Motive-se para criar, crie para motivar-se!

É preciso que você analise a forma como vem tentando resolver seus problemas. Se fica ansioso para encontrar a solução, precisa aprender a fazer o que eu chamo de distanciamento da situação. Você adora o que faz e, enquanto trabalha, não vê o tempo passar? Se a sua resposta for “sim”, pelos cânones da auto-ajuda você poderia ser enquadrado na categoria dos profissionais motivados. Mas não sejamos tão simplistas, não é? Você pode realmente amar o que faz, mas a pressão por resultados é tamanha e os problemas são tantos que não dá para dizer que você trabalha motivado. Você pode não ver o tempo passar, mas não porque está motivado, e sim porque sua empresa está uma loucura e você mal consegue dar conta dos seus afazeres.

Nesses tempos de profundas mudanças, alta competitividade e grandes pressões no interior das empresas, nem sempre é fácil encontrar motivação para trabalhar. Sua competência e esforços, às vezes, parecem insuficientes para fazer as coisas funcionarem como gostaria. E os problemas, então? Sugam a sua energia. Você sai do trabalho exaurido, com sentimento de culpa por não ter resolvido todas as pendências. O pior é que elas estarão à sua espera no dia seguinte, engrossando a lista de “pepinos” que certamente surgirão.

Se é assim que você se sente, provavelmente entrou em uma espiral negativa, na qual as questões não-solucionadas lhe causam desprazer, o que leva à desmotivação. A boa notícia é que o movimento dessa espiral pode ser revertido, se você acrescentar um tempero especial ao seu trabalho: a criatividade. Segundo professor de Psicologia da Universidade de Chicago Mihaly Csikszentmihalyi, autor do livro Flow, pessoas que procuram desempenhar tarefas criativamente encontram mais prazer no que fazem. O prazer, por sua vez, é altamente motivador. Aí está a espiral positiva: criatividade, prazer e motivação.

Antes de mais nada, é preciso que você analise a forma como vem tentando resolver seus problemas. Se, normalmente, fica ansioso ou transtornado para encontrar a solução, precisa aprender a fazer o que chamo de distanciamento da situação. Em vez de ficar concentrado na questão, abra seu foco de visão para tudo que envolve o problema. Procure perceber todas as implicações que ele tem e analisá-lo por vários ângulos. Distanciar-se de um problema é como sobrevoar um congestionamento de helicóptero: você sai do caos, vê sua extensão e enxerga possíveis saídas.

O que isso tem a ver com criatividade? Tudo. Quanto mais você se distancia mental e emocionalmente do problema mais predisposto a ter idéias criativas se torna. Afinal, não é com a cabeça quente e nervos exaltados que você conseguirá ter uma inspiração, é? Bem, de nada adianta ficar “zen” diante dos problemas, se você não exercitar sua criatividade para que ela se manifeste quando necessário. Um bom treino para isso é procurar sempre fazer coisas diferentes das habituais. Experimente um novo caminho para ir ao trabalho, assista a um canal de TV que nunca viu, compre uma revista nova, converse com um desconhecido, enfim, dê a si a chance de surpreender-se com algo novo, todos os dias. Fazer as coisas sempre do mesmo jeito nada mais é do que a exteriorização do modo como sua mente trabalha, sempre percorrendo as mesmas trilhas de raciocínio. Ao mudar seus hábitos, você estará abrindo novas trilhas.

Da mesma forma que você procura trazer novidade ao dia-a-dia, experimente fazer o seu trabalho de maneiras diferentes. Mude o jeito de encaminhar as coisas, procure alternativas para simplificar tarefas, crie novos procedimentos. Pessoas criativas estão sempre em busca de aperfeiçoamento no que fazem, e disso extraem seu prazer. O reconhecimento de que estamos fazendo nosso trabalho um pouco melhor a cada dia é extremamente motivador.

Para terminar, quero dar uma dica para sustentar a espiral da criatividade, prazer e motivação. Diariamente, ao despertar, tenha pensamentos positivos, algo como: “Hoje, apesar de tudo, eu serei feliz” ou “A criatividade sempre me ajuda a resolver as situações que encontro”. As atitudes e pensamentos que temos nos primeiros minutos do dia determinam a qualidade de 80% do restante desse dia. Não queira resolver todos os problemas de uma só vez; em vez disso, estabeleça metas realistas, comprometendo-se com o que é mais importante ou mais urgente. Com essas atitudes simples, você poderá terminar o dia satisfeito por ter cumprido seus objetivos e usado a criatividade. O que pode haver de mais motivador que isso?

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima