O impossível não existe

Queremos compartilhar com você uma história real. A história de um homem que venceu o vício, depois de vinte anos de sofrimento e escravidão. Antonio Berlim é hoje palestrante, e não tem vergonha de esconder seu passado. Quer, através de seu relato, alertar e ajudar quem ainda não conseguiu superar algum desafio que parece impossível de se transpor. Queremos compartilhar com você uma história real. A história de um homem que venceu o vício, depois de vinte anos de sofrimento e escravidão. Antonio Berlim é hoje palestrante, e não tem vergonha de esconder seu passado. Quer, através de seu relato, alertar e ajudar quem ainda não conseguiu superar algum desafio que parece impossível de se transpor. Leia a sua história:

?Quando criança lembro-me que minha mãe dizia que se eu estudasse e me comportasse bem ganharia presente no Natal. Eu não fazia nada disso e ganhava o presente. Ali comecei a assinar a minha carteira de futuro desregrado. Era gostoso não precisar fazer sacrifícios e obter o que queria.

Lembro-me também da vez em que queria fazer um pequeno pomar ao lado da minha casa. Tentei, não consegui e desisti. As únicas palavras que recordo são essas: ?Eu sabia que isso não iria dar certo!?. Essas palavras iriam se tornar constantes na minha vida de adolescente e jovem. O pior é que eu acreditei nelas, pois eram ditas por quem eu mais amava, meus pais. Não os condeno, eles também me amavam. Mas foi aí que encontrei um amigo que ouviu minhas tristezas. Logo ele me ofereceu um cigarro de maconha. Mal sabia que ao colocar aquele cigarro na boca perderia tantos anos da minha vida.

Foi muito prazeroso, pois fazia com que eu deixasse de me sentir um fracassado. Depois de alguns anos de maconha, percebi que não poderia mais ficar sem ela. E com ela vieram outros tipos de amizades. Um dia fui ?apresentado? à cocaína. Mergulhei fundo. Comecei a fazer coisas que até então nunca fizera, como vender o que tinha para comprar a droga.

A minha vida girava em torno de bares, festas, orgias e pessoas estranhas, mas estava tão acostumado… era fácil ter encontrado a morte, porém eu não enxergava o perigo. Eu trabalhava, mas somente para sustentar meu vício. Passei por situações humilhantes, indignas de um ser humano. Continuei em minha vida de escravidão por mais algum tempo. A essa altura já tinha três filhos – três crianças lindas que viam seu pai em uma vida de podridão. Foi meu amor por eles que me deu força para finalmente me livrar de tudo isso!

Um dia minha esposa me perguntou se eu tinha dinheiro para comprar lanche para as crianças. Eu havia gasto tudo para comprar droga. Este dia foi muito especial pra mim. Fui até meu quarto e chorando fiz uma oração: ?Olha Deus, eu amo esta vida de drogas, o bar, as festas, mas, por favor, tira este amor do meu coração, pois assim vou perder a minha família e morrer como muitos amigos meus?.

Um grande e extraordinário milagre aconteceu na minha vida após aquela oração. Deus me ouviu e atendeu meu pedido. Não precisei fazer tratamento, não precisei me determinar, não precisei fazer nada. No dia seguinte não tive vontade de fumar, de beber e nem de usar drogas. Estou há cinco anos com uma vida totalmente diferente. Quem me vê não acredita na vida que tive. Faço palestras em empresas, escolas e igrejas. Tenho um projeto social para escolas públicas, pois sei que muitas não têm condições de contratar palestrantes.

. Sinto-me uma pessoa feliz, porque consegui sair vitorioso dessa grande prisão. Recomeçar e reestruturar a vida, juntar os pedaços que ficaram para trás e iniciar o processo de reconstrução foi difícil. Mas nunca é tarde para recomeçar. Esse sabor é fantástico.

. Há muitas lutas e dificuldades, mas há de se encontrar pessoas que acreditam na mudança, que acreditam no ser humano, mesmo que aos olhos do mundo não haja mais esperança.O prazer da conquista, de poder olhar pra frente, de construir relações saudáveis, de se sentir realizado e acreditando em seu potencial é mais gostoso que o prazer que uma droga pode oferecer.?

Antonio Berlim é palestrantre e autor do livro Só o ?Amor? não Educa. Desenvolve cursos de oratória, ministra palestras e seminários de relacionamento de casais, pais e filhos. Contato: (19) 3858-1100. E-mail: [email protected] ?O destino não é uma questão de acaso, mas de escolha; não é uma coisa pela qual se espera, é algo a ser realizado? William Jennings Bryan

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima