O que nossos leitores fazem quando o concorrente fala mal deles

O que nossos leitores fazem quando o concorrente fala mal deles Falar mal de concorrente não é algo muito incomum entre os profissionais de vendas. Por isso, a VendaMais perguntou aos assinantes o que eles fazem quando o concorrente fala mal deles. As melhores respostas você confere aqui.

?Agradeço. Entendo que meu trabalho está sendo reconhecido, que meu concorrente me percebe como empresa preferencial, que tem valores e ética. Eu não faria esse tipo de comentário, pois acho que isso reforça e valoriza a marca do concorrente.?
Sérgio Borges

?Eu vendo mais. Sim, pois quando o concorrente fala mal da minha empresa, ele, sem querer, está fazendo publicidade do meu negócio.?
Lutércio Cavalcante

?A vontade que tenho é de ir de encontro do concorrente e falar um monte de coisas que, na verdade, não levariam a lugar algum, então respiro fundo, conto até dez e ?mãos à obra?.?
Vivian Haidar Jorge

?Eu analiso o fato. Se for algo que estou fazendo bem (uma promoção ou um serviço cortesia), aumento minha carga nisso, pois se está incomodando os concorrentes, é porque dá certo. Se for algo em que estou falhando (entregas demoradas ou formas de pagamentos), corrijo imediatamente e agradeço por ter um concorrente tão burro que me alerta sobre meus erros.?
Douglas Daniel da Silva Rosa

?Procuro responder com total atenção as críticas feitas pelo meu concorrente, só que, em vez de retornar com mais críticas, aproveito o momento para elevar a credibilidade da minha empresa/produto.?
Douglas Souza Costa

?Eu o agradeceria, pois mesmo falando mal, falaria de mim e demonstraria ao seu cliente preocupação, o que também mostra que estamos competitivos a ponto de o concorrente estar sentindo nossa presença. O correto, na minha opinião, é não falar do concorrente e focar no cliente, nas qualidades da empresa, na venda que fazemos e nos produtos/serviços.?
Marcel Soares Schuvartz

?Provo que a realidade é bem diferente do que o concorrente fala. Mostro o meu modo de trabalho com agilidade e qualidade. Em vez de falar mal daquele que falou de mim, digo que estamos no mercado para concorrer e que quem ganha é o melhor produto, e não o concorrente.?
Fernanda Augusta Fernandes Morais

?Normalmente, não faço nada. Mantenho firme minha postura e procuro mostrar, através de meu trabalho e dedicação, que não sou aquilo que o concorrente falou, ganhando a credibilidade e a confiança do cliente?.
Herbert Menocchi

?Isso significa propaganda gratuita ? fale bem ou mal, mas fale de mim. Essa atitude significa que, de alguma maneira, estou incomodando meu concorrente. Esse é um sinal de fraqueza do meu oponente, o que sinaliza que estou no caminho certo. A falta de ética prova a incapacidade e a falta de dignidade do meu concorrente, o que valoriza cada vez mais meu trabalho, produtos e serviços. Afinal, cada qual é pago para vender seus produtos, não para fazer propaganda de concorrentes.?
Farid Ajame

?Eu tenho uma técnica para receber as pedras e pontapés da concorrência: guardo todas as pedras que recebo para construir meu castelo e todo pontapé que levo é mais um passo para frente, pois me jogam cada vez mais adiante e assim vou aos poucos atingindo meu objetivo.?
Isaias Jonatas

?A melhor resposta é o trabalho! Não adianta ficar se defendendo e usar o mesmo artifício ou prática errônea. O profissionalismo é que fará a diferença. A maneira como você se comporta diante dessa atitude é que dirá quem você é. E mesmo que sua empresa não seja das melhores ou que os comentários do concorrente tenham um fundo de verdade, continue trabalhando e vista a camisa da instituição. Com certeza, dias melhores virão.?
Jener Santos

?Eu relembro meu cliente de todas as vezes em que dei um atendimento primoroso, trazendo a ele lembranças de como foi bom ser atendido por mim, o que quase sempre resulta em outra venda.?
Maurício Menon

?Inicialmente, tento descobrir qual o teor da crítica, pois o meu concorrente pode ter razão. Caso ela seja improcedente, não faço nada, apenas me conscientizo de que devo estar incomodando ou dando trabalho e, provavelmente, ?roubando clientes?. Devemos criar um terceiro olho que esteja atento não apenas à concorrência, mas também ao mercado e suas tendências. Críticas sempre nos farão crescer, pois são a única forma de nos voltarmos para nossas ações e verificarmos com mais atenção o rumo que estamos seguindo.?
Antonio Carlos Fernandes

?Acredito que a primeira coisa que precisamos lembrar quando o concorrente está falando mal de nossa empresa ou de nossos produtos é que ninguém chuta cachorro morto, ou seja, nossos negócios estão bem vivos e incomodando. Assim, continue inovando, oferecendo aos clientes o melhor atendimento possível com o melhor custo?benefício. Com isso, teremos, além da fidelidade, uma boa parte deles promovendo e vendendo nossos produtos.?
Silvio Paulo da Silva

?Não me importo com o que a concorrência diz, procuro saber o que meu cliente acha da nossa empresa, porque trabalho para oferecer o melhor para eles.?
Luis Henrique dos Santos

?Dizer que isso não incomoda seria mentira, mas a melhor reação é não reagir, ou melhor, continuar trabalhando com excelência e transparência para mostrar aos clientes que os comentários vindos dos concorrentes não passam de especulações maldosas de quem não tem capacidade de triunfar por méritos próprios.?
Sandra Fransolin

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima