Marketing: não saia de casa sem ele!

O marketing ajuda a aumentar as vendas, a fortalecer o nome da marca e é fundamental para o sucesso das corporações. Não saia de casa sem ele! Quando você acordar de manhã, pense em Deus e no marketing. Em Deus porque Ele fornece a paz e no marketing porque ele fornece as armas para você conquistar seu espaço sem estresse. Sendo um guerreiro com paz você convence e vence. Há vários tipos de marketing: o pessoal, o político, o industrial, o agrícola, etc. Há até o marketing para organizações que não visam ao lucro. Você pode até não saber o que é marketing, mas ele sabe quem é você. Ninguém tem tanta personalidade ou tanto caráter que não acabe fisgado por algum pedaço de tática de marketing.

O marketing do papa Bento XVI e do bispo Macedo ? A Igreja Católica foi inteligente porque ela reinventou o marketing. Você conhece uma logomarca mais famosa que a cruz? (era o peixe, símbolo do cristianismo). Você já ouviu falar de uma mídia não eletrônica nem impressa mais poderosa que o sino que alcançava a aldeia global toda? Nem a Globo hoje pega a aldeia global, mas o sino atingia. Já viu uma mística de embalagem melhor que a batina? Ou um departamento de pesquisa melhor que o confessionário, onde o padre sabia de tudo ?

O bispo Macedo foi mais que inteligente, ele foi sábio ? as pessoas não queriam mais missa em latim, queriam ter fé em ação. E criou a Igreja Universal. Eu não quero discutir questões teológicas e o porquê de eu achar que ele está errado ou certo, quero apenas descrever o cenário. Marketing é isto: descrever cenários. Nem sempre a empresa pode alterá-los, mas ela pode mudar suas armas para obter mais resultados.

O que é e o que não é ? Marketing é mais que relações de trocas ou administração da criatividade. É mais que o casamento dos 4 As com os 4 Cs, com os 12 Ps sob o testemunho dos 9 Os.

Marketing não é departamento, é toda a empresa. Tudo na organização moderna deve se reportar ao vice-presidente dessa área, como também ao vice-presidente de RH. Marketing que não leva em conta a postura dos profissionais de toda a organização é apenas um plano de ação programado para falhar. Hoje, marketing vencedor é a empresa pensar assim: estratégia em cima e motivação em baixo. O encontro desses dois faz surgir um casamento, cujo resultado é um filho lindo: o sucesso inevitável.

O que fazer para o marketing dar certo ? É preciso saber o que acontece lá embaixo, na base daquela pirâmide que impactua o sucesso empresarial onde estão as pessoas dos contatos diretos com os clientes. Esse sucesso começa quando os diretores recrutam gente que goste de gente.

Você conhece um dos principais motivos por que as empresas fracassam? Porque elas pensam assim: ?Eu quero selecionar perfis vencedores, funcionários que sejam seta e não círculo, que tenham alfabetização emocional, capital moral, intelectual e social, que sejam resilientes?, mas elas esquecem de fazer duas perguntas essenciais: as pessoas contratadas gostam de gente? Elas saberão transformar clientes em nossos vendedores?

Ou, usando uma linguagem americana: nossos funcionários saberão transformar suspeitos (que querem comprar) em prospects (compradores) e estes em clientes (que já compraram de nós pelo menos uma vez), em fregueses, fãs e adeptos (os que vão comprar sempre e nos recomendar)? Para que isso aconteça, é preciso que você acredite em pessoas que acreditam nelas.

Entenda: na era da sedução, o cliente está em segundo lugar. Hoje, se fala muito em deslumbrar, seduzir, encantar consumidores. Mas em primeiro lugar estão os funcionários, porque funcionários encantados encantam clientes desencantados.

O marketing sábio e o maior erro dos marqueteiros ? Sabe qual é o marketing sábio? É saber onde ele começa e não saber onde termina. O marqueteiro cognitivo centrado apenas no conhecimento sabe onde o marketing começa: na estratégia, no levantamento de cenários de micro e macroambiente, nos exercícios de futurologia para definir cliente potencial, etc.

Se você perguntar ao marqueteiro cognitivo o que é marketing, ele vai dizer: ?É a arte de transformar demanda latente em evidente?. Todo mundo sabe onde ele começa: na necessidade do cliente. Mas os marqueteiros que se alimentam apenas da informação esqueceram onde termina ? na postura do pessoal da área comercial, ou seja, na atitude. Marketing que não leva em conta a postura dos profissionais de toda a empresa é uma carta de intenção programada para falhar.

O maior engano do marketing não sábio ? Tem gente que pensa assim: ?Eu preciso ser original, pois fora da originalidade não há vida e salvação; eu preciso dar à luz uma idéia 100% autêntica. Ora, só o Eterno é capaz de criar matéria da não-matéria. Novidade é a moda antiga redescoberta e reinventada. Essa idéia de ser sempre original assassina a inovação, porque o homem deixou de ser descobridor do conhecimento e passou a ser seu inventor.

Use o benchmarking: troque a técnica pela ?chupotécnica? e o copyright pelo ?chuporáit?. Pegue o que está por aí e originalize. O cara mais original que conheci foi o que pegou a borrachinha e colocou na ponta do lápis.

Enfim, não importa se você ainda é convencional ou original. Não saia de casa sem o marketing.

Conteúdos Relacionados

Dica número 1 de liderança em vendas

Volta e meia recebo perguntas como esta: “Raul, se você pudesse me dar só uma dica sobre como ser um gestor melhor, qual seria?”

Procuro evitar responder questionamentos como este porque eles costumam vir de alguém que está procurando um atalho ou uma pílula mágica, mas a verdade é que sempre existe mais de uma opção para resolver um problema ou desafio – por isso mesmo, buscar uma única ferramenta milagrosa raramente traz os melhores resultados.

Continuar lendo
Rolar para cima