O reverso da adversidade

Vamos a algo incontestável. Você não pode decidir sempre o que ocorrerá em sua vida. Existem fatos extremamente desagradáveis e indesejáveis que simplesmente surgem, nos assolam. Chame-os adversidade, afinal são contrários, se opõem, são infortúnios. Mas existe uma outra verdade absoluta, e que você talvez saiba, mas não tem praticado: você sempre poderá decidir como passará por qualquer um desses fatos. Vamos a algo incontestável. Você não pode decidir sempre o que ocorrerá em sua vida. Existem fatos extremamente desagradáveis e indesejáveis que simplesmente surgem, nos assolam. Chame-os adversidade, afinal são contrários, se opõem, são infortúnios. Mas existe uma outra verdade absoluta, e que você talvez saiba, mas não tem praticado: você sempre poderá decidir como passará por qualquer um desses fatos. É isso mesmo: Deus te deu o poder de tomar decisões sobre como encarar e enfrentar o que se opõe a você. A isso damos o nome de atitude.

?É curioso como as contrariedades afetam de maneira diferente as pessoas. Elas são como o calor, que azeda o leite, mas adoça as maçãs?, Thomas Edison.

A citação acima seria mais que suficiente para nos apresentar o caminho que deveríamos tomar diante das adversidades. Na verdade, a adversidade é um ponto inicial de uma bifurcação na estrada da vida. As adversidades sempre nos fazem parar nossa caminhada. O que não dá para fazer é ficar parado, pensando qual estrada tomar. Você tem de avançar por uma das duas estradas que surgem diante de você. A vida não pára, nem você. E que estradas são essas? Uma é a de lamentação e autocomiseração; a outra é a de esperança e renovação. Tem gente que diante da adversidade reclama. Tem gente que proclama. Que tipo de gente é você? Você se azeda ou se adoça?

Bem, aqui vão algumas dicas básicas de como agir diante da adversidade. Nada de fórmulas ou receitas. Cada caso é um caso, cada pessoa um mundo. Portanto, vamos olhar para o proposto como princípios.

PARE. Aconteceu algo? Então, calma! Dê um tempo para refletir sobre os fatos, veja o ponto de vista dos outros. Se necessário, chore, derrame suas lágrimas. Não bloqueie suas emoções. Isso faz um mal terrível. Mas não aja. Esta não é a hora. Faça como o apóstolo Paulo disse aos Efésios, ?Irai-vos, mas não pequeis?. Ou seja, sinta, mas não aja no sentimento.

ATITUDE POSITIVA. Não, nada de negar os fatos, nada de maquiá-los, dizendo que a morte de seu ente querido ou uma demissão foram algo bom, maravilhoso. Sua mente jamais vai aceitar isso. Mas, ao mesmo tempo, você deve começar a se perguntar: o que posso tirar de bom desse fato ruim? O que posso aprender dessa lição? Lembre-se da música: ?Vivendo a aprendendo a jogar… nem sempre ganhando, nem sempre perdendo… mas, aprendendo a jogar?.

AJA. Você somente sairá mais forte da situação se der conseqüência aos pensamentos positivos que cultivar em sua mente. Semente boa, em terra boa, só realmente é boa se der fruto bom. Por isso, frutifique em sua própria existência. Em síntese, viva as conclusões que chegou, as decisões que tomou: ?Vou deixar de…?; ?vou passar a…?; ?vou começar hoje!?.

Tenha certeza de uma coisa: a adversidade é como uma moeda. Você decide qual das faces colocar para cima. Elas sempre andarão juntas, mas somente uma brilhará ao sol. Exatamente a que você escolher. ESCOLHA! Bênçãos e sucesso! ?A adversidade desperta em nós capacidades que, em circunstâncias favoráveis, teriam ficado adormecidas? ? Horácio

Conteúdos Relacionados

Dica número 1 de liderança em vendas

Volta e meia recebo perguntas como esta: “Raul, se você pudesse me dar só uma dica sobre como ser um gestor melhor, qual seria?”

Procuro evitar responder questionamentos como este porque eles costumam vir de alguém que está procurando um atalho ou uma pílula mágica, mas a verdade é que sempre existe mais de uma opção para resolver um problema ou desafio – por isso mesmo, buscar uma única ferramenta milagrosa raramente traz os melhores resultados.

Continuar lendo
Rolar para cima