Pare de fazer pós-venda só depois da venda!

Claudio Diogo, pós-venda, pré-venda, resultados

Pare de fazer pós-venda só depois da venda!

Conheça e entenda o conceito de “pós-venda como pré-venda”, aplique-o no seu dia a dia e alcance resultados cada vez melhores

Há alguns dias, enquanto jantava com alguns executivos, fomos atendidos por um simpático garçom que, após termos encerrado nosso prato principal, voltou à mesa e disparou uma das perguntas que muito me aborrece: “Os senhores desejam alguma sobremesa?”.

Afinal, o “vai querer mais alguma coisa?”, tão comum em vendas, mostra que há um vício natural em boa parte dos profissionais desta área: não pensar na venda quando o processo começa; achar que pós-venda deve ser feito só no “fim” da venda, sendo que na verdade deveria funcionar como pré-venda.

Quem deveria saber se a sobremesa seria minha melhor decisão, é o nosso simpático garçom. Saborear um delicioso pudim de leite, um petit gateau preparado na hora ou uma torta de limão que é a especialidade da casa, deve fazer parte do jantar. Mesmo que seja chamado de "produto adicional", ele deve fazer parte do principal.

O garçom deveria saber que em vendas, não se faz nada ao acaso – se faz tudo de propósito.

Ainda não entendeu onde quero chegar? Acompanhe meu raciocínio. É mais simples do que você imagina…   

Venda completa x venda incompleta

O cenário ideal para qualquer vendedor é sempre fazer uma venda completa. Ou seja, se você é garçom, precisa fazer de tudo para que seu cliente peça entrada, prato principal, bebida para acompanhar e sobremesa para fechar bem a refeição. Se ele optar só pelo prato principal e por uma bebida você estará fazendo uma venda incompleta.

Claro que nem sempre é possível ter controle total sobre o que o seu cliente vai consumir. Porém, existem técnicas que podem ajudá-lo a aumentar as chances de realizar uma venda completa, dentre as quais recomendo:

  1. Conheça muito bem o que você vende. Só assim você vai saber quando e para quem oferecer o que você tem em mãos;
  2. Estude os perfis de seus clientes e aprenda a identificá-los logo que eles entram em sua empresa;
  3. Saiba quais produtos/serviços são mais adequados para cada um desses clientes e tenha-os sempre à mão para poder iniciar a venda já pensando em vender o pacote completo (porque em vendas nada deve ser feito por acaso, tudo deve ser feito de propósito);
  4. Faça com que a venda do adicional fique sob sua responsabilidade. “Agora que você comprou ‘isso’, vai precisar também ‘disso’” é uma ótima estratégia para convencer o cliente que comprar só seu produto/serviço principal não basta; para ele ser completamente feliz ele precisa também dos adicionais;
  5. Nunca restrinja sua venda de adicionais ao “vai querer mais alguma coisa?” Seja criativo. Ofereça o adicional mostrando como ele vai fazer diferença na vida do cliente, revelando por que ele é fundamental até mesmo para o sucesso do produto principal, etc.

Depois que você tiver aprendido essas lições deve aprender também que comemorar a primeira venda a um cliente não está com nada. Até porque se você vendeu apenas uma vez àquele cliente você ainda nem concluiu a venda. Isso mesmo, uma venda só é concluída de fato quando o cliente volta a comprar com você, quando ele se torna fiel à sua empresa.

E é aí que entra o pós-venda como pré-venda. Você deve aproveitar o momento em que seu cliente acabou de sair da sua empresa para garantir que ele volte logo, usando para isso técnicas que normalmente se enquadram no pós-venda – agendamento de contato periódico com ele, preparação de promoções especiais, mandando brindes… enfim, você precisa fazer tudo o que você sempre fez pensando apenas no pós-venda, mas desta vez enxergando como pré-venda. Não faça nada ao acaso, faça tudo "de propósito" e venda mais.

Conteúdos Relacionados

Dica número 1 de liderança em vendas

Volta e meia recebo perguntas como esta: “Raul, se você pudesse me dar só uma dica sobre como ser um gestor melhor, qual seria?”

Procuro evitar responder questionamentos como este porque eles costumam vir de alguém que está procurando um atalho ou uma pílula mágica, mas a verdade é que sempre existe mais de uma opção para resolver um problema ou desafio – por isso mesmo, buscar uma única ferramenta milagrosa raramente traz os melhores resultados.

Continuar lendo
Rolar para cima