Encontre sua fórmula de sucesso

Supere os obstáculos e construa sua história de sucesso

Um pianista que perdeu os movimentos de uma das mãos é ovacionado ao tocar Bach no Carnegie Hall. Uma premiada empresária se cura de um câncer, contrariando expectativas. Um homem que se torna o jogador mais baixo da NBA.

Essas e muitas outras histórias são contadas no livro O Sucesso Tem Fórmula? (Editora Campus/Elsevier) por Herb Greenberg – fundador e CEO da Caliper USA – e Patrick Sweeney – vice-presidente executivo da empresa. O que essas histórias têm em comum é a superação de dificuldades pessoais e profissionais que fizeram com que as pessoas encontrassem o sucesso. Os autores afirmam que não existe uma fórmula ideal, mas que cada um deve encontrar sua maneira de formular a busca pelo sucesso. Que tal começar os seus cálculos? Antes, atente para o conselho dos autores: “Para alcançar o sucesso, é preciso se perguntar – ‘Onde quero estar daqui a um ou dez anos?’ – para descobrirmos o que gostamos de fazer. Você precisa estar comprometido com alguma coisa, com o que está dentro de você, e não com algo externo”.

19 características do sucesso
Depois de pesquisas e entrevistas, os autores revelaram as 19 qualidades essenciais que tornam as pessoas extraordinárias:

1. Perseverança
2. Foco no objetivo
3. Autoconhecimento
4. Resiliência
5. Disposição para assumir riscos
6. Bom desempenho sob pressão
7. Otimismo
8. Empatia
9. Competitividade
10. Paciência
11. Poder de persuasão
12. Segurança
13. Paixão
14. Integridade
15. Confiança
16. Bom humor
17. Estar aberto
18. Criatividade
19. Coragem

Você também pode
O livro mostra histórias de empreendedores, astros dos esportes, inventores de produtos que se superaram por compreender o que os motivava. Eles conseguiram definir um senso claro de propósito, importância e realização pessoal no que faziam. Confira algumas histórias e inspire-se para construir a sua!

Paixão
O pianista brasileiro João Carlos Martins é um dos mais destacados intérpretes de Bach. A sua paixão começou na infância, quando aprendeu a tocar piano, mas aos 26 anos ele sofreu uma queda que o fez perder os movimentos da mão direita.

João Carlos entrou para o mundo do boxe e, ao ver um lutador de 36 anos conquistando um título, decidiu tentar novamente. Durante seis anos, interpretou Bach com toda sua paixão. Porém, a necessidade de praticar mais de oito horas por dia ocasionou uma lesão por esforço repetitivo e novamente João Carlos passou a perder a mobilidade. Depois de anos afastado dos palcos, ele decidiu que deveria voltar. Passou meses em tratamento e teve de fazer uma escolha: continuar tocando ou ter qualidade de vida. Optou por tocar até finalizar o projeto de gravar todas as obras de Bach para o teclado e realizar um concerto de despedida.

Assim que terminou a apresentação, fez uma cirurgia para cortar os nervos que causavam as dores terríveis. “Então eu soube que nunca mais tocaria – não com minha mão direita”, diz João Carlos que não abandonou mais a música e continua tocando com a mão esquerda.

Otimismo
Janet Lasley é proprietária da Lasley Construction, uma construtora premiada por realizar reformas inovadoras. Há sete anos, ela ouviu de um médico que sua estimativa de vida era de dois a três anos, pois estava com um tipo de câncer muito raro.

Depois do choque da notícia, Janet passou por diversos tratamentos e passou a viver todos os dias como se fosse o último. Aos poucos, foi se enchendo de uma força transformadora chamada otimismo: “Meu marido disse que posso pegar coisas aparentemente ruins e, após um período de tristeza, transformá-las em algo positivo. É o único jeito que tenho de lidar com a vida”.

Ela acredita que parte do que a fez superar os obstáculos se deve ao seu otimismo: “É possível que parte do meu otimismo seja quase ilusório, mas não há dúvida de que ele tem me auxiliado nessa dificuldade”. Hoje, Janet é uma empresária e uma mãe saudável.

Resiliência
Muggsy Bogues teve uma infância difícil, e o basquete se tornou a base de desenvolvimento de sua vida. Ninguém apostava que ele conseguiria realizar o sonho de jogar na NBA.

Passou por muitas dificuldades e precisou ser bastante resiliente para enfrentar os obstáculos e conseguiu ser convocado para a NBA. Ninguém acreditava que ele conseguiria, pois era baixo demais. “Todo mundo dizia: ‘Ele é baixo demais’. Falavam isso no primário, no ginásio, no colegial, na faculdade e na vida profissional.” No entanto, foi um dos escolhidos e, com 1,6 metro, enfrentou, em seu primeiro jogo, o gigante Magic Johnson com seus 2,1 metros de altura.

Muggsy se tornou o jogador mais baixo da história da NBA e atuou durante 14 anos pela liga. Ele acredita que o que o fez realizar seu sonho foi o fato de querer provar que os outros estavam errados.

Para saber mais:
Livro: O Sucesso Tem Fórmula?
Autores: Herb Greenberg e Patrick Sweeney
Editora: Campus/Elsevier

Publicação: MOTIVAÇÃO

Edição: 46 – Maio/2007

Conteúdos Relacionados

Dica número 1 de liderança em vendas

Volta e meia recebo perguntas como esta: “Raul, se você pudesse me dar só uma dica sobre como ser um gestor melhor, qual seria?”

Procuro evitar responder questionamentos como este porque eles costumam vir de alguém que está procurando um atalho ou uma pílula mágica, mas a verdade é que sempre existe mais de uma opção para resolver um problema ou desafio – por isso mesmo, buscar uma única ferramenta milagrosa raramente traz os melhores resultados.

Continuar lendo
Rolar para cima