Coloque mais emoção nas suas vendas

Podemos dizer que chegou a hora dos mais rápidos, inteligentes, ousados e, principalmente, daqueles que acreditam e colocam emoção em seus afazeres. Com a situação difícil que nos encontramos e com os clientes a cada dia sempre à procura do que há de melhor e mais barato, e muitas vezes substituindo produtos já conhecidos por marcas que estão surgindo, começam a descobrir novos produtos com qualidade e, principalmente, novas oportunidades de bons negócios. Podemos dizer que chegou a hora dos mais rápidos, inteligentes, ousados e, principalmente, daqueles que acreditam e colocam emoção em seus afazeres.

Esta semana, no dia 15 de janeiro de 2002, observava o “Portal do Varejo” excelente site que traz grandes matérias sobre o assunto, quando li: “NRF anuncia o marketing emocional”. Fala a matéria: Experimentar emoções no ponto de venda faz com que os clientes permaneçam mais tempo nas lojas, (comprem mais e voltem sempre!) Para os especialistas americanos a resposta é sim. Continua a matéria: Marketing Emocional parece ser a tendência para o varejo especializado.

Quantas vezes entram clientes em determinados estabelecimentos comercias, pesquisam, são bem atendidos e terminam comprando o mesmo produto pesquisado pelo mesmo preço e às vezes até mais caro em outro lugar? Isso acontece todo dia, em várias empresas por aí. É a emoção, que em muitos casos, está segurando o cliente. São muitas vezes simples atitudes que fazem o cliente se sentir bem no lugar que está. Já vi caso do consumidor dizer: “Gostei tanto de você que nem vou pesquisar em outro lugar, compro aqui mesmo”. Digo muito que o consumidor tem que se sentir seguro depois de uma compra. A sensação que o consumidor sente quando encontra emoção do outro lado é a mesma de um paciente quando é bem atendido por um médico. Ele olha para o doutor e diz: “muito obrigado”. O cliente tem que sentir que precisa de você, de sua empresa, a fim de que pense em comprar algo e o procure. Imediatamente, lembrará de você. Você, então, estará lá para resolver os problemas de seus clientes, ajudando-os a encontra a melhor alternativa. Mas, não é só a segurança que conta, alguns pontos podem ajudar a você e sua empresa colocarem emoção no trabalho, produto ou produto. Por exemplo:

a) Primeiro, você, independente da empresa ou classe social deve tentar ampliar seu raio de relacionamentos, fazendo bons contatos e com pessoas de vários seguimentos e classes sociais é que você passará a aparecer para o mundo do comércio. Aproveite toda a oportunidade para bons relacionamentos, conhecer novas pessoas: festas, aniversários, funeral, casamento, reuniões, passeios. Troque cartões, esteja acessível para enviar e receber e-mail e procure deixar bem claro a sua ocupação e onde trabalha; portanto, nunca perca oportunidade de freqüentar eventos; mas esteja sempre se atualizando através de estudos.

b) Incentive sua empresa a criar oportunidades, a fim de que os clientes sintam prazer em estar na loja. Veja o exemplo do Extra em Fortaleza, onde há um espaço reservado para crianças: elas brincam, passeiam, se divertem, fazem tudo sem pagar nada. Naquele espaço existe uma infra-estrutura toda montada para os pequenos. Os armazéns Paraíba têm como hábito realizar grandes festas de confraternizações por varias cidades. A sua marca é sinônimo de alegria e satisfação para seus clientes. Agora, essa emoção pode estar também em pequenos gestos e que pode representar muito: sua alegria, satisfação em atender alguém (independente que venda ou não), iluminação da loja (de preferência clara e um ambiente bem arejado), oferecer um bom e quente café, pipoca ou balas para as crianças (recentemente li uma reportagem que dizia: “Estudo aponta que 57% das mães levam seus filhos às compras”. Ornamentar a loja é uma boa saída: bolas de encher, dependendo da data ou ocasião, ter a presença de palhaços, músicos com canções da região, distribuição de brindes, a locadora King Vídeo no Ceará tem como costume e para alegria das crianças distribuição de bonecos em miniatura, entre estes alguns apresentam iluminação).

Agora, emoção mesmo, o cliente deverá sentir em ser atendido por você. Aí está o grande pulo do gato: a arte de entender as pessoas. Certa vez, eu fiquei encantado vendo dona Dulce Silveira de Holanda Arte (Empresaria no setor de moveis de estilo, uma das mais belas lojas do norte/nordeste) atendendo uma cliente. Os sorrisos, os gestos de gentileza e educação, a forma como ela conduzia a entrevista de venda era tão preciosa que me chamou atenção. Em certa ocasião, ela convidou a cliente para sentar no sofá o qual a cliente desejava comprar. No final da negociação, a cliente olhou para dona Dulce e disse: muito obrigada; claro que a cliente comprou. As empresas Holanda Arte e Dulce Silveira Ambientações se destacam deste o pessoal que lá trabalham ate os mais simples detalhes.

Mas, tudo isso depende única e exclusivamente de você gostar do que faz. Sentir prazer com o trabalho. Só assim você poderá passar em sua plenitude toda sua satisfação e emoção. Depois disso tudo, esquecemos de falar sobre o preço, o mais importante… Será?

A empresa tendo, portanto, você com toda sua emoção, com certeza, o preço vem muito depois… Então, acredite e ponha mais emoção no que faz.

Fonte: Gazeta Mercantil Nordeste Digital

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima