Herbalife: sucesso no Brasil

Após dez anos de crescimento contínuo, a marca encontra-se consolidada na mente dos consumidores como líder no segmento de controle de peso e nutrição. Muitos ainda confundem o marketing de rede ou multinível com as fatídicas pirâmides, correntes e outros esquemas fraudulentos que prometem dinheiro fácil por aí. Mas a verdade é que esse sistema oferece oportunidades de negócios reais e vem sendo cada vez mais utilizado por grandes empresas como um poderoso canal de distribuição de produtos e serviços.

Criado por Carl Rehnborg, na década de 1940, como uma simples evolução do porta-a-porta, o marketing multinível se desenvolveu bastante e hoje é utilizado por cerca de 80% das empresas de vendas diretas do mundo, inclusive pelas gigantes Amway e Avon, líderes do setor. Segundo os dados da DSA (Direct Selling Association ? Associação de Vendas Diretas), 76,1% dos 29,7 bilhões de dólares movimentados pelas vendas diretas nos Estados Unidos, em 2004, vieram do marketing multinível. Portanto, isso já deixou de ser uma promessa ou tendência. Trata-se de um negócio consolidado, de enorme potencial e em franca expansão.

No Brasil, as dominantes Avon e Natura ainda apostam no tradicional modelo de vendas diretas mononível, mas desde a década de 1990, quando Amway, Herbalife, Nu Skin, Mary Kay, Forever Living e outras multinacionais bilionárias de multinível chegaram ao País, o setor de vendas diretas vem se rendendo à força da ?novidade?. Hoje, entre as 18 companhias que integram a ABEVD (Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas), metade já adota o multinível e muitas operam com sistemas híbridos.

A vantagem do multinível em relação ao tradicional modelo mononível é que o vendedor autônomo não fica restrito à atividade de revenda. Ele pode desenvolver suas habilidades de liderança, formar equipes e expandir os canais de distribuição da empresa, sem limites.

A maior operação brasileira ? Dezenas de empresas de marketing multinível já investiram em nosso mercado com relativo sucesso, mas nenhuma conseguiu se manter por mais de uma década, com resultados tão expressivos e crescentes quanto a norte-americana Herbalife.

Fundada em 1980 por Mark Hughes, a Herbalife International foi uma das pioneiras no ramo da nutrição celular, tendo como carro-chefe o seu ?Programa de Controle de Peso?, com alimentos ricos em fibras, vitaminas e proteínas. A empresa teve um rápido crescimento na América do Norte e Europa, chegando ao Brasil em 1995. A adesão foi imediata. Logo no primeiro ano de operação, a Herbalife do Brasil divulgou faturamento na ordem de cem milhões de reais, com 65 mil distribuidores independentes.

Desde então, os anúncios, panfletos, carros e broches da Herbalife tornaram-se referências comuns em nosso dia-a-dia. Após dez anos de crescimento contínuo, a marca encontra-se consolidada na mente dos consumidores como líder no segmento de controle de peso e nutrição. Já são mais de 130 mil distribuidores independentes fazendo da Herbalife a terceira maior empresa de vendas diretas do Brasil (atrás apenas de Avon e Natura) e a terceira operação da companhia no mundo (atrás somente de Estados Unidos e México). Números que comprovam a força do modelo multinível em nosso País.

Nada de dinheiro fácil ? Apesar de muitos que se envolveram na empresa terem acreditado na fantasia do dinheiro fácil, a Herbalife não é um esquema de enriquecimento rápido e sem esforço. Muito pelo contrário, ela oferece um dos planos mais rigorosos do multinível mundial. Ou seja, ao mesmo tempo em que é possível ganhar muito dinheiro através desse negócio, ninguém recebe os chamados royalties ou bônus sobre suas equipes já formadas se não estiver igualmente ativo, movimentando volumes de vendas consistentes junto à companhia.

A opção da empresa em reconhecer e bonificar apenas os que se mantêm produtivos, gera, na maioria desqualificada, sentimentos compreensíveis de frustração. Ao mesmo tempo, promove maior potencial de ganhos, reconhecimento e satisfação entre aqueles que desenvolvem o negócio profissionalmente.

As regras estão claramente detalhadas nos manuais que fazem parte do Kit Internacional de Patrocínio e deveriam ser lidas atentamente por todos os distribuidores, antes da assinatura do contrato de distribuição ou qualquer pedido de produtos. Ocorre que o entusiasmo gerado pelos eventos e a sensação de urgência em participar da oportunidade podem levar alguns a tomarem a decisão de investir no negócio sem o devido conhecimento.

Para evitar que isso aconteça, é preciso ter consciência dos riscos envolvidos. Apesar do baixo investimento inicial, o marketing multinível é um negócio como outro qualquer, que exige do empreendedor muito mais que o desejo, exige também o compromisso de buscar resultados.

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima