Elogio é coisa de vivos

Estou certo que você já foi alvo de um elogio e sabe muito bem o bem que ele te fez. Você se sentiu valorizado, validado, aceito e muitas vezes motivado a seguir em frente. Sinceramente, consumir um artigo inteiro para explicar o poder e a importância do elogio é simplesmente desprezar sua inteligência e sensibilidade. Ainda mais considerando que o desprezo é exatamente a antítese do elogio. Longe de mim isso. Pelo contrário, tenho certeza que você não só é inteligente como sensível (gostou de eu ter dito isso sobre você? ? eis o poder do elogio, caro leitor). Estou certo que você já foi alvo de um elogio e sabe muito bem o bem que ele te fez. Você se sentiu valorizado, validado, aceito e muitas vezes motivado a seguir em frente. Até porque, segundo o mais louco de todos os psiquiatras (desculpe, mas isso também é um elogio), Freud, ?nós temos defesas para todo e qualquer ataque, mas somos indefesos ao elogio?. É isso mesmo, normalmente o elogiado fica envergonhado, enrubescido, no popular ?sem jeito?.

O elogio, sendo sincero e oportuno, tende a aumentar o desempenho do colaborador, pois o faz mais crente em seu próprio potencial, dando-lhe liberdade para ir mais longe, ousar mais. Em síntese, o elogio reforça no colaborador a confiança de quem o elogia e, por tabela, alimenta positivamente sua auto-estima. Além disso, e o mais importante, é que o elogio fortalece o elo (ELOgio) e solidifica a relação de confiança mútua entre quem o faz e quem o recebe. E isso é inexorável na construção de times fortes e coesos. Outra coisa: só quem elogia conquista do outro o direito de criticá-lo, de exortá-lo. Se você não consegue enxergar as virtudes de alguém, pela mesma razão não consegue dar validade às suas críticas a ela. Lógico que existe o elogio sarcástico, cheio de ironia, ou ainda o demagógico, falso. Esses são impressionantemente destrutivos. Evite-os. Eles são bumerangues. Voltam para você e o atingem.

Ora, mas se elogiar é tão bom, tão lucrativo para as relações, para o desempenho e para a empresa, por que se elogia tão pouco? Onde residem as nossas dificuldades de elogiar, de louvar e reconhecer o valor e qualidades de alguém? É aqui que se encerra minha maior preocupação. Abaixo seguem algumas possíveis razões para não se elogiar. Veja se você se encaixa em alguma delas e se corrija, caso não queira ser motivo de críticas corretivas, e sim, alvo de elogios.

As pessoas não reconhecem nem expressam as qualidades do outro, ou seja, não elogiam…

    a) por medo de que isso signifique reconhecê-lo como melhor que elas;
    b) por medo que isso fortaleça muito o outro e comprometa sua autoridade sobre ele (no caso, se o outro for um liderado);
    c) por orgulho próprio, egoísmo e vaidade, uma vez que acham que são melhores em tudo;
    d) por vingança, uma vez que nunca foram elogiadas;
    e) por falta de discernimento e humildade em distinguir as qualidades do outro;
    f) por serem negligentes ou por ignorarem a necessidade da construção de relacionamentos fortes;
    g) por terem visão estreita do mundo, achando que somente elas são capazes de fazer as coisas bem feitas;
    h) por timidez.

Há ainda um aspecto engraçado sobre a etimologia da palavra elogio. Ela vem da expressão latina elogium. Pasmem, mas o significado de elogium é epitáfio, inscrição tumular. Isso mesmo, aquela lápide que normalmente traz declarações positivas e abonadoras do morto. Isso era chamado um elogium. Talvez esteja aí uma explicação para a dificuldade de se elogiar, uma vez que elogio era coisa que se fazia para morto e não para vivos. Pois saiba que se você não desenvolver, ainda em vida, a capacidade de elogiar, é provável que o único que receba seja aquele que estará em seu túmulo. E mesmo assim será falso. Seria cômico, se não fosse trágico.

Paulo Angelim
Palestrante nacional em marketing, vendas e motivação, autor de quatro livros ? www.pauloangelim.com.br

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima