Gestor de pessoas

Um gestor-problema, indeciso e autoritário, que ainda insiste em mandar em vez de facilitar as coisas, tem uma equipe insegura, sem garra. Como líder responsável pelo destino da empresa é o gestor quem define o direcionamento das coisas. Se a ênfase for a arrumação do local, todos se empenharão para que essa meta se materialize. Se for o abastecimento, teremos uma loja com poucas faltas, atendendo aos anseios do consumidor.

Se o gestor der maior atenção à venda e à qualidade do atendimento, os seus colaboradores demonstrarão grande capacidade de vender cada vez mais, além de trabalharem para conquistar a fidelidade dos clientes. O que se planta em terra fértil colhe-se em abundância.

Havendo orientação e cobrança para a organização, limpeza, eliminação de desperdício e preservação do patrimônio da organização, as pessoas responderão ao direcionamento do seu líder com empenho surpreendente. É o fruto do seu gerenciamento voltado para o crescimento das pessoas.

A influência do líder sobre o comportamento da equipe é tão grande que pode até alterar o humor e a atitude das pessoas. Gestor triste e desmotivado significa uma equipe com baixo-astral e indiferente aos resultados. Se otimista, confiante e motivador, todos estarão sempre com alto-astral e prontos para realizar os seus sonhos e os dos clientes.

Com um gestor que briga por melhores condições de trabalho e exige maior agilidade da direção geral, seja no atendimento das faltas de mercadorias ou demais necessidades do ponto-de-venda, a equipe sente-se segura e mais disposta a defender a causa da empresa. A valorização sincera opera milagres nas pessoas ? tenha certeza disso.

Para uma liderança que treina, cobra e orienta, os liderados reagem na mesma proporção. Aprendem com rapidez e repassam essa aprendizagem para seus colegas, irrigando o ambiente com os efeitos salutares do compartilhamento dos conhecimentos gerados no dia-a-dia. Ninguém mais pode ter o monopólio da informação dentro da empresa.

Um gestor-problema, indeciso e autoritário, que ainda insiste em mandar em vez de facilitar as coisas, tem uma equipe insegura, sem garra nem tônus vital para se renovar com a velocidade das mudanças. Um gerente-solução, que sabe valorizar os seus colaboradores, tem como resultado uma equipe proativa, com intuição e energia para agir preventivamente. Assim, ninguém precisa receber ordens, pois todos estão conscientes do que é preciso fazer. O comprometimento está acima do poder que o seu cargo representa.

Devido à importância do gestor em qualquer sistema produtivo, cabem aqui alguns questionamentos: qual é o seu direcionamento estratégico de gestão? Você valoriza e incentiva as pessoas ou fica arranjando justificativas e culpados, como o político que reclama do eleitor que não sabe votar?

Em que estilo de gerência você se enquadra? No do simples cuidador que se limita a manter as coisas sempre no mesmo padrão ou no do gerente-líder, que altera a situação atual, rompe as barreiras do medo e transforma os seus liderados em vencedores?

Quando acontece qualquer coisa diferente, os clientes perguntam: ?Quem é o gerente aqui??. Por isso, também pergunte ao gerente ou a si. Usando de toda a sinceridade ? ninguém consegue mentir para si ?, faça um exercício diante do espelho e comece um longo processo de aperfeiçoamento para ser o líder dos seus sonhos e dos seus colaboradores.

Se você não mudar a forma de trabalhar, os clientes mudam você. Não há mais lugar para gerentes cujo maior trabalho consiste em dar ordens. O mercado está saturado de especialistas em apertar botões, produzir relatórios e implantar controles. Mas falta gente para abraçar e apertar a mão das pessoas. Falta gente para promover o bom relacionamento, interno e externo. Falta gente para tocar o coração das pessoas. Faça isso, seja o profissional que o mercado precisa.

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima