O poder de barganha do profissional desempregado X empregado

Uma negociação pode aumentar o seu padrão de vida e salário em aproximadamente 20%. No atual mercado de trabalho é natural presumir que um candidato empregado tenha um poder de barganha maior que um desempregado. A nova pesquisa do Grupo Catho, ?A Contratação, a Demissão e a Carreira do Executivo Brasileiro – 2005?, feita com 31 mil executivos entre maio e julho de 2005, analisou em profundidade a questão do poder de barganha.

A verdade é que os desempregados não estão em tanta desvantagem como se possa imaginar. É claro que existe uma diferença, porém não é grande. Quando analisamos a porcentagem dos candidatos que aceitam a proposta inicial de emprego, identificamos que 81,9% dos desempregados aceitam a proposta sem discutir e sem negociar. No caso dos empregados não foi muito diferente, 71,8% deles também aceitam nas mesmas condições.

Analisando os 18,1% dos desempregados que não aceitaram a primeira proposta e os 28,2% dos empregados que também não aceitaram, descobrimos que a negociação de ambos não foi muito diferente. Os desempregados conseguiram aumentar seu salário em 20,3% enquanto que os empregados tiveram um aumento maior, de 22,9%. Uma pequena diferença entre os dois.

O Dr.Thomas Case, coordenador da pesquisa, faz uma interpretação dos resultados e dá algumas dicas para a pessoa que está à procura de emprego:

1) O executivo desempregado deverá empenhar-se ao máximo no cuidado de sua carreira na busca de um novo emprego. As estatísticas apontam que é viável que ele consiga um novo trabalho hierarquicamente maior e com um salário maior.

2) Para ambos, desempregados e empregados, as estatísticas mostram que é prudente não aceitar a oferta inicial de emprego e tentar negociá-la. Um pouco de negociação pode aumentar o seu padrão de vida e salário em aproximadamente 20%.

3) As dicas são mais fortes para os executivos empregados. O cuidado com sua carreira indica que não se deve mudar de emprego sem ter um cargo hierarquicamente maior e um salário em torno de 34% maior que o seu salário anterior.

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima