Está na hora de reinventar a administração

Conheça os movimentos que, se analisados sumariamente sob a forma de seus efeitos, moldarão a gestão das empresas nesta entrada de novo milênio. Na década de 80, a Belprato era líder de um dos mais importantes nichos do mercado carioca do setor de alimentos. Em 1986, a Mesbla foi escolhida pela revista Exame como a melhor empresa do Brasil. Em 1990, a comunidade empresarial brasileira elegeu José Eduardo de Andrade Vieira, Mamede Paes Mendonça e Olacyr de Moraes entre suas cinco mais importantes lideranças. Até meados do primeiro qüinqüênio da década de 90, Metal Leve, Cofap, Brinquedos Estrela e Banco Nacional eram considerados símbolos de excelência. Os grupos Itamaraty, Fragoso Pires e Arbi eram então reconhecidos como ícones do verdadeiro empreendedorismo do século XXI.

O que essas empresas e empresários têm em comum? Além da óbvia dificuldade financeira que todos conhecem, elas eram geridas por pessoas capazes que usavam as mais modernas técnicas de gestão contemporâneas. Planejamento estratégico, qualidade total, reengenharia, kaizen, treinamento e desenvolvimento, encantamento do cliente, valorização dos funcionários, benchmarking. Enfim, tudo o que o dicionário da modernidade exigia fazer. Ninguém pensava negativo e, muito menos, queria quebrar. Algumas das principais empresas de consultoria do Brasil e do mundo eram contratadas para dar suporte às suas decisões. Longe de jogá-los na fogueira perversa da crítica, devemos usar seus exemplos como lições de aprendizado para ? acima de tudo ? aprendermos a desaprender e criar as bases de uma nova ciência da administração.

Sem a menor pretensão de cobrir mesmo uma pequena parte do que deve ser repensado, Marco Aurélio Ferreira Vianna, Presidente do grupo MVC ? Estratégia e Humanismo, entende que os movimentos a seguir apresentados, analisados sumariamente sob a forma de seus efeitos, moldarão a gestão das empresas nesta entrada de novo milênio:

1. Efeito Barings ? Dê toda a atenção ao improvável.

2. Efeito Bill Gates ? Tenha humildade para mudar sempre.

3. Efeito Arriortúa ? Produzir será cada vez mais uma tarefa automática.

4. Efeito Amway ? A estrutura do emprego será cada vez mais diferente.

5. Efeito TAM ? O cliente deverá estar em estado permanente de encantamento.

6. Efeito Dorothea ? As empresas precisam sorrir.

7. Efeito Bussunda ? Novos e heterodoxos concorrentes surgirão a cada momento.

8. Efeito Steinbruch ? Existe uma nova onda jovem de pensamento e estratégia.

9. Efeito Arbi ? Tenha foco naquilo que você tem condições de ser campeão.

10. Efeito Nowhy ? A artificialidade da era industrial tende ao extermínio.

O texto completo é exclusivo para os assinantes do Gestão em Vendas. Se você ainda não tem a assinatura, poderá fazê-la através do site: www.gestaoemvendas.com.br e começar a receber, na próxima semana, as edições completas.

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima