O bem que o amor faz

Quando um dos cônjuges sente-se amado e valorizado, certamente retribuirá o que recebe. O amor é o alicerce de qualquer relacionamento.

Dizem por aí que o ser humano não deve economizar amor, ao contrário, deve distribuí-lo e praticá-lo a todo o instante. Mas, infelizmente, não é assim que todos agem ou pensam. Há pessoas que são frias e têm dificuldades para demonstrar seus sentimentos.

Isso acontece, por exemplo, em alguns casamentos. Algumas esposas são extremamente amáveis, enquanto os maridos não o são, ou vice-versa. Uma coisa é certa: não há casamento que resista sem amor, pois só o amor ?tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta? (II Coríntios 13:7).

Em qualquer relacionamento, a falta do amor é a causa de frustrações, rompimentos, discórdias. Mas quando existe amor, ele destrói as desavenças e constrói um lar.

Falando novamente sobre casamento, um renomado pastor citou a seguinte frase: ?A mulher amada, torna-se amável?. Parafraseando essas palavras, pode-se disser que tanto o homem quanto a mulher, quando são amados, tornam-se amáveis um com o outro, pois o amor é forte o bastante para mudar a vida das pessoas.

Quando um dos cônjuges sente-se amado e valorizado, certamente retribuirá o que recebe. Não é sem motivo que o renomado doutor americano Norman V. Peale, afirmou: ?O universo é uma câmara de eco na qual você recebe de volta tudo o que dá; e a base da mensagem cristã é: amar para receber amor de volta?. Isso é uma verdade. Deve-se plantar amor para se colher amor. Entretanto, talvez você esteja recebendo de volta tudo de ruim que tem dado ao seu cônjuge… Muitos maridos perderam a vontade até mesmo de beijar ou de abraçar a esposa. Da mesma forma, muitas mulheres não sentem mais a falta de seus maridos, nem sequer sentem-se à vontade ao estarem perto deles.

Quem sabe você tem gritado e maltratado o seu cônjuge muito mais do que lhe feito um carinho. Para você, qualquer ?lembrancinha? é sinônimo de gastar dinheiro; você não enxerga como um ato de amor. Quem sabe as comparações cotidianas têm sido a linguagem de seu lar, ou seja, você supervaloriza os cônjuges dos outros, mas menospreza o seu.

O amor é realmente o alicerce de qualquer relacionamento; quer seja entre pai e filho, marido e esposa… Ele é a essência da vida. Interessante relembrar o que está escrito na primeira carta do apóstolo João capítulo 4, versículos 8 e 16: ?Aquele que não ama não conhece a Deus; porque Deus é amor. […] E nós conhecemos, e cremos no amor que Deus nos tem. Deus é amor; e quem permanece em amor, permanece em Deus, e Deus nele.?

A falta de amor corrói não só o coração, mas a vida também. Pouco a pouco a pessoa vai deixando de viver e dando lugar a outros sentimentos contrários ao amor, entre eles o ódio e a amargura.

Como tem sido o seu relacionamento com o seu cônjuge? Será que está faltando esse ingrediente essencial? Ou você está com medo de amar? ?No amor não há medo, antes o perfeito amor lança fora o medo; porque o medo envolve tormento; e quem tem medo não está aperfeiçoado no amor? (I João 4:18).

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima