Confira a entrevista com Ernesto Artur Berg

No livro 35 Testes para Avaliar suas Habilidades Profissionais, o conceito do qual eu mais falo é a necessidade de procedermos autoanálises contínuas de nossas capacidades e comportamentos, e de também buscarmos o aprimoramento constante das habilidades e competências pessoais e profissionais.

1) Vamos começar falando um pouco sobre você, para que nossos leitores possam conhecê-lo melhor. Embora a maioria dos nossos assinantes já conheça você como colunista da VM, palestrante e autor de vários outros livros, você poderia nos contar brevemente sua trajetória profissional até escrever “35 Testes para Avaliar suas Habilidades Profissionais”?

Berg. Comecei a trabalhar aos 16 anos como sonoplasta da Rádio Educativa do PR enquanto me preparava para o curso superior de Administração e Sociologia. Depois de formado fui sociólogo do Sesi, fazendo pesquisas e análises socioeconômicas. O gosto por vendas surgiu quando trabalhei como vendedor na Nestlé cobrindo o interior do Paraná e Santa Catarina. Já na década de 70, fui trabalhar no Serpro em treinamento e desenvolvimento de pessoal, inicialmente em Curitiba e, mais tarde em Brasília, onde assumi a Divisão de Desenvolvimento Gerencial, enquanto fazia também o curso de pós-graduação na FGV. O Serpro contava na época com 17 mil funcionários e os desafios foram muitos, o que contribuiu significativamente para minha vivência empresarial em todos os sentidos. Ali tive contatos muito próximos com os grandes consultores de São Paulo e Rio de Janeiro, e um deles certa vez, me disse que eu levava muito jeito para trabalhar em consultoria organizacional e ofereceu-me emprego. Levei a sério a dica e, após quase 10 de anos de Serpro, pedi demissão e fui trabalhar na Alexander Proudfoot Company de São Paulo, multinacional do ramo de consultoria organizacional. Com isso pude trabalhar dentro das grandes empresas multinacionais e também aprender em detalhes todos os processos e metodologias de consultoria. Mais tarde resolvi abrir minha própria empresa de consultoria e, desde então, atuo nessa área, período no qual venho prestando serviços para mais de 450 empresas. A partir 1997 comecei a colocar em prática um antigo plano: registrar em DVDs e livros os conhecimentos que adquiri em décadas de profissão. Desde então gravei dezenas de palestras em vídeo e escrevi 12 livros – até o momento –, o último: “35 Testes para Avaliar suas Habilidades Profissionais”.

2) Olhando para trás, existe algo que você gostaria de ter sabido ou descoberto antes – alguma lição que teria ajudado a superar ou evitar algumas dificuldades pelas quais passou?

Berg. A vida é um eterno aprendizado diário e, estou convencido, de que algumas coisas eu teria feito diferente se pudesse voltar atrás nos anos, tanto na área profissional quanto pessoal. Entretanto, reconheço hoje, que alguns dos maiores “erros” que cometi foram justamente os que mais me ensinaram e mais me fizeram progredir posteriormente. A adversidade é um grande professor se tivermos a sabedoria de aprender suas lições pois, junto com ela, vem a maturidade, o crescimento espiritual e também o encaminhamento da solução.

3) Agora sobre seu livro. Com tantos livros sobre desenvolvimento pessoal e profissional já disponíveis no mercado, o que o seu traz de diferente?

Berg. Embora possa causar surpresa, no mercado não existem livros similares ao que escrevi, na área de testes de habilidades profissionais. Pesquisei nos sites das maiores livrarias e também em sebos (que têm, talvez, os maiores acervos) e não encontrei um só livro que fosse semelhante ao que estou lançando. A ideia de escrevê-lo surgiu em função da grande quantidade de solicitações que recebo todos os meses – tanto de pessoas, quanto de empresas, revistas e sites – pedindo que eu lhes envie testes e questionários sobre determinado tema profissional. Como tenho uma significativa quantidade de testes e questionários que utilizo em consultorias, cursos e palestras, decidi escrever o livro exatamente para preencher essa lacuna existente no mercado. Consultei a Juruá Editora, que publicou os meus 5 últimos livros, e ela aceitou o desafio de editá-lo, porém somente após submetê-lo a uma demorada e meticulosa análise, devido ao ineditismo da obra e por ser muito diferente dos livros habituais de administração e negócios. 

4) Você poderia nos dar um exemplo extraído do livro que resume as principais ideias e conceitos que você defende?

Berg. A ideia central da obra é propiciar, através de testes, a oportunidade do leitor fazer  uma autoavaliação do seu perfil profissional e as ações necessárias para otimizar seu desempenho. Todos os 35 testes foram elaborados por mim, fruto de centenas de trabalhos que desenvolvi em empresas ao longo de décadas, e testei-os exaustivamente, até se revelarem bastante confiáveis nos resultados, mesmo admitindo que não existem testes 100% acurados. Não pretendo apregoar que sejam infalíveis mas, se forem preenchidos corretamente, eles certamente serão um seguro diagnóstico do perfil do respondente a respeito do tema que o teste aborda.

5) De maneira rápida e resumida, que tipo de leitor mais se beneficiaria do seu livro? Que tipo de conselhos ou informação deveriam estar procurando, ou que tipo de problema estariam tentando resolver?

Berg. Como são 35 testes das mais diferentes áreas, praticamente todos os colaboradores que militam em empresas – do presidente ao funcionário – poderão beneficiar-se deles, porque os questionários abrangem as principais habilidades que os profissionais deveriam necessariamente ter em maior ou menor grau. Por exemplo, os questionários de empregabilidade, resiliência e mudanças, avaliam a habilidade da pessoa na sua capacidade de adaptação e resposta em tempos de acentuada competitividade. Os testes de autoestima, de assertividade, motivação pessoal e inteligência emocional avaliam a capacidade do indivíduo em posicionar-se rapidamente perante situações adversas e desmotivadoras. Já os questionários de administração de conflitos, autocontrole, comunicação e de relações humanas, por exemplo, analisam a aptidão da pessoa em saber administrar divergências e comunicar-se apropriadamente. A mesma linha ocorre com os testes de vendas, negociação e atendimento a cliente que são mais direcionados para marketing e vendas; ou os testes de liderança, tomada de decisão e missão de vida que têm uma forte orientação para comando de pessoas. Mas, saliento que cada teste é independente e não está amarrado a outros testes, pois cada qual tem suas particularidades e enfoca situações e objetivos diferentes.  Depois de cada questionário acrescentei inúmeras dicas e sugestões que possibilitam o leitor fazer um miniplano de ação sobre o assunto do teste, caso ele precise melhorar seu desempenho naquele item, ou então otimizar a atual performance.    

6) Qual seria a primeira coisa que você gostaria que alguém fizesse depois de terminar de ler seu livro, colocando em prática o que foi visto?

Berg. O objetivo dos testes é dar condições para proceder a uma autoavaliação da performance profissional. Meu desejo é que, depois disso, o leitor coloque em prática um plano de ação visando aprimorar seu desempenho no assunto alvo do teste.

7) Que outros livros ou autores você recomendaria para quem quiser se aprofundar nesse assunto?

Berg. Como já afirmei antes, pesquisei muito em sites de livrarias e sebos a procura de livros semelhantes, e confesso que não encontrei e desconheço a existência de livros similares no mercado – na área de habilidades profissionais –, motivo pelo qual eu não saberia indicar outros livros ou autores sobre essa matéria.

8) Qual é o maior erro que você vê as pessoas praticando em relação aos assuntos cobertos pelo livro?

Berg. Não saberia dizer se é o maior erro, mas um dos erros mais frequentes que percebo é que a maioria dos profissionais do mercado não procura fazer regularmente autoavaliações de seu próprio desempenho, fiando-se nas avaliações formais da empresa em que trabalha, muitas vezes carregadas de subjetivismos ou preferências pessoais do avaliador, e nem sempre retratam a realidade. Meu livro visa cobrir boa parte dessa lacuna propiciando uma autoanálise da pessoa que preenche os testes, desde que ela seja sincera nas respostas; paralelamente a isso também sugiro que os colegas de convivência próxima com quem fez a autoavaliação, também respondam os mesmos questionários sobre o colega em questão. O cotejamento dos resultados permite uma apreciação mais precisa e impessoal do perfil da pessoa avaliada.

9) Que sugestões você daria para quem quer melhorar? Por onde começar?

Berg. Este é um dos pontos altos do livro. Por exemplo, o teste de estresse, depois de verificado o resultado, traz uma série de orientações sobre como administrá-lo melhor em sua vida. O mesmo acontece com o teste de assédio moral, ética profissional, gestão do tempo, empreendedorismo, trabalho de equipe, ou qualquer outro dos 35 testes do livro. Todos eles trazem dicas e orientações práticas e objetivas para melhorar o desempenho ou eliminar o problema detectado, conforme o caso.

10) E o que você acha que essas pessoas deveriam PARAR de fazer?

Berg. A pergunta é ampla e envolve uma vasta gama de respostas. Mas, no meu entender, uma das coisas que as pessoas deveriam parar de fazer, é parar com a “síndrome da imobilidade”, isto é, não agir, e deixar que as coisas continuem do jeito que está, ou então, esperar que as coisas se modifiquem por si próprias, algo que é muito característico do nosso povo. As manifestações populares de junho mudaram um pouco o conceito de passividade do brasileiro, mas a atitude de ir atrás e fazer as coisas acontecerem só produz frutos se fizermos disso um processo contínuo e crescente, em vez de agir aos espasmos e de forma descontinuada. Isso vale tanto no âmbito social, como no pessoal e profissional. 

11) Baseado em toda sua experiência e depois de todas as pesquisas que fez para escrever seus livros, existe algum conselho sobre aprimoramento pessoal e profissional que você vê publicado com frequência mas com o qual não concorda?

Berg. Existem excelentes livros sobre aprimoramento pessoal e profissional no mercado, e eu mesmo aprendo muito com eles. Mas existem também aqueles autores que se aproveitam de algum tema ou assunto em alta e, na esteira disso, lançam “modismos” na clara intenção de se promoverem. É o que acontece, por exemplo, com inúmeros autores de livros de autoajuda,  liderança, motivação, vendas ou coaching (mas não apenas estes). Quando você folheia os livros desses autores, percebe que têm pouquíssimo conteúdo e os conceitos são os mesmos de décadas atrás, apenas revestidos com uma nova roupagem e utilizando palavras modernas e cibernéticas. No fundo, essas obras não trazem nenhuma novidade substancial e pouco contribuem para o aprimoramento do leitor.

12) Existe algum conceito do livro que você gostaria de reforçar aqui?

Berg. Em relação ao livro 35 Testes para Avaliar suas Habilidades Profissionais, o conceito do qual eu mais falo é a necessidade de procedermos autoanálises contínuas de nossas capacidades e comportamentos, e de também buscarmos o aprimoramento constante das habilidades e competências pessoais e profissionais. Na verdade, é o que define o livro – seu foco central –, motivo pelo qual o escrevi.

13) Algum comentário adicional que gostaria de fazer aos nossos leitores?

Berg. Convido os leitores a acessarem o meu site www.quebrandobarreiras.com.br onde poderão encontrar muitos artigos na área de administração, liderança e negociação e também poderão conhecer as palestras, cursos e livros de minha autoria.

14) Informações para contato:


Ernesto Artur Berg – Graduado em Sociologia e Administração pela FAE do Paraná, pós-graduado em Administração Pública pela FGV de Brasília – DF. Berg é ex-consultor Sênior da Alexander Produfoot Company, São Paulo, empresa especializada em desenvolvimento de sistemas gerenciais e de produtividade e ex-gerente de Desenvolvimento Gerencial do SERPRO no Paraná e em Brasília, DF. Hoje Berg é Sócio-Diretor da Berg e Cia. desde 1985, empresa de consultoria em gestão de organizações e desenvolvimento gerencial.

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima