Como abrir clientes ?fechados?

5 dicas para um bom rapport

Você tem a chave, mas o cliente está fechado. O que fazer? Bem, o principal segredo é não ter uma chave única, pois cada cliente é uma fechadura diferente. Só há uma chave que dá certo com todos: estabelecer rapport, isto é, criar imediatamente um relacionamento de confiança, aceitação e afinidade emocional. Para isso, você tem o espelhamento corporal, a sintonização de voz e o ajuste da linguagem. Bem, vamos resumir tudo isso em cinco chaves essenciais para você abrir clientes fechados:

 

  1. A chave da igualdade – Pesquisas revelam que temos a tendência de confiar em pessoas que são iguais a nós. Contratamos aquelas que se parecem conosco na personalidade, casamos com as que têm o mesmo porte físico que nós (o que não quer dizer que magricelas se casam com magricelas), etc. Semelhantes se atraem. Então, se o cliente fala devagar, fale devagar. Se ajustar seu comportamento segundo o do seu cliente, você criará rapport. Quem fala rápido ou alto tende a não confiar em quem fala devagar ou baixo. Estudos mostram que quem fala rápido tende a pensar que quem fala baixo é inseguro ou está escondendo alguma coisa. O cliente que fala devagar tende a pensar que aqueles que falam rápido estão querendo “levá-lo na conversa”. O subconsciente do cliente estranha e, então, ele se fecha. Ruim para você, hein?

 

  1. A chave do elogio meritório indireto – Diga logo de cara: “Senhor Antunes, eu soube que ajudou sua empresa a ganhar pontos preciosos no mercado e estava curioso para conhecê-lo” ou “Ao entrar em sua empresa, percebi que seus funcionários parecem felizes, e isso é muito bom, penso que o senhor é responsável por isso”. Abordagens desse tipo precisam ser reais e indiretas para darem certo. Dizer: “Parabéns por sua capacidade de colocar o concorrente para correr” ou “Eita turma feliz a sua, hein?” cheira à demagogia e faz o cliente se fechar ainda mais.

 

  1. A chave da prospecção do alvo – Um cliente entra de cara fechada numa loja de eletrodomésticos. Ele olha primeiro para uma TV de 42 polegadas, depois para uma de 29 e, a seguir, para uma TV miniatura. Depois, volta os olhos de novo para a TV de 42 polegadas. Quer abri-lo? Aproxime-se sorrindo e “repita-lhe” o comportamento neurolinguístico, dizendo: “Eu notei que o senhor olhou primeiro para a TV de 42 polegadas, depois para a de 29 e, após olhar para a TV miniatura, o senhor voltou e parou seus olhos na de 42 polegadas. Posso lhe perguntar o que mais o senhor gostou nessa TV? O que ela tem que chamou tanto sua atenção?”. Deixe o cliente falar primeiro.

 

  1. A chave do interesse imediato irrecusável – Você diz a um cliente: “Nós desenvolvemos uma fórmula para fazer com que as máquinas de sua empresa rendam 17% a mais com 22% a menos de gastos de aditivos. Eu posso lhe mostrar nossa descoberta?”. Como alguém vai continuar fechado se você parece perguntar: “Posso lhe dar dinheiro?”.

 

  1. A chave da escutação – Estranhou a palavra? Escutação é escutar com ação. Pessoas simpáticas ouvem, as empáticas escutam com ação. O rapport perfeito acontece quando o cliente pensa: “Ninguém até hoje me ouviu e me compreendeu como este vendedor, ele é da minha tribo”. Quando o cliente sente-se escutado, ele é possuído por uma sensação de segurança. Mas o rapport só funciona se você passar naturalidade, e não a ideia de manipulação. Saia de seu oceano mental e mergulhe no oceano emocional do seu cliente. Ao fazer isso, você não abre apenas o coração e a mente dele, mas também a porta do lucro.

Conteúdos Relacionados

Dica número 1 de liderança em vendas

Volta e meia recebo perguntas como esta: “Raul, se você pudesse me dar só uma dica sobre como ser um gestor melhor, qual seria?”

Procuro evitar responder questionamentos como este porque eles costumam vir de alguém que está procurando um atalho ou uma pílula mágica, mas a verdade é que sempre existe mais de uma opção para resolver um problema ou desafio – por isso mesmo, buscar uma única ferramenta milagrosa raramente traz os melhores resultados.

Continuar lendo
Rolar para cima