O vendedor criativo

Vender é especialmente ser criativo em razão de se fazer uso da capacidade solucionadora de problemas dos clientes. Vender é técnica, arte, sabedoria, etc. Vender é especialmente ser criativo em razão de se fazer uso da capacidade solucionadora de problemas dos clientes. Já sabemos que um consumidor compra muito mais do que o produto ou serviço. Ele quer realizar um sonho existente sob o seu desejo. Uma solução para os problemas que se instalam em sua vida. Portanto, há um conjunto de itens presentes no comprador quando ele se depara com um vendedor. A questão básica é: será que o profissional de vendas leva em consideração aspectos tão importantes? Pense a respeito e analise o caso com a vontade necessária.

De forma prática, a inteligência criativa é a adequação resultante de um processo de se analisar um obstáculo, pensar em diferentes maneiras de resolvê-lo, obter idéias a respeito e aplicá-las. Dá um certo trabalho, mas vale a pena! E com o passar do tempo, caso o vendedor use desse expediente psicológico com certa freqüência, observa-se a formação do hábito decorrente. E quando menos se espera, lá estará funcionando o processamento da criatividade para resolver e ajudar um cliente.

A percepção e o sentimento que ocorrem no consumidor quando o vendedor demonstra tamanha força de vontade e interesse são profundamente valorosos. Quando alguém se apresenta solícito a resolver as nossas questões, nos sentimos prazerosamente bem relacionados, além do grau de importância percebido, face ao tipo de bom atendimento percebido.

Há um ponto a se considerar para a adequada auto-avaliação do vendedor: a sua crença em relação a ser possível desenvolver a criatividade. Por falta da prática do desenvolvimento da inteligência criativa é possível que se estabeleça uma mentalidade desacreditada sobre o assunto, dificultando, portanto, o uso de tal potencial. (Todos o possuem consigo.) Mas é uma questão de dar o primeiro passo e verificar na prática cada resultado obtido. Conforme se gosta, mais se quer fazê-lo.

Quando se constata a possibilidade de vender fazendo uso da criatividade, sobe-se um degrau na consciência de vendas. Em tal patamar é possível observar o universo do vendedor de um outro panorama. O que antes era apenas algo temporário, um bico ou uma atividade paralela, passa a ser uma profissão mais refinada. O que se fazia técnica e mecanicamente, desfruta, neste novo momento, de uma articulação mental que inclui postura, concentração, vontade, superação, bom nível de relacionamento, inovação, etc. O vendedor avança na sua profissão e gera automotivação para continuar a empreender vendas interessantes através de cada nova informação e método, aliados à habilidade criativa de resolver problemas.

O vendedor criativo se posiciona de tal forma que é eleito por seus clientes como aquele que precisa estar sempre próximo. Todos o querem por perto. E não é para menos. Afinal, ao refletir por alguns instantes, perceberemos que todos nós desejamos ter alguém que facilite a nossa vida, sobretudo nos momentos em que nos estimulamos a realizar uma compra. Queremos uma parceria na qual a outra parte esteja comprometida. E um vendedor neste nível profissional é exatamente a resposta a tal demanda.

É preciso rever a mentalidade sobre ser criativo nas vendas e aperfeiçoar as deficiências existentes. Ser um bom profissional de vendas requer qualidade em vários quesitos, especialmente em relação à inteligência criativa. Seja criativo e conquiste espaços no mercado que sequer imaginou. Conseqüentemente, venda. Venda mais do que está acostumado.

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima