Cálculo dos custos: uma poderosa ferramenta

Se os custos são conhecidos, é fácil para o empreendedor buscar meios para baixá-los, pois para ter sucesso no negócio, o empresário deve ter números que sirvam de orientação para suas decisões. Tenho ouvido muito a frase: ?Calcular custos não resolve, pois quem estabelece os preços é o mercado?. Pensar assim é um grande engano pois, se não sabe quanto custa, pode-se vender a qualquer preço. E levar a empresa à lona.

Qual a importância de conhecer melhor os custos? É preciso refletir que se os custos são conhecidos, é fácil para o empreendedor buscar meios para baixá-los, pois para ter sucesso no negócio o empresário deve ter números que sirvam de orientação para suas decisões, ao longo do mês.

Todos os dados referentes às atividades da empresa são importantes, porém, aqueles que decorrem dos custos dos produtos e serviços são de tal importância que nem imaginamos uma empresa, por menor que seja, sem eles, porque a maior parte das grandes decisões tomadas pelos dirigentes tem de ter base numérica. Portanto, para quem não tem números precisos como base, é possível que os preços atribuídos aos produtos ou serviços da sua empresa não passem de mera suposição, chutes errados.

Assim, concluímos que a maneira como trabalhávamos antigamente não só não funciona mas também é proibida e perigosa à saúde dos negócios, nos dias de hoje.

Infelizmente, empresários de diversos setores dão pouca atenção a isso e, quase sempre, acompanham os custos de forma indisciplinada, trabalhando com dados defasados, não persistindo nos levantamentos periódicos e sem entender que as despesas mudam. Salários, comissões e preços de aquisição de matéria-prima, tudo evolui. Daí a necessidade da revisão constante dos valores e refazer os cálculos sempre, a cada novo período. Quem não fizer isso, certamente, terá problemas na apuração dos lucros, com volumes menores que os esperados. Até mesmo esperando lucros e tendo prejuízos.

Como calcular os custos?

· Despesas e custos ? Despesas são os gastos administrativos, comerciais e financeiros da empresa como um todo. Custos são os gastos utilizados diretamente no produto. As despesas são variáveis quando variam com o volume de vendas, e os custos são variáveis quando variam com o volume de produção (produtos ou serviços). Devemos, primeiro, levantar as despesas fixas da empresa, que são: salários, aluguel, água, energia, telefone, seguros, segurança, honorários e outras, que possam ser apropriadas pela contabilidade como tais.

· Despesas fixas ? Têm a característica de serem periódico-mensais, mas a sua melhor interpretação é que as mesmas não variam com o volume de vendas. Exemplo: no primeiro dia do mês, as despesas com aluguel eram de mil reais e, no último dia, depois de a empresa ter faturado todas as suas vendas, continuavam os mesmos mil reais. Quando a despesa se apresenta assim, dizemos que é fixa, sendo geralmente expressa em valor.

· Despesas variáveis ? Sua característica principal é que variam com a evolução das vendas. Exemplo: os impostos. A cada venda, destina-se uma parte do valor para os impostos. Assim, percebemos que variam com a venda. São variáveis, além dos impostos, a comissão do vendedor e outros. Geralmente são expressas em percentual.

· Custos fixos ? São todos os fatos incorridos diretamente nos produtos ou serviços. Geralmente são periódicos. Exemplo: gasolina utilizada na lavagem das peças, óleo lubrificante usado nos serviços, materiais de limpeza da oficina.

· Custos variáveis ? São gastos incorridos diretamente nos próprios produtos. Variam com o volume de itens produzidos ou serviços executados. Exemplo: as matérias-primas, como pistões e anéis usados na retifica de um motor.

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima