Chega de macaquices

Certa vez vi pela TV a seguinte experiência. Um cientista colocou quatro macacos em uma jaula. Certa vez vi pela TV a seguinte experiência. Um cientista colocou quatro macacos em uma jaula. No meio da jaula uma mesa e, pendurada em cima da mesa, uma banana. Os macacos ficavam soltos, brincando na jaula, quando um deles viu a banana e resolveu pegá-la. Assim que colocou a patinha na mesa, o cientista ? que estava escondido ? saiu de trás de um biombo com uma mangueira de pressão e deu um banho na macacada.

Os macacos, assustados, procuraram se proteger. De repente, o cientista desligou a mangueira e se escondeu novamente. Os macacos voltaram a passear pela jaula, desconfiados, mas esqueceram rapidamente do ocorrido. Logo um deles resolveu novamente tentar pegar a banana. Entretanto, foi só ele colocar a patinha de novo na mesa que o cientista saiu de trás do biombo, deu um banho em todos e se escondeu novamente.

Este ciclo repetiu-se algumas vezes, até que os macacos entenderam claramente: é melhor não subir na mesa ? aquela banana é proibida. O cientista podia até ir embora para casa que nenhum macaco, mesmo com fome, tentaria pegá-la. Foram condicionados de tal forma que criou-se uma regra: aqui ninguém sobe na mesa.

Aí veio a parte interessante da história: tiraram da jaula um macaco que participou da experiência e colocaram no seu lugar um novato (entrou um ?estagiário? na jaula). Depois de se ambientar, ele viu aquela banana pendurada e pensou: ?Uma banana! Vou pegá-la para mim!?. Assim que colocou a patinha na mesa, um dos macacos correu para se esconder, enquanto os outros dois voaram em cima do pobre ?estagiário?, aos berros, socos e pontapés, como se dissessem: ?Aí não! Não suba aí!?.

Mesmo sem saber o porquê, o pobre macaco desistiu rapidamente da banana, sob pena de ser linchado pelos companheiros. Rapidamente aprendeu que naquela jaula não se sobe na mesa. Logo depois, um dos macacos experientes foi trocado novamente, mais uma vez por um novato. O novo macaco repetiu a cena: ambientou-se, viu a banana e quis pegá-la. Quem foi o primeiro a bater no novato? Isso mesmo, o estagiário, berrando como se dissesse: ?Tá maluco? Não sabe que aqui não se sobe na mesa??.

Os macacos foram sendo trocados um por um, até que nenhum dos que participaram originalmente da experiência estivesse na jaula. Nenhum dos atuais jamais vira o cientista ou levara um banho de mangueira. Só ouviram falar. Mas ninguém sobiu na mesa ? naquela jaula, nunca mais ninguém subirá na mesa, porque ali ?as coisas são assim?.

Alguma semelhança com áreas da empresa ou rotinas na sua vida? Na verdade, o ser humano tem a tendência de apegar-se a rotinas e hábitos. Alguns saudáveis e positivos, outros nem tanto. De vez em quando, é bom pararmos para questionar se esses hábitos não estão se tornando, na verdade, correntes mentais. Devemos ser os mestres das nossas rotinas e hábitos, e não escravos.

Vejo isso acontecendo constantemente. Ao invés de questionarem, de tentarem seguir seu próprio destino, sua vocação, a maioria das pessoas se adapta, muitas vezes sofrendo com isso. Fazem as coisas simplesmente porque todo mundo faz, ou porque alguém disse que tem que fazer. Ninguém questiona nada.

Não deixe isso acontecer na sua vida. Lembre-se: você nasceu original ? não morra uma cópia.

Frase: ?O sábio não é o homem que fornece as verdadeiras respostas. É aquele que faz as verdadeiras perguntas? ? Claude Levi-Strauss

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima