O pós-carreira está chegando !!!

O despreparo do trabalhador brasileiro para o Pós-Carreira é preocupante. Embora sejamos considerados um “”país de jovens””, nossa população acima de 60 anos quintuplicou nos últimos 30 anos. O despreparo do trabalhador brasileiro para o Pós-Carreira é preocupante. Embora sejamos considerados um “país de jovens”, nossa população acima de 60 anos quintuplicou nos últimos 30 anos. Segundo últimos dados do Instituto Brasileiro de Pesquisa e Estatística (IBGE/2006), o envelhecimento populacional é um fato concreto. São quase 15 milhões de pessoas com 60 anos ou mais de idade, ou seja, 8,6% da população brasileira. Um número que, em menos de duas décadas, poderá dobrar e até ultrapassar os 30 milhões de pessoas.

Aposentadoria requer um condicionamento mental e social, que a grande maioria das pessoas não possui. A principal dificuldade de uma pessoa no processo de transição para a aposentadoria é conseguir uma “sensação” de integração social e preservar a realização pessoal.

O que se percebe é que cada vez mais as organizações empresarias devem propor ações que venham a mobilizar esforços para a implementação de um programa de pós-carreira, cujos objetivos são:

– preparar pessoas para que elas construam um projeto de vida na aposentadoria

– facilitar o processo de sucessão profissional, uma vez que a “fila” tem que girar e uma das formas pelas quais novos entrantes vão ter acesso ao mercado de trabalho é substituindo pessoas que estão se aposentando;

– transformar a aposentadoria numa fase produtiva e feliz da vida;

– administrar o processo de transição na empresa .

Diversas são as vantagens para as organizações que aderem a estes programas, podemos citar algumas tais como:

1. Cumprir o papel social;

2. proporcionar o desenvolvimento de novos talentos;

3. gerar impacto positivo no moral dos colaboradores;

4. facilitar a gestão e transferência do conhecimento na organização;

5. fortalecer a imagem positiva da marca/produto/serviço (“top of mind” positivo).

Para os funcionários destas organizações, podemos observar o entusiasmo nos processos de preparação para o pós-carreira e dentre as vantagens, estão:

– Desenvolver um projeto de vida, como idealizar a implantação de um sonho que ficou guardado durante vários anos,

– facilitar a transição da identidade profissional para a identidade pessoal;

– motivar as pessoas a desenvolver outros papéis além do profissional, onde podem ser sentir úteis à comunidade em que estão inseridos, através de trabalhos voluntários, associações, participação em ações que contribuam para alavancar benefícios ao município onde vivem;

– elevar a auto-estima, sentir se útil.

Na maioria das empresas, continua a existir a grande hipocrisia de que o profissional estará em seu posto para sempre. Falar sobre um futuro em que aquele que está na função hoje deixará de exercê-la é quase um tabu, todos sabem que um dia chegará, mais ninguém quer falar a respeito. Muitas pessoas tendem a perpetuar o mito de que são imortais e de que sua presença é permanente dentro das empresas. As empresas precisam ser mais realistas para com seus funcionários, devem discutir abertamente sobre um plano de ação, objetivando que a transição ocorra de forma ordenada e planejada.

Erasmo Vieira é Especialista em Finanças Pessoais, palestrante e facilitador de treinamentos com larga experiência em finanças pessoais. E-mail: [email protected] José Flávio Bontempo Resende é mestre em Gestão da Informação pela UFSC, professor universitário, consultor empresarial e palestrante. E-mial: [email protected] ?A melhor maneira de prever o futuro é criá-lo.? ? Peter Drucker

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima