Modelos para vencer na vida e nos negócios

Experiência – Durante o Plano Collor, de 1990, seu negócio entrou em parafuso. Dalva vendeu sua imobiliária, passou pela crise e nasceu a Forno de Minas… Aos 12 anos enquanto eu folheava o Tesouro da Juventude, uma enciclopédia para os jovens da época, encontrei um capítulo chamado Homens e Mulheres Célebres. Contemplava as conquistas de seres especiais como Joana D?Arc, Sigmund Freud, Henry Ford, Albert Einstein, Madame Curie, Santos Dumont, Oswaldo Cruz e vários outros. Desde aquela época, só cresceu o meu fascínio por essas pessoas que conseguem vencer desafios e deixar um legado de fé, otimismo e confiança para as gerações futuras.

Até hoje estudo casos de pessoas de sucesso na vida e nos negócios. Um importante modelo é Chieko Aoki, que fundou há seis anos a rede Blue Tree de hotéis. Nasceu no Japão e naturalizou-se brasileira. Começou sua carreira como diretora de marketing e vendas da rede Caesar Park Hotels & Resorts, a mais antiga e tradicional empresa hoteleira dos Estados Unidos. No livro Talentos Brasileiros (Editora Negócios), Flávia Pacheco transcreve os comentários de Chieko Aoki sobre os desafios que teve que superar:

“No início da minha carreira, eu era uma das poucas mulheres no setor de hotelaria. Eu tinha que enfrentar reuniões só de homens e fazer prevalecer que a minha opinião era válida, que estava certa. Levei umas rasteiras, mas deixei passar. Não importava, por exemplo, que outra pessoa levasse o crédito pelas minhas idéias. Quando via que a minha idéia não iria passar, eu a transmitia para um colega homem e ele dizia que era dele. No início, meus obstáculos foram os homens”.

Outro exemplo é o de Dalva Mendonça, fundadora da Forno de Minas, indústria de pão de queijo. A empresa surgiu de uma crise. Durante o Plano Collor, de 1990, seu negócio imobiliário entrou em parafuso, pois as pessoas não tinham dinheiro para comprar imóveis. Dalva e seu filho Helder começaram a busca alternativas de negócio, de algo que o cliente tivesse dinheiro para comprar. Lembraram-se então da receita de pão de queijo da família, que as pessoas elogiavam. Dalva e o filho venderam a imobiliária e compraram equipamentos para a produção do produto, que era vendido congelado para supermercados, padarias, restaurantes e lanchonetes. No começo eram apenas Dalva, Helder, sua irmã Hélida e uma funcionária. A empresa cresceu tanto que, em 1999, ao ser vendida para uma multinacional, faturava US$ 50 milhões por ano. Com a venda, Dalva e sua família conseguiram independência financeira para o resto da vida.

Esses dois exemplos de mulheres célebres mostram que, as pessoas dispostas a conquistar seu lugar ao sol, não se intimidam frente aos obstáculos. Imagine se Chieko tivesse desistido devido ao preconceito ou se Dalva ficasse se lastimando pelo dinheiro levado por Collor? Pelo contrário, essas duas mulheres de valor foram à luta e transformaram aparentes fracassos em retumbantes sucessos!

Winston Churchil disse uma vez: “Jamais, jamais, jamais desista”. Anthony Robbins, autor do livro Poder sem Limites (Editora Best Seller) garante que de todos os elementos importantes para a vitória final, o mais importante é a persistência. Isso quer dizer que jamais acertaremos o gol se não chutarmos muitas bolas fora.

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima