Comunicação e Resultados – maio de 2006

Carreira

As chaves para o sucesso

Por Gilberto Guimarães

Construir uma carreira sólida e ter sucesso é o grande sonho de todos. Mas os especialistas garantem que, para alcançar esse objetivo, é necessário possuir centenas de qualidades e características pessoais: liderança, saber trabalhar em equipe, ser eficiente, falar mais de um idioma, conhecer diferentes culturas e, ainda, conseguir tempo para ser um profissional perfeito, proativo, ético e leal.

No entanto, nenhum ser humano tem todas essas qualidades e, por isso, o importante é poder fazer o que você gosta e sabe fazer. O primeiro passo é atuar com as competências e preferências pessoais. Não basta fazer apenas o que gosta ou aquilo para que se tem competência. A pessoa pode até ter apenas competência para fazer algo, mas alguém que tenha a preferência, com certeza, fará melhor.

Analisando a vida dos profissionais de sucesso, você vai perceber que são pessoas muito focadas e que aplicaram até o limite sua vocação ou dom natural. O segredo é não gastar tempo e dinheiro tentando ser menos ruim naquilo em que você não é bom. Tente melhorar onde você é naturalmente bom.

As 5 competências

Existem cinco competências essenciais para alcançar o sucesso e que, mesmo não sendo preferências, devem ser aprendidas e melhoradas. A primeira delas é a capacidade de influenciar fatos e pessoas, ou seja, o bom líder não é aquele que impõe, mas aquele que influencia.

Outra é a capacidade de escolher, ou seja, optar por uma alternativa e abrir mão de todo o resto. Mas temos medo de não fazer a escolha certa, pelo receio de que talvez exista uma alternativa melhor, ainda desconhecida.

Uma terceira competência é a capacidade de ter empatia, de perceber o que os outros querem e conseguir que percebam o que você quer. Comunicação é a capacidade de ouvir o que os outros desejam e dizer a eles o que você quer. Não se trata apenas de falar bem. 80% da comunicação é não-verbal e, para influenciar, você tem de conseguir se comunicar de maneira adequada com cada pessoa.

A quarta competência é a capacidade de controlar pessoas e situações. Isso começa pelo autocontrole, porém não significa não sentir, mas sim usar adequadamente essa percepção. A competência em gerenciar pessoas ou projetos depende basicamente de saber usar o sentimento.

A última, mas não menos importante, é a capacidade de antecipação. O bom profissional é aquele que avalia e prevê o que vai acontecer, e não o que já aconteceu. O futuro não é uma adivinhação, mas a conseqüência do que já está acontecendo. Defina o que é importante para a sua carreira e preste atenção nisso.

Gilberto Guimarães é diretor da multinacional francesa BPI no Brasil, empresa que atua na área de Consultoria em RH e Recolocação Profissional Especializada. E-mail: [email protected]

Dica de português

Acerte as horas!

Por Cione dos Santos

Como você vê as horas, todas as manhãs? O seu relógio é digital? Pergunto isso, porque esse ?aparelhinho?, muitas vezes, prejudica a sua escrita e confunde o seu leitor. Claro que não é só ele: materiais publicitários, cartas, memorandos, entre outros, trazem o mesmo problema.

Lembre-se: é primordial dar atenção aos padrões, regras e convenções adotadas pela língua portuguesa para diminuir, cada vez mais, as suas dúvidas na hora de escrever.

Mas é fácil: o símbolo de ?horas? é ?h?, e o de minuto é ?min?. Esqueça ?hs?, nada de ?8:00?, nada de ?8,00?. Quando aparecerem juntos, não tenha medo, siga a convenção: ?A reunião começará às 14h30min?, ?A reunião começou exatamente às 7h35min?. E, claro: ?Nosso encontro será às 20h?.

Comunicação

Big Brother, liberdade e abuso

A polêmica está lançada! A Justiça Trabalhista Brasileira reconhece o direito de o empregador rastrear e-mails de funcionários para demiti-los por justa causa

Por Adriane Werner

Cada vez mais, em várias partes do mundo, executivos, operários, gerentes e profissionais de diversos ramos são demitidos por visitar sites pornográficos em pleno horário de trabalho e através computador da empresa. Advertências formais são feitas a funcionários que perdem produtividade por passar boa parte do tempo em chats, fóruns, bate-papos no MSN ou em grandes viagens em sites de relacionamento. Empresas proíbem ou restringem o acesso a determinadas páginas da internet.

Informações como essas têm sido tão comuns que já nem provocam tanta polêmica. Muitos empregados e empregadores perderam o bom senso frente às maravilhas das novas tecnologias. Afinal, qual é a linha que delimita o que os trabalhadores podem e o que não podem fazer no ambiente profissional? E, do outro lado: o que as empresas podem fazer para coibir os abusos dos funcionários, sem colocar uma mordaça neles ou impor uma severa censura?

A verdade é que as empresas podem, sim, acompanhar de perto o que seus funcionários fazem à frente de um computador. A exemplo do que já acontecia nos Estados Unidos e em boa parte da Europa, a Justiça Trabalhista Brasileira também reconheceu o direito de os empregadores rastrearem e-mails de trabalhadores para, eventualmente, utilizar as mensagens como provas para demitir o profissional por justa causa.

É claro que, no dia-a-dia, a maioria das empresas não perde tempo em vasculhar as informações que os funcionários estão recebendo ou enviando por e-mail. Isso também seria contraproducente para a própria empresa. Mas cada supervisor, gerente, encarregado de setor e diretor tem condições de saber quais dos seus funcionários estão cometendo abusos com a troca de mensagens via e-mail. Por isso, o rastreamento, agora permitido, não deve provocar grande tumulto. A empresa não deverá se transformar em ?grande irmão?, onipresente, aquele que tudo vê.

Há abusos dos dois lados. Há empresas que tudo proíbem, xeretam, restringem, assim como há funcionários que driblam as normas e utilizam seus e-mails profissionais para enviar spams, piadas, correntes e, até mesmo, para procurar outro emprego ou falar mal da empresa em que trabalham. O resgate das relações de confiança é um bom passo para resolver o problema.

Adriane Werner é jornalista, âncora de TV e ministra cursos de oratória, media training e etiqueta profissional. E-mail: [email protected]

Dinâmica de grupo

Missão possível

Você precisa aumentar o entusiasmo e trazer um novo sentido para o trabalho da sua equipe de vendas? Então, nada melhor que os próprios colaboradores criarem uma declaração de missão.

Para isso, tenha em mãos cópias da declaração de missão da sua empresa ou cópias de declarações de outras organizações que você considera inspiradoras. Comece explicando o que é uma declaração de missão e dando exemplos.

Depois, divida os vendedores em grupos de três a cinco pessoas. A tarefa deles será trabalhar em conjunto para desenvolver uma breve declaração de missão. Antes disso, eles terão dez minutos para responder e discutir as seguintes questões:

1. Por que os clientes se lembram de nós?

2. Como os clientes sentem-se, após negociarem conosco?

3. O que os clientes dizem a seus amigos sobre nós?

4. De que maneira nos ajudamos, mutuamente, em nosso departamento?

5. Como nosso departamento apóia o objetivo geral de nossa empresa?

Na seqüência, um porta-voz de cada grupo apresenta sua declaração de missão para todos os presentes. Você deve ouvi-las e questionar, quando necessário, cuidando para que as declarações de missão não contradigam as da sua empresa.

Feito isso, cada grupo designa um representante para o comitê, que irá finalizar a declaração de missão. Quando ela estiver completa, distribua uma cópia para cada integrante da equipe. Se possível, reúna todos novamente para apresentar a declaração de missão final.

Fonte: O Grande Livro de Jogos de Vendas (Ed. Qualitymark)

Se você deseja receber mais idéias e atividades para realizar dinâmicas de grupo, acesse o site: www.gestaoemvendas.com.br e conheça nossa newsletter Reuniões Criativas.

LIVROS

Campeões de Vendas ? Como Construir Relacionamentos e Adquirir Clientes Fantásticos Glauber Robson e Donald Moine

Com um estilo dinâmico e descontraído, os autores ensinam como desenvolver habilidades que ajudarão os vendedores a obter mais confiança, adquirir mais clientes e fechar um maior número de vendas.

Editora: Prentice Hall (Pearson)

Preço: R$ 41,00*

Marketing Trends 2006

Francisco Alberto Madia de Souza

A obra é resultado de um trabalho de mapeamento, organização e análise de informações e identificação de tendências. Através de grandes performances empresariais nas diferentes partes do mundo, o livro antecipa as mais importantes tendências do marketing para os próximos anos.

Editora: M. Books

Preço: R$ 49,00*

O Vendedor Imbatível

Bruna Gasgon

Este não é um livro apenas para quem comercializa produtos. Todos os dias, qualquer profissional está vendendo algo: projetos, pautas, campanhas de marketing, serviços médicos, imagem corporativa, enfim, somos sempre vendedores.

Editora: Prestigio

Preço: R$ 24,90*

Onde encontrar:

www.livrariascuritiba.com.br

*Preços e disponibilidade pesquisados em abril/2006

Humor

Entra o vendedor na casa da dona Marocas para fazer uma demonstração. Despeja um enorme saco de lixo sobre o tapete da sala e sentencia, solenemente:

? Minha senhora, eu comerei qualquer pedacinho de lixo que este maravilhoso aspirador de pó não consiga apanhar.

E a dona Marocas:

? Só um instantinho que eu vou buscar uma colher. Esta casa não tem eletricidade.

E outro vendedor ambulante bate à porta da casa da dona Marocas:

? Minha senhora, tenho aqui linhas, agulhas, alfinetes, presilhas, zíperes, pentes, escovas, grampos…

? Não preciso de nada disso! Já tenho tudo!

? Então, que tal comprar esse livro de orações para agradecer a Deus por não lhe faltar nada?

Fonte: Terra Piadas

Não complique o que é simples

Por professora Aurélia

Os apelos da linguagem corporativa podem nos colocar em uma bela saia-justa. É engraçado participar das reuniões de negócios: um fala ?bonito?, sem saber exatamente o que está falando, os outros ouvem e fingem que entendem tudo, mas mantêm-se quietos, para não passar vergonha. Depois, saem falando que a apresentação foi ruim, que não foi clara.

Facilite a comunicação dentro da empresa. Tenha certeza: podemos trabalhar e nos comunicar muito bem com o português, sem abusar dos estrangeirismos.

Esses dias, recebi um e-mail de uma colega questionando qual era o deadline para a entrega de um trabalho. Li por duas vezes a palavra deadline, tentando decifrar o porquê de ela não utilizar a palavra prazo. Sinceramente, ainda não descobri.

Lembre-se: a comunicação tem um papel fundamental. Qualquer informação distorcida ou mal compreendida pode gerar problemas danosos para sua empresa.

Pensamentos

“A genialidade aparece sempre que alguém se dá conta, pela primeira vez, de algo evidente” Hermann Bahr

?A persistência é irmã da excelência. Uma é questão de qualidade. A outra, questão de tempo? Marabel Morgan

“Investir em conhecimento rende sempre os melhores juros” Benjamin Franklin

“Jamais sofri uma mágoa que uma hora de leitura não tenha curado” Montesquieu

“O fracasso é a oportunidade de começar de novo, inteligentemente” Henry Ford

?Quanto mais aumenta nosso conhecimento mais evidente fica nossa ignorância? John Kennedy

Conteúdos Relacionados

Dica número 1 de liderança em vendas

Volta e meia recebo perguntas como esta: “Raul, se você pudesse me dar só uma dica sobre como ser um gestor melhor, qual seria?”

Procuro evitar responder questionamentos como este porque eles costumam vir de alguém que está procurando um atalho ou uma pílula mágica, mas a verdade é que sempre existe mais de uma opção para resolver um problema ou desafio – por isso mesmo, buscar uma única ferramenta milagrosa raramente traz os melhores resultados.

Continuar lendo
Rolar para cima