Minha característica maior

Como posso fazer a integração de um grupo de pessoas usando essa dinâmica?

O que você conhece da pessoa que senta ao seu lado na empresa? Ou dos colaboradores do seu departamento? Às vezes, passamos a maior parte do nosso tempo sem se quer conhecer as pessoas que fazem parte do dia a dia. A dinâmica Minha característica maior é a chave para a integração de qualquer grupo, seja profissional ou pessoal. O objetivo dela está direcionado às características principais das pessoas, estimulando um envolvimento melhor no grupo. Confira a seguir e aplique-a!

 

Objetivos:

  1. Favorecer a comunicação verbal;
  2. Criar um clima de empatia;
  3. Estimular o processo de conhecimento do outro.

 

A quem se destina:

 

Esta é uma das dinâmicas para grupos de pessoas que não se conhecem ou são pouco conhecidas.

 

Tempo Previsto:

 

Em torno de trinta minutos, para grupos não superiores a trinta e cinco participantes.

 

Procedimentos:

 

  1. O facilitador explica que “todos nós temos características que são mais marcantes e visíveis aos outros”.
  2. Distribuir uma folha de papel grande (tamanho ofício), onde cada pessoa escreverá uma frase que resume aquilo que ela é e o que faz de melhor.
  3. Ex.: (José) “Sou um batalhador incansável pela justiça.”

(Roberta) “Sou sensível à miséria e não me canso de ajudar os pobres.”

  1. Fixar os papéis no peito e todos, ao som de uma música (suave), passeiam pela sala, lendo as frases dos demais.
  2. O facilitador pede que formem pares ou tríades com as pessoas cujas frases lhe chamaram a atenção.
  3. Orientar para que dialoguem a respeito do que cada um é, o que faz, por que está ali, etc.
  4. Retornar após, mais ou menos, uns quinze minutos para o grupo maior, onde os membros de cada dupla (ou tríade) apresentam um ao outro, salientando os aspectos positivos do encontro,

 

 

Para saber mais:

Livro: S.O.S Dinâmica de Grupo

Autor: Albigenor & Rose Militão

Editora: Qualitymark

Conteúdos Relacionados

Dica número 1 de liderança em vendas

Volta e meia recebo perguntas como esta: “Raul, se você pudesse me dar só uma dica sobre como ser um gestor melhor, qual seria?”

Procuro evitar responder questionamentos como este porque eles costumam vir de alguém que está procurando um atalho ou uma pílula mágica, mas a verdade é que sempre existe mais de uma opção para resolver um problema ou desafio – por isso mesmo, buscar uma única ferramenta milagrosa raramente traz os melhores resultados.

Continuar lendo
Rolar para cima