Bom dia, preguiça!

A segurança provida pelos diplomas diminuiu, as aposentadorias estão ameaçadas e as carreiras não estão garantidas. Cada vez mais cursos e qualificações são necessários para se ocupar cargos e funções menos valorizados ou financeiramente ridículos. A segurança provida pelos diplomas diminuiu, as aposentadorias estão ameaçadas e as carreiras não estão garantidas. Cada vez mais cursos e qualificações são necessários para se ocupar cargos e funções menos valorizados ou financeiramente ridículos. Mas nem tudo está perdido. Com o cáustico humor dos franceses, Corinne Maier, no livro Bom dia, Preguiça!, chega a essas conclusões e dá dicas de como sobreviver nesse mundo cruel.

Bom dia, Preguiça! põe em xeque atitudes corporativas como ?você não passa de um peão?, ou ?agradeça por estar empregado? e prova que adotar um comportamento de desligamento ativo não acarretará problema algum, desde que executado de forma discreta. ?De toda maneira, os incompetentes e covardes à sua volta não notarão sua falta de entusiasmo?, diz. Sem contar que sua demissão mostrará aos outros que seu chefe não consegue enquadrar os próprios subordinados. Pior: pode passar suas funções para os já sobrecarregados vizinhos de setor… Enfim, um livro para entendermos as novas relações no ambiente de trabalho, onde, segundo a autora, ?o casamento da cretinice com a hipocrisia é frutífero e resulta na prática do gerenciamento moderno?.

Bom ou ruim? Além da experiência pessoal, a autora pesquisou o modus operandi dos funcionários franceses nos escritórios. Bom dia, Preguiça! mostra que:

– 17% deles estão desligados de seu trabalho. Ou seja: adotaram uma atitude tão pouco construtiva que beira a sabotagem.

– Apenas 3% se empenham em suas funções.

– Todos os demais são bombardeados com seminários sobre motivação bolados pelos departamentos de recursos humanos.

?O que não faz sentido. As pessoas trabalham pelo dinheiro. Se trabalhar fosse bom, trabalharíamos de graça?, alfineta Corinne, que se irrita com os nomes que os empresários dão ao velho e bom l?argent ? bônus, gratificação, salário.

Para Saber Mais: Bom Dia, Preguiça!- A Arte de Fazer o Menos Possível em uma Empresa, de Corinne Maier (Editora Campus). ?Alguns dizem que o trabalho duro nunca matou ninguém. Mas pergunto: pra que arriscar?? Ronald Reagan

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima