Lincoln Gomes da Costa – O crupiê das vendas

Se você leu a seção Supervendedor deste mês, sabe por que Lincoln Gomes da Costa, 29 anos, é o crupiê do grupo Morena Rosa. Há quatro anos atuando como representante da grife paranaense no estado do Rio de Janeiro, esse profissional aposta todas as suas fichas no atendimento diferenciado aos clientes. Em entrevista exclusiva à VendaMais, ele conta um pouco sobre sua história, desafios e sugestões de vendas. Ah… não esqueça de olhar as dicas do Lincoln para se tornar um supervendedor, pois, quem sabe, uma grande idéia possa surgir desta entrevista. Boa leitura!

Quando você iniciou sua carreira de vendedor?

Aos 13 anos, vendendo roupas em um shopping. Depois, fui trabalhar na loja de carros importados do meu pai. Após alguns meses, senti a necessidade de sair da “barra da calça do papai” e iniciei uma longa empreitada, passando por várias agências de carros, como: Toyota, Volkswagen, Ásia Motors e Audi.

Essas mudanças aconteciam de acordo com minha necessidade e iniciativa de buscar melhores oportunidades para crescer na área de vendas. Um dos meus objetivos era encontrar empresas que valorizassem meu trabalho como vendedor e me dessem condições para expandir.

A Audi foi a última companhia de carros onde trabalhei. Certo dia, vendi um automóvel para o senhor Marco Franzato, diretor-presidente do grupo Morena Rosa. Como também é um caça-talentos, convidou-me para trabalhar na organização. Topei o desafio e já estou lá há quatro anos como representante da marca no estado do Rio de Janeiro

Quais foram as dificuldades encontradas no começo?

A pouca idade foi a maior. Apesar da habilidade de negociar, existia um preconceito em relação à idade, pois eu era muito novo para tanta responsabilidade. As pessoas não queriam me dar confiança, mas fui persistente.

Como você superou essa dificuldade?

De uma forma muito engraçada: sempre me vestia de roupa social, de um jeito mais sério e procurava manter uma postura serena e equilibrada para ganhar a confiança das pessoas. Não podia errar, pois qualquer falha seria considerada fruto da minha imaturidade. Foi preciso muita determinação e dedicação para superar esse preconceito.

Como você faz para conquistar um novo cliente?

Hoje, a Morena Rosa tem um produto muito desejado, por isso procuro qualificar bem meu cliente, buscando sempre as lojas que possuem ótima aparência, equipe bem treinada e proprietário de visão.

O que você faz para superar as objeções dos clientes?

O supervendedor tem de ter sensibilidade para perceber o porquê da objeção, pois pode ocorrer devido ao preço, produto, concorrência ou o cliente não está mesmo em um “bom dia”. Algumas vezes, ocorrem para testar o profissional de vendas, pois o consumidor quer ter certeza de que você está preparado para vender determinada coisa, por isso o conhecimento do produto, mercado e principalmente do seu cliente é fundamental para rebater qualquer objeção.

Para você, quais são as características de um supervendedor?

Determinação e motivação. Tenho um lema que levo para minha vida e acredito que o supervendedor também deva segui-lo: ?Aprender, crescer e mudar todos os dias?

Para você, o que um vendedor comum precisa fazer para se tornar um supervendedor?

Já se foi o tempo do “não estudou, não deu para nada, vai ser vendedor”. O mercado de hoje mudou, está mais exigente, não aceita falhas nem amadores. Todos os empresários querem supervendedores em suas equipes. Então, se você ainda não é um, não perca mais tempo, sugiro que busque qualificação e aprendizado. Leituras, cursos e, acima de tudo, amar o que se faz são um ótimo caminho.

Quais são seus próximos objetivos profissionais?

O meu objetivo imediato é fazer com que as marcas do grupo Morena Rosa, Zinco e Maria Valentina se tornem as mais vendidas no Rio de Janeiro. Também tenho como meta profissional o desafio de ser o primeiro lugar absoluto de vendas em minha empresa, que tem 34 representantes e muita gente boa com bastante tempo de casa.

Quais são suas dicas para aqueles que desejam alcançar o sucesso na área de vendas?

As pessoas estão perdendo a capacidade de sonhar. Os jovens têm muitos desejos, mas poucos sonhos. Desejos não resistem às dificuldades, sonhos são projetos de vida e sobrevivem a tudo, até ao caos. Recomendo que você, vendedor, sonhe grande, trace metas audaciosas e busque atingi-las com determinação. O sonho é o combustível do supervendedor, portanto, nunca desista de seus sonhos.

Colaboração: Mateus Redivo

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima