Classificados on-line: aproveite esse canal de vendas

Como fazer vendas com classificados on-line?

Classificados on-line: aproveite esse canal de vendas

 

Por Flávia Ghiurghi

 

Uma pesquisa realizada pela consultoria americana Pew Research Center constatou que, em março deste ano, 49% dos usuários que acessaram a internet visitaram sites de classificados, enquanto que, no mesmo período de 2005, esse número foi de 22%.

 

O estudo apenas comprovou o que já está nítido a olhos vistos: os classificados on-line são uma ótima oportunidade para as empresas divulgarem e negociarem seus produtos e serviços. Por meio do universo virtual, há uma maior interatividade e dinâmica com possíveis compradores, e a proximidade com o cliente (ou futuro cliente) tem se mostrado um instrumento importantíssimo para o aprimoramento das empresas. “Em tempos em que existem diversas opções de sites, fóruns, redes sociais, blogs e outros, as pessoas passam a usufruir mais dos anúncios digitais no intuito de aumentar suas chances de vender”, avalia Paulo Ancona Lopez, diretor da Vecchi & Ancona, consultoria especializada em estratégia e gestão.

E uma das vantagens de anunciar pela internet é a possibilidade de mensurar a quantidade de usuários interessados em seu negócio e analisar o perfil desse público-alvo. “Os anúncios na internet permitem que sejam criadas campanhas específicas de acordo com o perfil do usuário, área de interesse, sexo, idade, etc. Além disso, uma campanha na internet pode ser mensurada em tempo real, o que possibilita sua alteração durante a veiculação”, afirma Paulo Kendzerski, diretor de marketing da WBI Brasil.

 

Apesar de ser uma mídia nova em comparação a outros meios, a internet tem ainda vantagens como o custo mais acessível, a agilidade – tanto para o comprador como para o anunciante, pois ele realiza facilmente a compra do espaço publicitário, sem intermediários e de forma automática, já que todo o processo se dá na própria web – e a ausência de barreiras geográficas.

 

“Expandir seu negócio para além da sua região de atuação nem sempre é possível por meio de um classificado impresso. Já na web, o anúncio consegue atingir um número maior de pessoas”, completa Lopez. Uma boa estratégia, segundo Kendzerski, é planejar a entrada em novos mercados a partir da divulgação em sites da região na qual se pretende atuar: “Existem ferramentas on-line que mapeiam as regiões em que há maior ou menor interesse pelo produto/serviço que as empresas oferecem. Desse modo, o empresário pode desenvolver uma estratégia de ampliação de seus negócios de forma mais segura e eficiente”.

 

Um estudo sobre o mercado e soluções de marketing realizado pela empresa comScore constatou que a publicidade na web, de fato, traz mais retorno. A pesquisa envolveu 200 mil internautas expostos a banners publicados na rede e apontou uma elevação de 9% nas vendas das marcas divulgadas na web. As propagandas no meio televisivo também obtiveram aumento, porém menor, de 8%. Além disso, segundo dados do projeto Inter-Meios, a verba publicitária destinada à internet cresceu 45% ainda no primeiro semestre de 2008.

 

A agência de publicidade F/Nazca encomendou ao Instituto Datafolha uma pesquisa que revelou que aproximadamente 59 milhões de pessoas acessam a internet no Brasil. “E, com a inclusão digital e o aprimoramento tecnológico, esse cenário tende a aumentar significativamente nos próximos anos”, prevê Lopez.

 

Para produtos de pequeno valor, que podem ser adquiridos diretamente via web, o retorno pode ser bem maior do que pela mídia convencional. O retorno para produtos digitais também pode ser maior devido à facilidade de o cliente concretizar a transação rapidamente. Mas, para que o retorno seja certo, não basta publicar meia dúzia de linhas e acreditar que o anúncio fará milagres. Para se destacar em um canal com uma forte atuação comercial como a internet, é preciso estar atento a uma série de detalhes, acompanhe:

 

  • Defina com clareza as características do produto ou serviço que deseja divulgar – “Opte pelas características que mais irão interessar seu consumidor, aquelas que mostram os reais benefícios do produto ou serviço”, frisa Lopez. Para Fernando Juno, gerente do QueBarato!, empresa de classificados virtual do grupo e-bit, em hipótese alguma o anunciante deve omitir algo sobre o produto ou serviço anunciado. Quanto mais especificações o anúncio tiver, mais relevante ele será.
  • Mostre as características não somente do produto ou serviço, mas da compra em si – O anúncio precisa mostrar o prazo de entrega, frete grátis, condições de pagamento, variedades de modelo, entre outros.
  • Desenvolva uma redação e um visual concisos, diretos, simpáticos, agradáveis, inteligentes e que transmitam segurança para o consumidor – As fotos e imagens devem estar em alta definição sempre para não comprometerem o anúncio.
  • Elabore uma chamada diferente para atrair os interessados e cuidar do posicionamento na busca orgânica, links patrocinados e da participação em redes sociais – “A internet oferece uma ampla gama de possibilidades que se abre após o tão almejado ‘clique’ do usuário, incluindo fotos, vídeos, textos explicativos ou especificações técnicas”, ressalta Rubem Pechansky, consultor de design digital e usabilidade e diretor da Hypervisual Design.
  • Continue a venda após o clique no anúncio – Isso se traduz em um site simples e informativo, com um sistema de pagamento eficiente que ajude o cliente, em vez de atrapalhá-lo. Fernando Juno lembra que, ao utilizar formas de pagamento que garantam a segurança na transação, como o pagamento digital, o empresário irá transmitir maior confiabilidade ao consumidor. 
  • Não anuncie em sites de qualidade duvidosa – Aqueles com mídia “baratinha” ou com excesso de anúncios (sites com poucos anúncios também devem ser evitados).
  • Fuja dos anúncios “caseiros” – Segundo Pechansky, o próprio anúncio deve ser feito por designers profissionais: “Um erro comum é economizar nesse item e usar o pessoal de casa para fazer o banner. Isso é uma garantia de má redação, confusão visual, layout poluído e uma profusão de efeitos especiais que não irá passar a mensagem desejada”.

 

Se for preciso, busque o suporte de um profissional experiente em marketing digital que possa lhe ajudar a identificar a melhor estratégia para o seu público e a seguir essas regras. “Contar com profissionais capacitados aumenta as suas chances de obter retorno com os classificados on-line. Você até pode selecionar uma pessoa da sua própria equipe e colocá-la à frente do planejamento de marketing digital, desde que ela não acumule funções, ou seja, ela deve se dedicar integralmente à internet, mensurando as campanhas e analisando a possibilidade de alterações em tempo real”, aconselha Kendzerski.

 

O outro lado da moeda

 

De acordo com Pechansky, não são todas as empresas que possuem o perfil adequado para anunciar em classificados on-line, e isso também vale para os impressos. Segundo ele, os anúncios virtuais são especialmente interessantes para produtos e serviços bem segmentados, de baixo custo ou relacionados à área digital, como softwares e websites.

 

Já para Fernando Juno, quanto mais segmentado for o produto, mais fácil será para o usuário encontrá-lo, principalmente quando fizer uma busca pelo Google. No caso de produtos e serviços que precisam ser tocados e experimentados, um anúncio de página inteira em uma revista daria um retorno muito maior ao anunciante. “Entretanto, isso não é uma restrição. Há vários portais que anunciam até bens de alto valor, como imóveis ou veículos, e que podem dar um retorno bastante significativo”, justifica.

 

Segundo Kendzerski, o segmento de serviços é um dos que mais se beneficia com a divulgação de anúncios na internet: “Existe uma enorme demanda de pesquisa por parte dos usuários e, na maioria das vezes, essas empresas não são conhecidas na região nem reconhecidas pelos potenciais clientes devido ao interesse ser muito pontual, ou seja, só procuram determinada empresa quando têm necessidade. Dessa forma, os classificados on-line surgem como uma excelente ferramenta de divulgação de serviços pouco conhecidos”.

 

Mas, de acordo com Lopez, seja qual for o tipo e porte da empresa, é preciso ter cautela. “Tudo acontece em tempo real e, no caso das redes sociais, por exemplo, qualquer erro que a empresa cometa pode ser grave, ou seja, prometa apenas o que pode cumprir”, aconselha.

 

Pechansky diz ainda que é importante não se iludir achando que o anúncio será a solução mágica para todos os problemas da sua empresa. Ele é uma excelente forma de divulgação que, se feito corretamente, poderá lhe trazer grandes resultados.

 

MercadoLivre

 

O MercadoLivre (www.mercadolivre.com.br) é um dos classificados on-line mais concorridos e confiáveis. “Nele, há centenas (talvez milhares) de pequenas empresas com negócios extremamente lucrativos que vivem exclusivamente de anúncios on-line”, afirma Pechansky.

 

Existem até sites e livros especializados em ajudar empresários a vender seus produtos e serviços através do MercadoLivre. Se este é um canal que interessa para sua empresa, não deixe de pesquisar.

 

Para saber mais:

 

Visite os sites: www.zap.com.br

www.primeiramao.com.br

www.olx.com.br

www.portaisdamoda.com.br

www.baguete.com.br

www.quebarato.com.br

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima