Cases, casos e causos

Pequenas diferenças nas palavras podem fazer toda a diferença na comunicação. Portanto, se não souber o que significa algo que ouviu, pergunte!

Como é maravilhoso o português falado e escrito no Brasil, polêmico, vivo e capaz de colocar sob seu teto diversas expressões de outras línguas e ainda assim pouco prejudicar a compreensão. É bem verdade que não conhecer alguns temas torna difícil a compreensão, por exemplo, de um artigo sobre marketing, informática, finanças, economia, etc.

Dias atrás, uma empresa me pediu uma proposta para um evento de técnicas de comunicação com a recomendação de que eu levasse aos profissionais alguns cases. Na hora, brinquei com a analista perguntando por que não casos ou causos. Ela apenas riu.

“Esse evento está no marketing plan e tem um budget específico. Foi uma demanda dos onwers do Customer Relationship Management (CRM) e deverá trazer insights relevantes”, prosseguiu a jovem analista de treinamento.

Um parênteses na nossa conversa – ou será um break?

Para entender um pouco mais sobre as possíveis diferenças das três palavras, conversei com alguns amigos e clientes, já que, há duas décadas, elas tinham pouca diferença. Case era apenas a palavra inglesa para caso, e causo era um termo usado pelos moradores do interior do Brasil, gente mais simples, mas queriam dizer a mesma coisa.

Ledo engano. O que é um case? Pelo que pude entender é uma história ou experiência relevante, com “sustância”, capaz de provocar aprendizado e reflexão. Um modelo de ações de grandes empresas ou empresários a ser seguido ou abandonado. São os down cases ou up cases.

Caso já é bem diferente do que entendíamos tempos atrás. Pode ser algo tão comum que não desperta interesse. Levado para o lado dos relacionamentos, chega a ter conotações sexuais. Preste atenção quando um colega fala que vai contar um caso ou quando tem um caso. Caso é algo corriqueiro.

Já finalmente os causos são as histórias que, de tão burlescas ou extravagantes, recebem uma atenção especial. Tenho um amigo que ao ouvir alguém dizer que vai contar um causo já começa a rir. Causo não é para ser levado a sério!

Resolvi preparar a proposta e, de maneira provocativa, coloquei no fim que os participantes iríam analisar cases, casos e causos.

Proposta aprovada. Percebi que a comunicação atingiu seus resultados. Moral da história: quando eu, você ou nós não sabemos o significado de alguma palavra ou expressão o melhor a fazer é perguntar. Correr os riscos de querer ser mais realista que um rei poderá trazer resultados não esperados.

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima