Luis Paulo Luppa

Luis Paulo Luppa ensina como fazer a diferença Famoso por propagar os conceitos do vendedor Pit Bull e da Tropa de Elite, Luiz Paulo Luppa apresenta sua nova obra vinda diretamente do Oriente, o DVD Como Transformar seus Colaboradores em Verdadeiros Guerreiros.

O DVD nasceu de uma turnê de palestras feitas por Luppa em diversas cidades do Japão, em 2007. ?Quando estava lá, percebi como os japoneses são disciplinados e determinados. Decidi fazer o produto para as empresas mostrarem aos seus funcionários como podem fazer toda a diferença numa organização?, conta.

Graduado em Direito e pós-graduado em Marketing, Luppa se realizou na área de vendas. Foi vendedor porta a porta, gerente, diretor, vice-presidente e presidente de importantes organizações nacionais e internacionais. Atualmente, é empresário, escritor e palestrante. Em maio, recebeu no Japão o prêmio Palestrante Brasil Japão 2008. Autor de mais de sete livros, é um dos grandes nomes quando o assunto é vendas.

Na entrevista concedida com exclusividade à revista Motivação, Luppa abre o jogo e conta por que ser um profissional guerreiro faz toda a diferença para a empresa e sua carreira. Leia e descubra como se tornar um.

Como você se sentiu com o reconhecimento de seu trabalho ao receber o prêmio Palestrante Brasil Japão 2008?

Fiquei lisonjeado. Recebi um convite oficial da embaixada brasileira no Japão para ser o palestrante representante do Brasil nesse evento, no porto de Kobi (de onde saiu o primeiro navio com imigrantes japoneses para o Brasil, há cem anos).

O seu novo DVD traz um pouco da cultura oriental para o Brasil. O objetivo é conscientizar os profissionais que para fazerem a diferença na empresa e na carreira precisam agir como guerreiros. O que é um colaborador guerreiro?

É aquele profissional que faz a diferença. Sua palavra-chave é comprometimento. Ele se envolve com a missão da empresa de verdade e procura entender qual é a estratégia e o dever a cumprir da organização para poder praticar isso no seu dia-a-dia.

Muitos profissionais acreditam que se atentar à missão é função apenas da empresa. O colaborador guerreiro pensa diferente?

É claro que a empresa precisa se empenhar e incentivar, mas é dever do profissional também conhecer e praticar a missão. Valores e missão são os pontos estratégicos da organização. Não dá para falar sobre o que não sabe. Tanto que se você prestar atenção, verá que os funcionários que crescem e se destacam são os que não ficaram esperando e foram em busca de conhecimento. Se o profissional é um colaborador guerreiro que tem como a palavra-chave comprometimento, estará sempre preocupado com a missão e os valores da empresa, e não somente com tarefas. Esse comprometimento dá trabalho e resultados positivos também.

E qual é a diferença nos resultados do profissional comum para um colaborador guerreiro?

Na minha opinião, o que faz a diferença entre o sucesso e o fracasso é a atitude das pessoas. Quando eu vejo um cara de muito sucesso, pergunto como é o seu dia-a-dia. Ele conta que começa a trabalhar às 7 horas, e às 21 horas ainda está estudando. Não defendo que a pessoa deve viver só para o trabalho, mas também não dá para ter sucesso sem esforço. O profissional não pode querer ganhar mais, trabalhando e se esforçando menos. Mas as pessoas desejam coisas que já estão prontas, não querem ter esforço, porém acredito que é esse esforço extra que faz com que elas deixem de ser mais um na multidão.

É possível ter qualidade de vida e ser um profissional guerreiro com o que você chama de esforço extra?

O profissional que coloca em prática o esforço extra não pode se desconectar de sua profissão depois das 18 horas. No entanto, não quero dizer com isso que a pessoa deve pensar 24 horas no trabalho. É preciso ter vida pessoal também, mas a gente está num mundo globalizado e temos muitas ferramentas para continuar pensando na vida profissional em todos os momentos. O colaborador guerreiro está antenado com tudo, porque as oportunidades surgem a qualquer instante, não têm hora marcada. Quando está ligado, você vê as oportunidades de maneira diferente. Isso é esforço extra, o algo a mais que você faz e que muda vertiginosamente sua carreira.

De que maneira um profissional que faz o algo a mais (o esforço extra) é visto pelas empresas?

Quanto mais um profissional agregar conhecimento e esforço, mais preparado e competitivo ficará. O esforço extra também inclui investir em seu desenvolvimento: ler um livro, fazer um treinamento, conversar com pessoas que agregam valor, etc. Ainda não inventaram sucesso em sistema delivery. Se você quiser obtê-lo, não adianta esperar que entreguem em sua casa. Você precisa correr atrás do que quer.

Ao mesmo tempo que vemos poucos profissionais tendo o esforço extra, também é muito normal encontrar gente reclamando da vida. Qual é o seu conselho para essas pessoas?

Quem está reclamando não gosta do que faz. Se você deixa a vida levá-lo, vai acabar em qualquer lugar. As pessoas não podem ficar esperando melhorias só da empresa. Devem investir em si próprias, até porque a organização só vai investir em quem se mostra interessado em evoluir. Isso é uma questão de comprometimento com elas mesmas. Eu tenho uma satisfação pessoal muito grande com meu trabalho, por isso consigo passar tanto tempo longe da minha família. Se as pessoas entendem esse fato, ficam mais motivadas e têm um desempenho melhor. Quando isso acontece, existe gente que acha que é sorte, mas não é. A questão é descobrir seu talento e depois lapidar e exercitar.

Você tocou num ponto muito importante: descobrir o talento. Muita gente tem dificuldade para fazer essa descoberta. Como você encontrou o seu?

Eu era um cara bem-sucedido, mas quando lancei meu primeiro livro descobri meu verdadeiro talento. Depois que terminei de escrever, vi o sol nascer e comecei a conversar com Deus. Perguntei por que Ele não mostrou isso antes para mim. Por que esperou eu fazer 40 anos? Depois de refletir, percebi que não foi Ele que me mostrou, fui eu quem descobriu. E para qualquer um encontrar seu verdadeiro talento é necessário parar e fazer uma grande reflexão. Foi a partir daí que encontrei meu talento e verdadeiro caminho. Eu entendi que nasci para ser um comunicador, mas não conseguia fazer isso antes porque estava fechado no meu quadrado. As pessoas que dão certo são as que conseguem sair do quadrado e pensar estrategicamente. Se eu tivesse tirado um tempo para pensar nisso antes, teria descoberto meu talento há mais tempo. As pessoas não investem em seu maior patrimônio, que é sua vida, nem sabem qual é sua real missão. Esse é o grande desafio dos profissionais. E depois, é claro, é preciso lapidar e se aprimorar, pois não adianta treinar seus pontos fracos.


Para saber mais:

DVD: Como Transformar seus Colaboradores em Verdadeiros Guerreiros
Autor: Luis Paulo Luppa
Editora: Resultado
Visite o site: www.luispauloluppa.com.br

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima