Comunicação e Resultados – janeiro de 2006

CARREIRA

A empresa está evoluindo, e você?

A empresa em que você trabalha está evoluindo? Se sua resposta é ?não?, cuidado: pode ser que ela esteja evoluindo sem você perceber. Nesse caso, colegas estão no comando das novidades, e quem não percebe a evolução corre o risco de atrasar-se demais no processo. Se a resposta ainda for ?não?, pode ser que você esteja coberto de razão em dizê-lo; mas saiba que há uma probabilidade de que a empresa, em breve, seja obrigada a sair da mesmice e marchar em frente, para não perder o bonde da economia. Fique esperto para achar um outro lugar, mais seguro, se ela ficar na paralisia que traz riscos.

Se você, pelo contrário, diz ?sim?, vem uma outra pergunta: você está evoluindo também? Se a empresa está evoluindo e você não, os problemas podem aparecer logo. Por que as pessoas não evoluem?

· Porque têm exagerada autoconfiança. Acham que já sabem tudo, que são importantes e indispensáveis.

· Porque pensam que não precisarão avançar, mantendo-se no nicho confortável em que estão.

· Porque acreditam em artimanhas de sustentação da posição: um apadrinhamento, ?o tempo de casa?, as relações de coleguismo, a retenção de informações ou o know-how. · Porque param de olhar para o mundo e não percebem as mudanças óbvias ? para melhor ? em tudo, inclusive na sua área de competência.

Acordar nem sempre é agradável, mas é sempre útil e necessário.

José Antônio Rosa é professor de pós-graduação em administração no Instituto Nacional de Pós-Graduação, jornalista, editor e consultor da Manager Assessoria em Recursos Humanos. Fonte: www.manager.com.br

DICA DO MÊS

Fazendo o melhor de seu tempo de folga

A melhor maneira de usar seu tempo de descanso é fazendo coisas diferentes da sua rotina. Aqui vão algumas recomendações de experts:

· Se seu trabalho é movido a metas e prazos, deixe o relógio na gaveta. Vá ao cinema, leia um livro ? algo que consuma sua atenção e faça-o perder a noção do tempo.

· Se você é um decisor no trabalho, peça a sua família ou amigos que decidam as atividades do dia.

· Se seu trabalho requer constante contato com o público, encontre alguma atividade que possa fazer sozinho ? uma caminhada entre árvores ou um passeio em uma biblioteca.

Fonte: Communication Solutions

COMUNICAÇÃO

O impacto da primeira impressão: olhos nos olhos, firme aperto de mãos, sorriso nos lábios… negócio fechado!

Por Adriane Werner

Há pouco tempo, foi exibido na TV um curioso teste, aplicado por psicólogas em candidatos a empregos. As psicólogas deveriam dar nota vermelha, amarela ou verde, em um pequeno aparelho, a cada intervalo de três minutos, para o candidato que entrevistavam, sem que eles vissem. Vermelho representava uma má impressão do candidato, amarelo uma impressão mediana e verde uma boa impressão. O curioso da situação foi que, depois de ter dado a primeira nota, fosse boa ou ruim, raramente a psicóloga mudava a nota do candidato. Se a primeira impressão fosse ruim, permanecia ruim até o final da entrevista. A experiência provou o dito popular: a primeira impressão é a que fica.

E o que isso tem a ver com vendas? Nessa área, a primeira impressão pode representar o sucesso de um relacionamento com o cliente, que pode vir a ser duradouro e lucrativo ou pode resultar em um único encontro desagradável. As pessoas formam impressões umas sobre as outras, de forma rápida e inconsciente. Por isso, preocupar-se em causar uma boa primeira impressão é crucial.

Segundo Ann Demarais e Valerie White, autoras de A Primeira Impressão é a que Fica, o primeiro passo para causar uma boa impressão é concentrar-se em como você faz os outros se sentirem. Você faz uma pessoa sentir-se bem quando demonstra apreciar suas qualidades, quando consegue melhorar o seu humor. Da mesma forma, o cliente sente-se respeitado quando você o esclarece com informações relevantes, curiosas e novas idéias. A generosidade no relacionamento provoca retribuições agradáveis.

As autoras listam, também, alguns princípios que podem ajudar uma pessoa a causar uma boa impressão. Alguns deles: ser acessível, demonstrar interesse, escolher o assunto das primeiras conversas e revelar-se. Ser acessível não diz respeito apenas às palavras que você escolhe para a conversa com o seu cliente, mas, principalmente, a quanto você está disposto a ouvi-lo, como expressa sua linguagem corporal, como transmite atenção, respeito e simpatia. Esse mesmo respeito é demonstrado quando você mostra interesse pelas coisas que o cliente tem a dizer. Voltar-se fisicamente para a pessoa que está falando é a maneira mais franca de demonstrar atenção e interesse.

A escolha do tema das primeiras conversas, normalmente, obedece a uma ordem natural, quase uma norma: começamos com o ?campo? (mencionar algo sobre o tempo ou o lugar), passamos aos ?fatos? (falar sobre o que está acontecendo) e depois rumamos para as ?coisas divertidas? (idéias e opiniões). Já a auto-revelação é um recurso que deve ser utilizado com cautela, apenas para que o cliente sinta-se à vontade para também se expor um pouco, de forma a descontrair a conversa.

Adriane Werner é jornalista, âncora de TV e ministra treinamentos e workshops de oratória e etiqueta profissional. E-mail: [email protected]

COMUNICAÇÃO NA EMPRESA

Todo mês uma história real de comunicação com final feliz

Na linha das diversas ações de incentivo à educação, desenvolvidas pela Petrobras, a Refinaria de Capuava, em Mauá, SP, estende aos empregados das empresas contratadas os benefícios dos cursos de alfabetização mantidos pela companhia. Com o programa “Responsabilidade pelo Todo”, a unidade de refino da Petrobras na região do ABC Paulista passou a incentivar sua mão-de-obra a retornar às salas de aula. Um dos motivos que levou a companhia a investir no Programa de Alfabetização Intensiva e Telecurso 2000 foi a capacitação profissional.

Muitos trabalhadores sequer conseguiam interpretar procedimentos e orientações escritas, como placas e painéis distribuídos pela refinaria. Por essa deficiência, os trabalhadores poderiam ser substituídos por outros, em oportunidades futuras de frentes de trabalho. No entanto, por meio desse programa de responsabilidade social, a Petrobras não apenas possibilitou a qualificação e o resgate da estima deles, como também garantiu o emprego dos trabalhadores. “Além da satisfação de voltar a estudar, eles ficaram mais competitivos no mercado de trabalho”, afirma Marco Aurélio Nogueira de Souza, gerente de recursos humanos da Refinaria de Capuava da Petrobras.

“No meu serviço, preciso de leitura. Se não tivesse voltado a estudar, não estaria mais aqui”, diz o operador de guindaste José Milton Feitosa, 54 anos, que iniciou na turma de alfabetização e agora está na de Telecurso 2000. Seu colega, João da Cruz Araújo Silva, 33 anos, concluiu o ensino fundamental na refinaria e, hoje, cursa o ensino médio no Sesi de Mauá. “Voltei a estudar porque o mercado de trabalho exige. Só paro quando não puder mais?, afirma o caldeireiro que já planeja cursar uma faculdade em sua área de atuação. Os cursos são mantidos pela Refinaria de Capuava desde junho de 2004. Hoje, 40 pessoas freqüentam as aulas, ministradas por professores do Sesi. O programa é reconhecido pelo Ministério da Educação.

Visite o site: www.petrobras.com.br

Que tal você também contar o que está fazendo em sua empresa para melhorar a comunicação interna? Estamos esperando sua história. Basta escrever para o e-mail: [email protected], que entraremos em contato para fazer uma entrevista.

LIVROS

RETORNO SOBRE CLIENTES: UM MUNDO REVOLUCIONÁRIO DE MEDIR E FORTALECER O SEU NEGÓCIO

Don Peppers e Martha Rogers

Primeira obra a tratar exclusivamente de como as empresas poderão criar valor não apenas cultivando os lucros atuais, preservando e ampliando o valor vitalício dos clientes. Em uma poderosa combinação de teoria e prática, os autores demonstram como criar, de forma mais eficiente, valor para a empresa mediante a utilização dessa obra, um revolucionário instrumento de medição de negócios voltados para o recurso mais escasso de uma empresa ? a sua base de clientes

Editora: Campus

Preço: R$ 69,00*

BUZZMARKETING: CRIANDO CLIENTES EVANGELISTAS

Ben McConnell e Jackie Huba

Aprenda a desenvolver estratégias de marketing de evangelismo e programas que criarão comunidades de pessoas influentes, que poderão ajudar nas vendas de sua empresa.

Editora: M. Books

Preço: R$ 59,00*

COMO CHEGAR AO SIM: A NEGOCIAÇÃO DE ACORDOS SEM CONCESSÕES

Roger Fisher, William L. Ury e Bruce Patton

Baseando-se no trabalho do Projeto de Negociação de Harvard, grupo que lida com todos os níveis de resolução de conflitos ? de domésticos a internacionais ?, este livro diz como separar as pessoas do problema, criar opções que satisfaçam às duas partes e obter êxito na negociação com pessoas que mais poderosas.

Editora: Imago

Preço: R$ 38,00*

Onde encontrar:

www.livrariascuritiba.com.br

*Preços e disponibilidade pesquisados em outubro/2005 HUMOR

A funcionária recém-contratada

Ela estava conhecendo a empresa, conduzida pelo gerente. E notou uma placa enorme na parede do escritório. Na parte de cima, estava descrita a ?Nossa Missão?. Na parte de baixo, a ?Nossa Visão?. Então, ela leu tudo e comentou com o gerente:

? Que lindo! Eu sempre quis trabalhar em uma empresa assim, que tem ética, tem valores, tem responsabilidade social, tem…

? Pode parar, minha filha. Nós realmente temos tudo isso, mas o que faz a nossa empresa ser líder de mercado não é a nossa missão nem a nossa visão.

? E o que é então?

? A ?nossa pressão?.

Fonte: Máximas e Mínimas da Comédia Corporativa, de Max Gehringer (Ed. Gente)

PENSAMENTOS

?Quando acertamos, ninguém se lembra. Quando erramos, ninguém se esquece? Ditado Irlandês

?O perfeito aproveitamento do dia de hoje é a melhor preparação para o dia de amanhã? Carl E. Holmes

?Não são necessárias muitas palavras: apenas que sejam eficazes, pois, como sementes, serão espalhadas? Sêneca

?Quando a oportunidade bate à porta, algumas pessoas estão no quintal procurando o trevo de quatro folhas? Roberto Duailibi

?O mais perto que uma pessoa chega da perfeição é quando preenche uma ficha de emprego? Stanley Randall

?Jamais considerei o prazer e a felicidade como um fim em si, deixo esse tipo de satisfação aos indivíduos reduzidos a instintos de grupo? Albert Einstein

Quer incentivo para 2006?

“Se eu pudesse deixar algum presente a você, deixaria aceso o sentimento de amor à vida dos seres humanos. A consciência de aprender tudo o que nos foi ensinado pelo tempo afora. Lembraria os erros que foram cometidos, como sinais para que não mais se repetissem. A capacidade de escolher novos rumos. Deixaria para você, se pudesse, o respeito àquilo que é indispensável: além do pão, o trabalho e a ação. E, quando tudo mais faltasse, para você eu deixaria, se pudesse, um segredo. O de buscar no interior de si a resposta para encontrar a saída”

Mahatma Gandhi

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima