Pegadas na areia

Uma noite eu tive um sonho. Sonhei que estava andando na praia com o Senhor e, através do Céu, passavam-se cenas da minha vida. ?Uma noite eu tive um sonho. Sonhei que estava andando na praia com o Senhor e, através do Céu, passavam-se cenas da minha vida. (…)?

Esse é o início do poema ?Pegadas na areia?, que vem atravessando o mundo como sendo de autor desconhecido. No livro Pegadas na Areia, a autora Margaret Fishback Powers conta que escreveu o texto na década de 60. Ela só descobriu que o poema tinha ganho vida e rumo próprios quando o marido esteve internado num hospital e ouviu o poema da boca de uma enfermeira que queria confortá-lo.

A obra traz trechos da vida da autora, recheados de emoção, dificuldades e alegrias. Margaret conta como sentiu amargura por outros terem usado seu trabalho, e como aprendeu a perdoar e esquecer, à medida que foi aprendendo a enxergar as coisas verdadeiramente importantes em sua existência.

É um livro leve, fácil de ler, mas ao mesmo tempo profundo, cheio de ensinamentos. Mais do que nunca, vale a pena relembrar o poema, agora cientes da autoria verdadeira:

?Uma noite eu tive um sonho. Sonhei que estava andando na praia com o Senhor e, através do Céu, passavam-se cenas da minha vida. Para cada cena que passava, percebi que eram deixados dois pares de pegadas na areia. Um era meu e o outro, do Senhor.

Quando a última cena de minha vida passou diante de nós, olhei para trás, para as pegadas na areia, e notei que, muitas vezes no caminho de minha vida, havia apenas um par de pegadas na areia.

Notei também que isso aconteceu nos momentos mais difíceis e angustiosos de meu viver. Isso entristeceu-me deveras, e perguntei, então, ao Senhor: ?Senhor, tu me disseste que, uma vez que eu resolvera Te seguir, Tu andarias sempre comigo em todo o caminho, mas notei que, durante as maiores atribulações de meu viver, havia na areia dos caminhos da vida apenas um par de pegadas. Não compreendo por que, nas horas em que mais necessitava de Ti, Tu me deixaste?.

O Senhor respondeu: ?Meu precioso filho. Eu te amo e jamais te deixaria nas horas de tua prova e de teu sofrimento. Quando viste na areia apenas um par de pegadas, foi exatamente aí que Eu, nos braços, te carreguei?

Frase: ?Meu modo de encarar a vida é simples: abrir os olhos e andar para a frente? ? Laurence Olivier

Para Saber Mais: Pegadas na Areia, de Margaret Fishback Powers (Editora Fundamento). Visite: www.editorafundamento.com.br.

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima