores resultados.

Continuar lendo
Rolar para cima