O vendedor do futuro

5 dicas para você se tornar um importante elo da cadeia de valor da empresa Peça a alguns líderes empresariais que elejam, dentro da empresa, o departamento que deveria ser o mais dinâmico, forte, produtivo e de menor rotatividade entre todos. Tenho certeza de que dez entre dez líderes dirão ?vendas?.

Em outras palavras, o vendedor é o segredo do sucesso de qualquer organização. Ele é o elemento-chave do ecossistema dos negócios, aquele que faz as coisas acontecerem. Portanto, constitui uma das mais nobres profissões existentes. Entretanto, há o outro lado da moeda: o preconceito em relação ao vendedor. Já era assim na minha época de estudante: o profissional de vendas era perseguido pelo estereótipo do caixeiro-viajante, o tipo enrolador. Outro estigma: o de que o vendedor é, antes de tudo, um chato.

Um dos meus primeiros empregos com registro em carteira foi como vendedor de livros da Editora Bloch. Vendia uma enciclopédia que era concorrente da famosa Barsa. Se vender a líder do mercado já era difícil, imagine vender uma das tantas concorrentes. Vendedor de livros era aquele que chegava sem ser chamado, oferecendo algo que você não queria comprar. Falávamos bem, tínhamos um discurso preciso, sabíamos como envolver as crianças na compra, como olhar para as mães, abrir os folhetos e até descrever a imagem da beleza que seria aqueles volumes na estante da televisão da sala. Éramos uns chatos. Insistentes, bons comunicadores, mas uns chatos.

Não estou dizendo que vendia algo inútil ou sem qualidade, nada disso! A Bloch Editores chegou a ter umas das maiores gráficas e editoras do País. Mas o fato é que esse vendedor ?intruso? acabou tendo associada a ele a imagem de chato, que ninguém quer para si ? embora eu tenha muito orgulho de dizer que sou vendedor.

Mas o fato é que o vendedor que defendemos e buscamos para as nossas organizações é aquele que negocia, conhece o mercado, assessora o cliente, enfim, mais do que um chato, é um importante elo da cadeia de valor de qualquer produto ou serviço. Talvez agora você esteja se perguntando: mas como ser assim, se hoje os potenciais clientes têm pressa e não se deixam conquistar? Pois saiba que existem diferentes técnicas e abordagens para você chegar lá. É preciso, no entanto, dar o primeiro passo, que nos leve em direção ao equilíbrio. Comece com uma auto-avaliação e, logo em seguida, tente colocar em prática as cinco dicas que trago neste mês para você. Depois, coloque tudo isso no papel, medindo os seus esforços, o seu equilíbrio e os seus resultados. E fique à vontade para me escrever contando se a teoria funciona na prática!

Saia da sua zona de conforto! A seguir, 5 dicas para você colocar em prática imediatamente:
1. Tempo é a palavra-chave. Multiplique o seu tempo administrando-o com eficiência, por exemplo: comece toda segunda-feira com uma hora dedicada ao planejamento da semana, durante a qual nada deverá interrompe-lo, nem telefonemas nem e-mails nem colegas.

2. Não deixe de fazer atividades físicas, de preferência diariamente ? ou dia sim, dia não.

3. Tente preservar noites e finais de semana para o lazer e dedique pelo menos 25% do seu tempo total para o convívio social, com família e amigos.

4. Viaje com alguma freqüência, explore locais desconhecidos, recicle-se.

5. Cuide da alma, seja pela meditação, música, literatura, contato com a natureza, etc.

Auto-avaliação:
&raquo Você investe em atividades de médio e longo prazos para desenvolver suas habilidades?
&raquo Você se permite momentos de ócio criativo, ou acha que isso é perda de tempo?
&raquo Como você lida com as pressões do dia-a-dia? Tem a sensação de estar sempre ?apagando incêndios??
&raquo Que importância você dá a sua saúde física e mental no planejamento da sua semana?
&raquo Como você distribui seu tempo entre trabalho, lazer e relacionamento com a família e amigos? Com que freqüência você sacrifica férias e fins de semana em nome do trabalho?

Conteúdos Relacionados

Dica número 1 de liderança em vendas

Volta e meia recebo perguntas como esta: “Raul, se você pudesse me dar só uma dica sobre como ser um gestor melhor, qual seria?”

Procuro evitar responder questionamentos como este porque eles costumam vir de alguém que está procurando um atalho ou uma pílula mágica, mas a verdade é que sempre existe mais de uma opção para resolver um problema ou desafio – por isso mesmo, buscar uma única ferramenta milagrosa raramente traz os melhores resultados.

Continuar lendo
Rolar para cima