O segredo ou a fofoca?

4 formas de aumentar suas vendas Existe um episódio do Seinfeld* em que uma sorveteria começa a fazer o maior sucesso vendendo sorvetes “light”. As pessoas fazem fila para se deliciar do produto maravilhoso que não engorda. Seinfeld fica desconfiado e manda analisá-lo. Então, ele descobre que era tudo uma enganação ? o sorvete não era light, tinha quase 40% de gordura, como todos os outros, e engordava muito. Seinfeld denunciou a sorveteria, e aqui vem a parte engraçada: os clientes obesos se revoltaram contra ele, por haver arruinado a sua felicidade.

Toda essa introdução é para explicar mais ou menos como me sinto em relação ao sucesso editorial do livro O Segredo. Essa história de “pensamento positivo”, lei da atração, etc., é do arco da velha. O professor Marins, por exemplo, contava em suas palestras sobre os nativos que se juntam para caçar só que, no dia anterior, fazem um ritual em que comemoram o seu resultado de amanhã, ou seja, até os aborígenes australianos conhecem o segredo.

A grande questão é que, na manhã seguinte, esses aborígenes realmente saem para caçar, pois sabem que se ficarem na aldeia pensando, pensando e pensando, morrerão de fome. Ou seja, o verdadeiro segredo é fazer algo, não pensar em fazer.

Campeões de vendas fazem a mesma coisa: mentalizam uma venda sendo fechada antes de ir visitar o cliente. Para eles, o cliente já comprou. Só têm de ir lá fechar o pedido. Detalhe: esses profissionais pensam tudo isso, mas depois tiram a bunda da cadeira, visitam o cliente, ligam para ele ou seja lá o que for que garanta a venda.

Mas se você assistir ao filme ou tentar ler o livro ficará com a nítida impressão de que basta pensar nas coisas que elas miraculosamente acontecerão. Os exemplos dignos de charlatanice dados no livro chegam à beira do ridículo, por exemplo: comecei a pensar em dinheiro e cheques chegaram pelo correio. Pensei em uma pena de pássaro e ela caiu do céu. Pensei em emagrecer e comecei a perder peso e por aí vai. É o paraíso dos incompetentes motivados, como aqueles vendedores que fecharão dezenas de negócios “amanhã” (estão com várias propostas rolando), mas nunca fecham nada, continuam se enganando, pensando que só a fé irá salvá-los, mas não vai. Como dizem os árabes: ?Confie em Alá, mas amarre o seu camelo?.

Fãs e defensores de O Segredo dirão que não, que na página X do capítulo Y existe um pequeno parágrafo que fala sobre “fazer”. Porém, é justamente esse o ponto: para um livro inteiro sobre “pensar” há apenas um parágrafo sobre fazer.

Além disso, tem uma questão puramente estatística. Se mil pessoas “pensarem” em algo e isso acontecer com cinco delas, você terá duas opções: a matematicamente correta, que é usar o cérebro e a inteligência e calcular que 0,5% das pessoas envolvidas conseguiram o que queria, e que 99,5% não conseguiram. E, ainda, afirmar com tranqüilidade que o resultado é estatisticamente irrelevante, por isso não pode ser levado a sério, pois está no caminho da crendice acéfala, que foca apenas nos que conseguiram. Ou a opção do grupo que ficará papagueando que o sistema funciona e convenientemente esquece de comentar que 99,5% não obtiveram ?sucesso?.

Por favor, não me entenda mal. Não sou contra material motivacional ou de auto-ajuda. O que repudio é a enganação escancarada, que só serve para enriquecer um grupo de pessoas ? os autores. Se você quiser realmente se aprofundar nesse assunto, recomendo os livros de Napoleon Hill ? Pense e Enriqueça e A Lei do Triunfo, obra que tem base em 15 regras (incluindo economizar dinheiro, produzir mais do que se é pago para fazer, ter iniciativa, praticar o autocontrole, etc.). Pelo menos esses livros são sérios e têm base em princípios muito mais sólidos que apenas “pensar” que as coisas acontecerão em um passe de mágica.

Sei que ouvirei uma série de críticas por causa disso, pois não poderia ser diferente. Um dos motivos pelos quais esse livro fez tanto sucesso é justamente porque, no mundo, ainda existe milhões de pessoas que continuam procurando atalhos, soluções fáceis, pílulas e fórmulas mágicas, etc. Para que trabalhar, estudar, etc., se posso apenas “pensar” e pronto… tudo acontece? Essas pessoas confundem pensar com sonhar.

Gandhi resumiu bem quando disse que a diferença entre nossa capacidade de fazer e o que realmente fazemos poderia resolver todos os problemas do mundo. Basta termos a coragem de pensar de maneira diferente e, depois, agir. Um passo por vez, um pouquinho todos os dias e, com certeza, você conquistará qualquer objetivo em sua vida. Mas você precisa fazer alguma coisa, não apenas pensar nela. Se há um segredo, é esse.

*Seinfeld foi uma das mais populares e premiadas sitcoms (seriados cômicos) dos Estados Unidos, tornando-se um verdadeiro fenômeno na década de 90.

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima