Medo! Qual é o poder dessa palavra na sua carreira?

Como lidar com o medo?

Maria Lúcia conta que no primeiro mês trabalhando num call center atendeu um cliente e começou a falar sobre a necessidade de ele comprar vários produtos da empresa. Ao fim, quando somou o pedido, pensou duas vezes antes de dizer o valor, pois ela ficou com medo de perder sua primeira grande venda. Mas respirou fundo e delicadamente avisou que a conta tinha dado R$2,5 mil. “De repente, ficou um silêncio e pensei que ele brigaria comigo ou, então, acharia que eu o tivesse enrolado, mas isso não aconteceu, ele aceitou pagar o valor e hoje é um de meus maiores clientes”, afirma.

 

Anderson Henrique da Silva conta que, no início de sua carreira, tinha medo até de atender o telefone da empresa. A falta de experiência poderia atrapalhar qualquer venda dele e, por isso, evitava entrar em contato com os clientes. “Esse sentimento foi diminuindo com o passar do tempo, do surgimento da experiência no ramo, de treinamentos na empresa e da minha própria pesquisa na internet, em livros de vendas (técnicas), etc.”, complementa.

 

Já Ana Luiza conta que, por falta de trabalho, foi ser vendedora em um shopping. No primeiro dia, para sua infelicidade, ficou sozinha na loja. “Foi horrível, rezava para que não entrasse cliente algum na loja, eu estava desesperada. Foi só eu pedir que não entrasse que, de repente, apareceram três clientes ao mesmo tempo. Não sabia por onde começar, fiquei gaga e morrendo de medo de perder os clientes. Foi então que falei a verdade, expliquei que era meu primeiro dia e eles entenderam e, como já frequentavam bastante a loja, até me ajudaram com as coisas”, relata.

 

O que você encontrou em comum entre os três vendedores acima? Concorda que em algum momento da vida profissional eles sentiram medo de fazer algo?

 

Geralmente é assim, o medo aparece e, às vezes, você não sabe o que fazer nem como agir e devido a ele pode perder boas chances!

 

Como ele surge?

A nossa mente de maneira inconsciente é atemporal, ou seja, ela não tem passado nem futuro. O que acontece, muitas vezes, e faz com que você sinta medo é o fato de lembrar algo ruim que ocorreu em uma fase de sua vida.

 

Vamos supor, por exemplo, que você não goste de andar de avião porque tem medo de altura. Se voltar ao seu passado, encontrará algum motivo que tenha deixado você “traumatizado” com a possibilidade de viver isso novamente. Ou imaginemos que seu medo esteja relacionado a algo que nunca fez na vida, como foi o caso da vendedora Ana.

 

 A psicóloga Rosemeire Zago, explica em artigo que, além dos perigos iminentes e reais, nossos temores podem aparecer devido às associações que fazemos ao longo da vida. “O medo de que não irá conseguir é muito comum e acaba interferindo diretamente na autoestima, no amor-próprio e na autoconfiança. Uma pessoa que deixa de agir por medo de não conseguir, não acredita em sua capacidade, e assim está perdendo também a oportunidade de reverter todo esse quadro”, comenta.

 

E, se não pararmos para aprender a lidar com o medo, realmente perderemos a chance de fazer com que ele esteja do nosso lado.

           

Parte útil do medo

Para o fundador do Instituto Eu posso! e master practitioner em Programação Neurolinguística (PNL) Ricardo Ventura, o medo com certeza traz coisas boas, basta darmos esta conotação a ele: “O que acontece é que a sensação do medo é uma reflexão de uma comunicação inconsciente, em que ele está dizendo: ‘Ei, há algo perigoso aí, cuidado’”.        

 

Ele acrescenta que, quando o medo surge, parece que vem uma “vozinha” interna com ele dizendo:“Você não é capaz de fazer isso! Você não pode fazer isso! Você não merece isso”. E é aí que as pessoas param e ficam acreditando que não podem realmente, mas o recado é para avisar que há algo para acontecer. “Pare e pense: oba existe uma grande oportunidade aqui e meu inconsciente está dando o recado para preparar, planejar e tomar posse dos recursos para enfrentar esse medo”, conta o especialista. 

 

Assustando o medo

Perguntamos a Orlando Pavani, que é diretor da Gauss Consultores Associados e promove treinamentos de alto impacto em que o medo é um dos aspectos trabalhados, o seguinte: “Sentir medo é realmente algo que prejudica os profissionais?”. E ele garante que é um sentimento positivo, mas que é preciso ter cuidado: “É bom sentir medo, o que você não pode fazer é deixar ser gerido por ele”.

 

Pavani revela que sentimos medo por dois motivos: ou você já viveu alguma experiência que deixou marcas ruins, e isso sempre será lembrado, ou inconscientemente passou por uma situação não muito agradável, no caso, pode ter sido um sonho que tenha ficado em seu subconsciente e, cada vez que aparece algo semelhante, então você sente uma sensação estranha. Entretanto, ele aconselha que nos dois casos você precisa controlar esse sentimento. A dica que Pavani dá é: “Comece a pensar que você não tem medo disso e entenda que não há motivos para continuar com esse medo, o.k.?”.

           

E é assim no dia a dia

Quantas vezes você viveu uma situação em que o medo atrapalhou suas vendas? E seu dia? E aquela reunião importante com o novo cliente? O grau do medo depende somente da sua vontade e sabedoria de saber lidar com ele. Toda vez que ouvir seu inconsciente dando um sinal de alerta, que tal dar uma chance para ele e tentar planejar algo para acabar com isso, em vez de se desesperar e entregar o jogo para o medo?

 

Atreva-se mais! Pense, planeje e organize suas ideias para saber como agir diante de uma situação que você ache “perigosa”. Mergulhe no oceano de incertezas, que é a realidade do vendedor, e deixe o medo trabalhar a seu favor, ajudando-o a encarar mais os clientes, o mercado e a concorrência!

 

Como lição, Ventura aconselha que, ao sentir-se ameaçado por algo e o sentimento de medo aparecer, enfrente-o com: “Eu consigo fazer isso!”, “Eu quero fazer isso!”, “Sou merecedor disso!” e “Eu posso isso!”.

 

Se depois de ler esta matéria você quiser contar o que aplicou dela e compartilhar conosco, basta ir ao site: www.comunidadevendamais.com.br, acessar o grupo VendaMais e contar a sua história. Ficaremos felizes em saber se o seu medo virou ou não seu amigo. Boa sorte!

 

Por que é tão importante controlar um sentimento como o medo?

Na verdade, ele é um dos quatro sentimentos com o qual todo mundo precisa aprender a lidar. Além do medo, existe a raiva, o amor e a alegria. É importante para o profissional, independentemente da área, aprender que é necessário um equilíbrio desses sentimentos.

Esse equilíbrio é o que chamamos de inteligência emocional, em que você mesmo consegue controlar as emoções e, consequentemente, ser um profissional mais completo.

O termo Inteligência Emocional (IE) começou a ser pesquisado em meados da década de 80. No entanto, foi Daniel Goleman, psicólogo e professor da Universidade de Harvard, EUA, quem popularizou o tema quando escreveu o best-seller Inteligência Emocional, em 1995. Ele analisou quatro aptidões essenciais para a IE:

1. Autoconsciência –Compreender os fatos que acontecem na sua vida.

2. Autocontrole –Saber lidar com seus próprios sentimentos.

3. Consciência social –Pensar não apenas em si mesmo, mas também no bem-estar do próximo.

4. Administração de relacionamentos –Se relacionar consigo e com os outros (é resultado das três aptidões acima descritas).


Para saber mais:

Livro: Inteligência emocional
Autor: Daniel Goleman
Editora: Objetiva

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima