O otimismo nosso de cada dia

O otimismo nosso de cada dia O que será que Giorgio Armani (71) e Ricardo Leite (23), o Kaká do Milan, têm em comum? À primeira vista, apenas um contrato de publicidade entre Kaká e Armani Jeans ? uma parceria entre dois craques, um da moda; o outro, do futebol. Mas há mais do que isso.

Armani, com um faturamento anual de 4 bilhões de euros e presença em 37 países, afirma: “Sigo meus instintos, pois essa é a única maneira de um designer passar no teste do tempo. É a chave para obter melhores resultados do esforço criativo. Sou fiel ao meu próprio gosto, que é uma crença em simplicidade, suavidade, modernidade e, acima de tudo, elegância.” Kaká, titular do meio-campo da seleção brasileira e do Milan, com contrato até 2009, garante que tudo que acontece em sua vida é orientado por um propósito divino. Declara com convicção: “Não tenho problemas com ansiedade ou insegurança. Tenho sempre certeza de que Deus quer o melhor para mim e que tudo tem um propósito. O jogador nunca sabe se jogará ou não ou se renovará o contrato. Minha crença faz com que eu me sinta mais tranqüilo quanto a isso.”

Pensar e agir

Separados por quase cinco décadas, se unem quando o assunto é sonhar alto. Armani sonha com a China: “No momento, estou fascinado pela China e no processo de abrir 30 lojas nesse país. Fiz uma viagem por lá e apresentei vários desfiles. A recepção foi calorosa e entusiasta. Acredito que os chineses estejam prontos para a Armani agora.”

Kaká acredita que tudo aquilo que sempre planejou, que gostaria que acontecesse, realmente aconteceu. “Vivo de sonhos. Ao sonhar com o Milan desejo ficar marcado como jogador histórico do time. Outro sonho é estar sempre com a seleção brasileira. A Copa do Mundo é algo inexplicável, uma sensação maravilhosa. Tenho conquistado o que sempre quis: jogar fora do país, em um grande clube, reconhecido mundialmente, com grandes perspectivas.”

Dois sonhadores, um da Itália, outro do Brasil, se encontram e constroem a história ? fazem de seus sonhos realidades marcantes no mundo da moda e no universo do futebol. Embora sejam de gerações diferentes ? pois um tem idade para ser pai do outro ? de culturas distantes e, além disso, atuem em áreas diversas, esses dois campeões têm em comum um exacerbado otimismo, uma fé indomável de que as coisas darão certo.

Independentemente de idade, de cultura ou de profissão, o otimismo funciona. Entretanto, é importante considerar que, embora simples, a atitude e o comportamento otimista não são fáceis. Para que as coisas realmente aconteçam como queremos, é necessário agir como se elas já estivessem se realizando. Apenas pensamento positivo não adianta. É preciso adotar um comportamento otimista.

Como é o comportamento otimista?

» Começa com a identificação de um sonho. No caso de Armani, o sonho era ligado à alta-costura e, no de Kaká, ao seu esporte favorito.

» Ambos desejavam e acreditavam que seriam os melhores em suas profissões ? e fizeram tudo para que isso acontecesse, ou seja, agiam como se fossem os melhores, mesmo quando ainda não tinham chegado lá. Tinham dedicação absoluta ? foco total naquilo que almejavam.

» Sempre acreditaram ? foram tomados pela fé de que tudo daria certo. Essa convicção é algo que vem de dentro. Jamais se encontra fora. É algo que precisamos buscar no fundo de nossa alma.

» Ao terem alcançado ? ao realizar seus sonhos ? foram além. Expandiram seus horizontes ainda mais. Agora, Armani deseja conquistar a China e Kaká deseja ficar para sempre na história do Milan.

» Para saber se estamos no caminho certo devemos observar nossos sentimentos e ações. Nossas emoções e comportamentos são um reflexo daquilo que mais queremos para a nossa vida?

» Tudo o que você pensa, sente, fala e faz está alinhado ao seu sonho?

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima