Paixão X dinheiro

Paixão X dinheiro Por Heinz Schurt

O assunto tem sido debatido com muita freqüência na mídia, nas conferências e nas conversas informais dentro das organizações. Tenho certeza de que todos nós, em algum momento, já nos deparamos com ele. Trabalhar por paixão ou por dinheiro? Eis a questão.

Acredito que colocar o coração naquilo que fazemos é um dos grandes segredos para sermos bem-sucedidos. Observo que os profissionais que colocam a paixão e a emoção naquilo que fazem acabam sendo reconhecidos e obtêm sucesso na vida profissional, o que contempla, inclusive, o sucesso financeiro.

O pesquisador norte-americano Mark Albion perguntou para 1,5 mil profissionais que obtiveram seu diploma de MBA nas melhores escolas dos Estados Unidos: ?Sua primeira opção de emprego, após a conclusão do curso, foi trabalhar onde ganharia dinheiro ou trabalhar naquilo que realmente lhe interessava, independentemente do dinheiro pago por isso??.

Dos entrevistados, 83% optaram por trabalhar naquilo que lhes desse dinheiro e 17% optaram por trabalhar naquilo que tivessem paixão. O que mais chama a atenção é que, 20 anos depois, dos 1,5 mil pesquisados, 101 se tornaram milionários. Destes, cem eram do grupo que optaram em seguir sua paixão e apenas um era do grupo que optou em colocar o dinheiro como o principal item. A pesquisa reafirma a questão de que dinheiro é conseqüência e de que a paixão faz a diferença.

Em vendas acontece a mesma coisa. O vendedor que não gosta da sua profissão e que não coloca o coração na sua atividade com certeza terá menos resultado, pois não conseguirá transmitir aos seus clientes emoção, carinho e cortesia. Será um vendedor racional, mecânico e, talvez, até frio, com pouco sucesso na sua carreira.

Apesar de sabermos que também é importante colocar a mente naquilo que fazemos, isso não é mais um diferencial competitivo, mas um pré-requisito. O mundo está voltado para o relacionamento, interação e emoção. Não se trata de desmerecer a técnica, mas afirmar que, desprovida de paixão, é apenas técnica, não agregando valor emocional à profissão.

É importante lembrar que os clientes compram duas coisas: bons sentimentos e soluções para os seus problemas. Para as soluções, basta a técnica. Mas para gerar bons sentimentos a paixão pelo que faz é fundamental.

Heinz Schurt é consultor e palestrante da área motivacional.
Visite o site: www.heinz.adm.br
E-mail: [email protected]

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima