Os 5 monstros comportamentais da venda

Quer parar de perder vendas?

Hoje eu não vou falar de monstros técnicos, táticos e estratégicos que bloqueiam as vendas, e sim dos comportamentais esquecidos. Ninguém fala deles e, por isso, agem escondidos nos porões do cérebro. São os seguintes: o Vampiro do nunca; o Drácula do sempre; o Alien do até que; o Fantasma do depois de; e o Frankenstein do quase.

Eric Berne, o pai da análise transacional, já dizia que esses monstros (ele falava de seis e os chamava de roteiros de vida) esvaziam as emoções da excelência e destroem o comportamento positivo que cria cenários atitudinais para as boas vendas acontecerem. Conheça-os:

 

  1. 1.    O Vampiro do nunca – Pare de dizer: “Nunca vou conseguir vender mais! Nunca superarei minhas metas! Nunca chegarei lá!”. Em vez disso, transforme o “nunca” negativo em positivo dizendo: “Nunca deixarei de tentar e de caçar novas alternativas! Nunca pararei de me desafiar para a superação! Nunca deixarei de pensar alto em vendas!”.

 

  1. 2.    O Drácula do sempre – Ele aparece na imaginação de gerentes e vendedores que sentem-se azarados na vida e na venda. São os que dizem: “Sempre me acontece! Sobrou para mim! Sou sempre eu que não fecho as cotas!”. Abra a cortina da consciência e deixe a luz do dia do “sempre” positivo transformar esse Drácula em pó e diga: “Sempre haverá um novo sol em meu horizonte! Sempre saberei recomeçar! Sempre tentarei visitar um cliente novo! Sempre vou querer vender mais!”.

 

  1. 3.    O Alien do até que – Há profissionais que pensam: “Até que entre na faculdade, não terei paz! Até que tenha uma família linda, não serei feliz! Até que seja reconhecido e valorizado por minha empresa, não darei tudo de mim! Até que ganhe uma promoção, não terei harmonia interior!”. Acabe com esse Alien que tira a sua paz produtiva e diga: “Serei feliz agora! Não viverei nem das mazelas do passado nem das incertezas do futuro! Primeiro vou me valorizar para depois ser valorizado! Darei o melhor de mim para ser lembrado em uma promoção!”.

 

  1. 4.    O Fantasma do depois de – Este é um comportamento muito ruim, porque trava as ações produtivas. Ele surge no cemitério de seus pensamentos assim: “Depois de saber que posso ser o diretor dessa empresa, não consigo mais dormir, pois esse cargo é muito difícil! Depois de saber que posso ser o gerente geral, fiquei ansioso, porque esse território que vou gerenciar é terrível!”. São líderes e vendedores que evitam o sucesso para não ter de encarar o fracasso. Exorcize esse fantasma já!

 

  1. 5.    O Frankenstein do quase – Ele aparece na escuridão do seu desânimo quando você pensa: “Quase consegui! Quase atingi minhas metas! Quase vendi para aquele grande cliente!”. Já notou que há pessoas que vão até um certo ponto na vida e não passam dali? Elas chegam bem perto, mas não ultrapassam seus limites imaginários porque tudo dentro delas se programou para apenas um recorde ou marca e, quando não atingem seus objetivos, acabam por dizer: “Quase cheguei!”.

 

Acabe de vez com esses cinco monstros da competitividade e supere suas metas. Quando você decide que não será assustado por comportamentos improdutivos, sua mente fica melhor e você trabalha livre para vencer. Sua imaginação não é um campo de terror e seu cérebro não é um quarto escuro do pânico, e sim um lugar em que as estratégias de sua empresa entram para triunfar. Longe desses cinco monstros, seu cenário comportamental fica positivamente montado, pronto para ser acionado.

Hoje eu não vou falar de monstros técnicos, táticos e estratégicos que bloqueiam as vendas, e sim dos comportamentais esquecidos. Ninguém fala deles e, por isso, agem escondidos nos porões do cérebro. São os seguintes: o Vampiro do nunca; o Drácula do sempre; o Alien do até que; o Fantasma do depois de; e o Frankenstein do quase.

Eric Berne, o pai da análise transacional, já dizia que esses monstros (ele falava de seis e os chamava de roteiros de vida) esvaziam as emoções da excelência e destroem o comportamento positivo que cria cenários atitudinais para as boas vendas acontecerem. Conheça-os:

 

  1. 1.    O Vampiro do nunca – Pare de dizer: “Nunca vou conseguir vender mais! Nunca superarei minhas metas! Nunca chegarei lá!”. Em vez disso, transforme o “nunca” negativo em positivo dizendo: “Nunca deixarei de tentar e de caçar novas alternativas! Nunca pararei de me desafiar para a superação! Nunca deixarei de pensar alto em vendas!”.

 

  1. 2.    O Drácula do sempre – Ele aparece na imaginação de gerentes e vendedores que sentem-se azarados na vida e na venda. São os que dizem: “Sempre me acontece! Sobrou para mim! Sou sempre eu que não fecho as cotas!”. Abra a cortina da consciência e deixe a luz do dia do “sempre” positivo transformar esse Drácula em pó e diga: “Sempre haverá um novo sol em meu horizonte! Sempre saberei recomeçar! Sempre tentarei visitar um cliente novo! Sempre vou querer vender mais!”.

 

  1. 3.    O Alien do até que – Há profissionais que pensam: “Até que entre na faculdade, não terei paz! Até que tenha uma família linda, não serei feliz! Até que seja reconhecido e valorizado por minha empresa, não darei tudo de mim! Até que ganhe uma promoção, não terei harmonia interior!”. Acabe com esse Alien que tira a sua paz produtiva e diga: “Serei feliz agora! Não viverei nem das mazelas do passado nem das incertezas do futuro! Primeiro vou me valorizar para depois ser valorizado! Darei o melhor de mim para ser lembrado em uma promoção!”.

 

  1. 4.    O Fantasma do depois de – Este é um comportamento muito ruim, porque trava as ações produtivas. Ele surge no cemitério de seus pensamentos assim: “Depois de saber que posso ser o diretor dessa empresa, não consigo mais dormir, pois esse cargo é muito difícil! Depois de saber que posso ser o gerente geral, fiquei ansioso, porque esse território que vou gerenciar é terrível!”. São líderes e vendedores que evitam o sucesso para não ter de encarar o fracasso. Exorcize esse fantasma já!

 

  1. 5.    O Frankenstein do quase – Ele aparece na escuridão do seu desânimo quando você pensa: “Quase consegui! Quase atingi minhas metas! Quase vendi para aquele grande cliente!”. Já notou que há pessoas que vão até um certo ponto na vida e não passam dali? Elas chegam bem perto, mas não ultrapassam seus limites imaginários porque tudo dentro delas se programou para apenas um recorde ou marca e, quando não atingem seus objetivos, acabam por dizer: “Quase cheguei!”.

 

Acabe de vez com esses cinco monstros da competitividade e supere suas metas. Quando você decide que não será assustado por comportamentos improdutivos, sua mente fica melhor e você trabalha livre para vencer. Sua imaginação não é um campo de terror e seu cérebro não é um quarto escuro do pânico, e sim um lugar em que as estratégias de sua empresa entram para triunfar. Longe desses cinco monstros, seu cenário comportamental fica positivamente montado, pronto para ser acionado.

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima