Como desenvolver hábitos de alta performance

O livro O poder do hábito – Por que fazemos o que fazemos na vida e nos negócios está há meses na lista dos mais vendidos. O autor, Charles Duhigg, escreveu um guia que explica, baseado em diversos exemplos práticos, estudos científicos, cases de empresas e histórias de pessoas reais, como os hábitos se formam, como funcionam, o que exatamente os faz ocorrerem, como criar hábitos saudáveis e produtivos e eliminar os que nada acrescentam.

Segundo Duhigg, que é repórter investigativo do jornal The New York Times, todo hábito é desencadeado a partir de um ciclo composto por três estágios:

1 – Deixa: um estímulo que manda seu cérebro entrar no piloto automático e indica qual hábito está prestes a acontecer.

2 – Rotina: a execução do hábito em si, que pode ser algo físico, mental ou emocional.

3 – Recompensa: é a sensação positiva que seu cérebro assimila a partir do hábito desencadeado.

alta performance

À medida que um hábito está consolidado o bastante em sua vida, esse ciclo passa a acontecer praticamente despercebido. Isso ocorre porque o cérebro humano é “programado” para buscar formas de poupar esforço.

2 - O poder do habito

É essa eficiência racional que nos coloca no piloto automático para que possamos nos vestir, tomar banho e realizar outras atividades simples. Assim, conseguimos dedicar a energia mental para o que realmente importa.

Como acabar com um hábito ruim

Entender a estrutura do ciclo dos hábitos é o primeiro passo para controlá-los melhor. A partir do momento que você decifra as etapas que geram o hábito que gostaria de mudar, você pode começar uma brincadeira de manipular as deixas, rotinas e recompensas e alterar o ciclo.

Por exemplo: você chega do trabalho e a primeira coisa que faz é se jogar no sofá e ligar a televisão, mas gostaria de colocar um tênis e sair correr. No entanto, a recompensa de relaxar após um dia cansativo assistindo ao seu programa preferido está tão enraizada que você não vê razão para trocar isso por um hábito saudável.

Nosso cérebro não reconhece a diferença entre hábitos bons e maus. Os negativos estão sempre ali, esperando um deslize seu para acontecerem. Você está preso em sua eficiência cerebral. Que ironia.

É claro que não é fácil vencer hábitos ruins e cultivar os bons. Mas é justamente isso que separa as pessoas de alta performance das comuns.

Crie obstáculos para hábitos ruins

Seu desafio, então, é criar novas rotinas neurológicas que sejam mais poderosas que seus comportamentos ruins. Você precisa controlar o ciclo do hábito.

Ou seja, é preciso criar um novo padrão, como deixar o tênis na porta de casa (deixa) para lembrá-lo de que você tem correr ao invés de assistir TV quando chega do trabalho, por exemplo.

Se você encontrar a recompensa ideal – que pode ir desde assistir TV livre de culpa mais tarde até correr uma ultramaratona –, o novo hábito se tornará tão automático quanto o antigo.

Quer saber como colocar isso em prática? Faça sua assinatura e e leia a reportagem na íntegra na VendaMais de janeiro/fevereiro:

Alta Performance

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima