Fale sim, isso dá lucro

Aprenda a usar a voz de maneira eficaz e otimizar seus resultados Por Eudosia Acunã Quinteiro

O atendimento por telemarketing está marcado pelo destaque de que desfruta no relacionamento entre a empresa e seu público. A comunicação verbal é a mais antiga entre os seres humanos, e para que a palavra seja ouvida e atendida é preciso uma série de requisitos. Falar com seu público ainda é o fato mais urgente para qualquer empresa, independente do seu porte.

É preciso dizer, de maneira clara e objetiva, o que realmente deseja transmitir ao cliente. A solidez da empresa, sua imagem e idoneidade passam pelos ouvidos do cliente, o que é fundamental para manter um relacionamento saudável com o consumidor.

O operador de telemarketing ou teleoperador é o arauto, que realiza a ponte entre as duas partes interessadas: empresa e público. A voz e a fala desse arauto são de muita importância para construir credibilidade e, claro, gerar lucros. Na seleção de um teleoperador, é fundamental verificar alguns requisitos que incidem nos resultados:

&raquo Voz adulta ? As vozes infantis ou demasiadamente afetadas (graves ou agudas) não servem. A voz deve ser clara, encorpada e transmitir segurança.

&raquo Fala correta ? Sem modismos ou erros gramaticais, com muita atenção às concordâncias verbais e, definitivamente, sem gerúndios.

&raquo Saúde vocal ? A voz profissional não provoca ruídos de comunicação, como o excesso de nasalidade. A rouquidão, mesmo leve, é desagradável e compromete em muito o entendimento da mensagem. O cuidado com a sonoridade é imprescindível.

&raquo O corpo ? Corpo e voz trabalham em harmonia. O teleoperador deve sentar-se sobre os ísquios (bacia), com os pés bem posicionados para gerar ângulos retos no encaixe entre a coxa e o fêmur, nos joelhos e, em especial, no pescoço, condição fundamental para que o aparelho fonador possa trabalhar em paz.

&raquo Respiração ? É a base da fala e do bem-estar do corpo, mantendo-o em relaxamento. Recomenda-se o reflexo respiratório.

Atenção para o texto em script, por exemplo: quando o teleoperador lê um roteiro de confirmação de compra. Não há voz ou fala que possa dar suporte a um texto inadequado à função. O brasileiro gosta de conversar, e monólogos se tornam enfadonhos. Por fim, a comunicação por telemarketing é e sempre será um contato elegante.

Eudosia Acunã Quinteiro ? É autora do livro O Poder da Voz e da Fala no Telemarketing e organizadora da obra Um Sensível Olhar Sobre o Terceiro Setor. Ambos pela Summus Editorial.
E-mail: [email protected]

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima