Marca – parte 2

Sem perder tempo, seguem as dicas sobre como construir uma marca sem gastar dinheiro à toa. A dica um está no artigo anterior. 2. PACC – Pensar e Agir Como Cliente ? sempre. Se colocar no lugar dele, falar com ele para saber como ele se sente. Esse exercício é mais difícil de se fazer quanto mais o negócio se solidifica. O processo é meio estranho. Quando o negócio é iniciado há muita insegurança. As coisas evoluem e quanto melhor o resultado, a gente se sente cada vez menos inseguro. Só que num momento qualquer essa insegurança que vira segurança vira onipotência. Aí tudo se reverte contra nós. Vide as IBM, Xerox, Mesbla da vida. Elas começaram a piorar exatamente no instante seguinte a que estavam no topo. Aí vem o segundo item…,

3. Humildade ? Marcas de sucesso têm que se comportar como se fossem segundo lugar sempre. Nunca parar de querer melhorar. Sempre achar que dá para ser um pouquinho diferente amanhã do que se é hoje. Parece engraçado que humildade lembre inovação. Mas falta de humildade está muito associada a estagnação. Pode ter certeza.

4. Ser muito competente ? Esqueça que empresas familiares são melhores ou piores que empresas não familiares. Deu na Veja:
– 75% das companhias em países industrializados são comandadas por famílias. Uma média parecida com a brasileira
– Um terço das 500 maiores empresas do planeta listadas pela revista americana Forbes é familiar
– Famílias tradicionais controlam 43 das 100 maiores companhias italianas. Clãs também comandam 26% das maiores empresas francesas e 17% das alemãs
– As companhias familiares empregam entre 50% e 60% da força de trabalho dos países industrializados.

Só mantenha no seu grupo pessoas muito competentes. Para tanto procure muito antes de contratar qualquer pessoa. E desenvolva as que estiverem na sua empresa continuamente.
A melhor forma de ajudar alguém a se desenvolver é desafiar e acompanhar. Todos os dias…

5. Gente integrada ? A maioria das empresas que constróem o futuro dos seus mercados não tinham apenas gente competente. Tinham gente competente que se integrava na causa da empresa. Desde o Porcão no Rio até a Disney no mundo. Um ajudando o outro. Sempre. E as ações do dia a dia acabam se sucedendo no caminho do sucesso. Gente integrada tem que ter líder integrador. A natureza do ser humano é a competição. Por vezes essa competição faz com que todos percam a noção de quem é o competidor. Já vi empresas onde algumas filiais patrocinavam festas regadas a cervejas geladas porque passaram a venda da outra filial. Claro que ninguém sabia como estava a venda do concorrente. Aí prevalece o dormindo com o inimigo.
Fácil? Não. É só olhar para o lado e ver quantas marcas novas aparecem. E quantas somem. Siga as dicas. E comemore…

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima