Lições de quem acabou de decolar

As lições de uma pequena empresa aérea A rota Londres/Nova York é uma das mais movimentadas do mundo. Não faltam opções de linhas aéreas que oferecem esse translado, por isso é impressionante que uma pequena linha com apenas sete aviões consiga manter uma média de 80% de assentos ocupados durante seu primeiro ano de funcionamento ? 30% desses passageiros são pessoas que já voaram pela companhia e querem repetir a dose.

A Silverjet opera em apenas duas rotas: Londres/Nova York e Londres/Dubai. Segundo Tim Buckman, vice-presidente da empresa, ela não tem interesse em expandir o negócio, pois conhece seu nicho e sabe em que tem sucesso: ?Servimos viajantes de pequenas e médias empresas, pois esse é um grupo que não é tratado tão bem como deveria pelas outras companhias. É aí que entramos e atuamos?.

Segredo do sucesso ? Ao iniciar a Silverjet, seus sócios se perguntaram: o que faremos para atender todas as necessidades dos passageiros que viajam de classe executiva? Como podemos reduzir o estresse deles?

?Faz um ano que tentamos responder essas perguntas?, diz Tom. Isso inclui:

» Seu próprio terminal no aeroporto de Luton, em Londres, e salas de espera VIP ao lado do check-in nos outros dois aeroportos em que atua.

» Facilidades na hora de passar pela inspeção de segurança e detecção de metais. A companhia cuida de sua bagagem de mão e tem funcionários a postos para direcionar você para a fila mais curta.

» Contratação de pessoas jovens e entusiasmadas, um uniforme mais solto ? longe do estilo gravata e terninho das outras empresas.

» Cada avião tem capacidade para cem passageiros e uma tripulação de dez pessoas treinada para chamar os viajantes pelo nome.

Em suma, diz Tom, queremos que os passageiros se sintam o mais próximo possível da experiência de voar em um jatinho particular. Não há nenhum programa de fidelidade ou CRM explícito na empresa, ela apenas passou a dar uma passagem gratuita para quem compra dez passagens de ida e volta. Entretanto, os funcionários usam bastante o bom senso, como no caso do passageiro que teve seu pote de marmite (gororoba marrom que os ingleses adoram passar no pão e torradas) confiscado pela segurança do aeroporto em Nova York. Ao perceber isso, a equipe da Silverjet foi a um loja especializada em produtos britânicos e, em pouco tempo, enviou ao passageiro um novo pote em seu quarto de hotel.

Conteúdos Relacionados

Show must go on

Show must go on

Hoje ia escrever sobre a morte do vendedor B2B, change management e a mudança brutal que vem forçando equipes de vendas a se adaptarem. Mas,

Continuar lendo

Pin It on Pinterest

Rolar para cima