Guerra Branca – O desafio da integração na empresa

Como direcionar o esforço da equipe para renovar o negócio, atender melhor o cliente e evitar a fofoca no trabalho? A presença do líder é fundamental. Ele deve indicar caminhos para transformar a energia da equipe em ações para conquistar clientes fiéis. Fofoca, o grande ladrão de energia na empresa – Lidar com gente parece ser a grande descoberta deste século. Não é para qualquer um mesmo. Pode parecer estranho, mas o maior problema em se falando de gente é a compulsão que as pessoas têm em fazer fofoca. Não dá para contar a quantidade de vezes que pessoas em uma empresa param tudo o que estão fazendo para falar de alguém. Se contabilizado, facilmente vai se encontrar que mais se faz isso na empresa que se investe tempo em se descobrir coisas novas, entender do que o cliente realmente precisa ou resolver problemas. Falar de alguém é a tarefa mais freqüentemente realizada em qualquer local de trabalho! Sem que seja necessário nenhum impulso motivador. É nato. É parte ativa do cérebro e do coração humano.

Não fale de, fale para – Por trás tudo se diz. Mas na hora de se falar diretamente para alguém o que se pensa dele, aí fica muito difícil. De chefe, todo dia, toda hora. De colegas, é para já. De clientes mais exigentes então… Como reverter ou pelo menos minimizar este quadro tão marcante em qualquer cultura? Afinal, fofoca é uma forma de comunicação muito mais antiga que a Internet. Como colocar em prática a regra mais forte de integração? Não fale de, fale para alguém. Se só isso acontecer na empresa muita energia vai ser economizada. Fácil? Não. Difícil. Mas perfeitamente possível: Guerra branca. Para iniciar a formação do pelotão de massacre ao desafio, algumas regras podem funcionar. A guerra branca é um composto de ações que o líder competente põe em prática no dia a dia. Vamos a elas:

O efeito desafio – O líder competente sabe que se algumas coisas desafiadoras forem propostas para o grupo, mais e mais as pessoas vão se focar no seu papel em superar o desafio. Sorte do líder que decide lutar a favor desse tipo de integração. Caixa baixo, market-share voando pela janela, concorrente à vista são guerras brancas que ninguém precisa criar. É só perceber. O líder competente, no entanto mantém clima de guerra branca de forma a prevenir que o cheiro de alguma guerra mais avermelhada tome conta do ar. Afinal se há alguma coisa que faz a empresa parar de fofocar, não é só excesso de trabalho. É desafio permanente.

O efeito colméia – Algumas fábulas a respeito das abelhas nos ajudam a compreender uma postura adequada na liderança de guerras brancas. Todos sabem que as abelhas aprendem a direção do alvo – o caminho das flores – através de sinais de corpo. Mais precisamente, movimentos sinuosos com a parte traseira do seu corpo. Pois bem, quem não quer sua equipe trabalhando como uma colméia? Integrada, focada nos seus objetivos e com todos fazendo o papel humilde de complementar a função que outros estão exercendo? Então trabalhe com o corpo.

Se faça presente. Caminhe. Agite. Indique caminhos. Sua atitude forte vai fazer com que todos se mexam. A direção será tão mais definida quanto você a tenha na sua cabeça. E mais ainda quanto mais energia você tiver usado comunicando a direção a todos. A cada movimento a colméia vai se sentir mais orgulhosa de estar vencendo o desafio. Para isso é vital que você não banque (em hipótese alguma) a abelha rainha e fique parado no seu canto.

O efeito departamento empresa – Se a direção está clara e a energia está forte, falta apenas transformar a energia em ações de conseguir clientes para sempre a custos que ele queira e muito pagar. É conseguir que todas as áreas se falem e combinem do que uns precisam para fazer serviços para outros que vão fazer para outros até chegarmos ao cliente final. Temos que combinar como o cliente vai se satisfazer pelo nosso trabalho e quanto ele está disposto a pagar por isto. Esta malha de gente se falando e combinando os acordos de serviço é a malha de empresas dentro da empresa. Cada departamento não é um mero departamento. É uma empresa. Com visão, alma, metas, compromisso com o seu cliente e, principalmente muito orgulho do trabalho que faz. Ao contrário daquele papo morno de área fim e área meio.

Os resultados – Com estas três variáveis funcionando, as técnicas funcionam. Leia qualquer livro, aplique qualquer das técnicas lidas no ambiente efervescente que você ajudou a criar e espere o resultado. Se ele não aparecer, cheque a qualidade e envolvimento do seu pessoal. Reveja a sua estrutura. Se ela for tão cheia de camadas como a composição da terra, repense a vida.

Conteúdos Relacionados

Dica número 1 de liderança em vendas

Volta e meia recebo perguntas como esta: “Raul, se você pudesse me dar só uma dica sobre como ser um gestor melhor, qual seria?”

Procuro evitar responder questionamentos como este porque eles costumam vir de alguém que está procurando um atalho ou uma pílula mágica, mas a verdade é que sempre existe mais de uma opção para resolver um problema ou desafio – por isso mesmo, buscar uma única ferramenta milagrosa raramente traz os melhores resultados.

Continuar lendo
Rolar para cima