Matriz SWOT – GV n. 136

A Matriz S.W.O.T


 

A matriz SWOT é uma ferramenta usada no planejamento estratégico, que permite encontrar as forças e fraquezas de uma empresa bem como as oportunidades e ameaças de mercado. A sigla vem do inglês, já que o criador foi Albert Humphrey, professor de Stanford:

 

S = strengths (forças) – análise interna, dentro da empresa.

W = weaknesses (fraquezas) – análise interna, dentro da empresa.

O = opportunities (oportunidades) – análise externa, fora da empresa.

T = threats (ameaças) – análise externa, fora da empresa.

 

O que torna a matriz SWOT interessante é que, ao organizar os esforços e discussões, você pode descobrir as oportunidades de mercado que a sua empresa está preparada para aproveitar. Ao mesmo tempo, ao entender melhor as suas fraquezas, você também se prepara para lidar de maneira proativa com as possíveis ameaças.

 

Uma boa matriz de priorização começa, antes de mais nada, com a definição de um objetivo estratégico. Esse foco permite que a ferramenta seja melhor direcionada e fique bem mais prática. Assim, fica bem mais fácil entender o porquê da SWOT:

 

Strengths– forças: atributos e características da sua empresa que podem ajudá-lo a atingir seus objetivos.

 

Weaknesses– fraquezas: atributos e características da sua empresa que podem atrapalhá-lo na busca dos seus objetivos.

 

Opportunities– oportunidades: condições fora da empresa que podem ajudá-lo a atingir seus objetivos.

 

Threats– ameaças: condições fora da empresa que podem atrapalhá-lo na busca dos seus objetivos.

 

O uso criativo e eficaz da SWOT também depende do que se chama de time multifuncional – ou seja, pessoas de diversas áreas dentro da empresa, cada uma com seu ponto de vista, ajudando a cobrir todos os pontos importantes.

 

Uma vez definido o objetivo, esse grupo se reúne para ajudar a identificar os fatores internos (forças e fraquezas) e os fatores externos (oportunidades e ameaças) que podem impactar a busca de resultados.

 

Exemplos:

 

Forças e fraquezas:

* Recursos – financeiros, intelectuais, humanos, tecnologia;

* Atendimento ao cliente

* Eficiência

* Infra-estrutura

* Qualidade

* Administração

* Preço e custo

* Capacidade de produção

* Logística

* Força da marca

* Ética

* Marcas e patentes

* Reputação

* Relacionamentos, etc.

 

Oportunidades e ameaças:

* Políticas

* Tendências de mercado

* Fusões e alianças

* Expectativas dos sócios

* Tecnologia

* Mudança de opinião pública

* Ações dos concorrentes, etc.

Algumas perguntas para ajudá-lo a organizar uma matriz SWOT. Não pretendo aqui criar uma lista completa, mas ajudá-lo a começar. Complete as questões conforme achar adequado para sua própria realidade.

 

Forças:

  • Quais são as vantagens reais, claras e concretas que a nossa empresa tem sobre os concorrentes?

  • O que sabemos fazer melhor do que nossos concorrentes?

  • Quais os recursos que temos disponíveis que nossos concorrentes não têm?

  • O que o mercado diz que temos de ponto forte?

 

Fraquezas:

  • Quais vantagens reais, claras e concretas que os nossos concorrentes têm sobre nós? O que precisamos melhorar?

  • O que nossos concorrentes têm feito melhor do que nós?

  • Nossos concorrentes têm acesso a algum recurso que nós não temos?

  • O que o mercado diz que os concorrentes têm de ponto forte?

 

Oportunidades:

  • Aconteceu alguma coisa no mercado que nos abre uma porta?

  • Aconteceu alguma coisa com os concorrentes que nos abre uma porta?

  • Os concorrentes cometeram algum erro que nos abre uma porta?

  • Existe alguma demanda nova ou não atendida por parte dos clientes?

 

Ameaças:

  • Aconteceu alguma coisa no mercado que nos ameace?

  • Aconteceu alguma coisa com os concorrentes que nos ameace?

  • Existe alguma demanda nova ou não atendida por parte dos clientes?

  • Existe algum novo produto ou serviço que nos ameace?

 

Como toda ferramenta, a matriz SWOT também tem algumas deficiências. Então, fique alerta para

evitar estes erros mais comuns quando for desenvolver a sua:

 

Erro 1– Não estabelecer um objetivo claro e definido a ser atingido. A SWOT só deve ser feita quando você já tem um objetivo. O resultado desse erro é, geralmente, um trabalho acadêmico de fazer uma lista totalmente ineficaz e pouco prática.

 

Erro 2– Confundir oportunidades (externas) com forças (internas). Seja muito rigoroso ao questionar se algo que você julga uma “força” é realmente algo que vocês fazem muito melhor do que os outros, ou se é apenas uma reação, das condições externas favoráveis. Isso é comum com equipes de vendas que arrasam de vender quando seus produtos são únicos no mercado. Acham que vendem bem por causa da “competência”. Aí surgem concorrentes mais baratos ou com características inovadoras e, de repente, se descobre que não são tão competentes assim.

 

Erro 3– Por ser uma lista, a SWOT não define as estratégias a serem usadas para alcançar um objetivo. Ela apenas lista os fatores internos e externos que podem ajudar ou atrapalhar. Mas lembre-se que são esses fatores que vão lhe dar mais condições de planejar e executar as estratégias.

 

Erro 4– Não definir bem os fatores. Por exemplo: dizer que “tendência de mercado” é uma oportunidade. Qual tendência? Por que influencia? De onde ela vem? Para onde vai? Você tem números para provar? Defina muito bem os fatores, para que não haja dúvida de que realmente são importantes.

 

Erro 5– Seja específico para sua empresa. A SWOT da sua empresa deveria ser diferente da SWOT de qualquer um de seus concorrentes, pois sua empresa tem características próprias, mesmo competindo no mesmo mercado.

 

Fontes:

Swot Analysis, Harvard Business School

Strategic Thinking, Simon Wooton & Terry Horne,

www.wikipedia.com          www.mindtools.com

www.businessballs.com     www.quickmba.com

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima