Por que empreender?

Muitas pessoas se lançam no ramo empresarial. Entenda por que algumas se dão bem e outras só vão aumentar o grupo dos empreendedores fadados ao fracasso. O sonho de muita gente é deixar de ser empregado e passar para o grupo dos empreendedores. Mas o que é ser empreendedor e quais as condições necessárias para o sucesso de um empreendimento?

Os empreendedores são pessoas capazes de executar o que é proposto com muita vontade, determinação, competência e uma boa dose de ousadia. Têm desempenhos diferenciados dos profissionais comuns, de modo a se destacarem facilmente em tudo que fazem. Não medem esforços para atingir seus objetivos. São dotadas de várias qualidades que as credenciam para o sucesso e são conscientes de que só se chega lá à custa de muito trabalho e dedicação.

São pessoas decididas, corajosas, capazes de correr riscos calculados, focadas, persistentes, otimistas, que estão sempre identificando oportunidades e agindo, entre outras características. Mas será que todas as pessoas que pensam em empreender possuem tais qualidades? Ou será que muitas imaginam que apenas o simples fato de passarem para o outro lado as fará mudar automaticamente de atitude?

Quando se parte para um empreendimento, a tendência é começar pequeno e trabalhar duro para crescer gradativamente, como tem sido a história de grandes empreendedores. Portanto, geralmente se inicia no mercado fazendo parte do grupo das micro e pequenas empresas (MPEs). Grupo de significativa importância na economia do País, mas não valorizado pelos governantes. Os entraves burocráticos são grandes, a carga tributária é elevada e os recursos financeiros, além de escassos, são caros, impossibilitando a realização do sonho de muita gente.

De acordo com dados do Sebrae, as MPEs representam 99,2% dos empreendimentos do Brasil e são responsáveis por 60% dos empregos existentes. Geram 57,2% de empregos anualmente e contribuem com 20% do PIB nacional. Em contrapartida, muitos desses empreendimentos morrem cedo, conforme a mesma fonte, ou seja: 49,4% encerram suas atividades antes de completar dois anos; 56,4% chegam até o terceiro ano e 59,9% não passam do quarto ano. Mas qual o motivo dessa alta taxa de mortalidade?

São várias as razões que levam as MPEs não prosperarem, destacando-se as seguintes:

-Desconhecimento do ramo explorado, bem como do comportamento do mercado e suas particularidades pelo empreendedor.
-Falta de capital de giro, tendo que recorrer ao mercado financeiro com altas taxas de juros.
-Falta de foco, afinidade e dedicação no negócio, fazendo com que o empreendedor desista sem persistir.
-Trabalhar com produtos ou serviços de baixa qualidade, contribuindo para que os clientes procurem outras opções junto à concorrência.
-A não-inovação dos produtos ou serviços em um mercado cheio de mudanças e altamente competitivo, em que o cliente quer novidade.
-Custos operacionais elevados e despesas não-controladas.
-E não se pode esquecer das dificuldades decorrentes das legislações para se manter uma empresa lucrativa em atividade, bem como dos entraves burocráticos.

Por desconhecerem essas questões, e até mesmo por força das circunstâncias, muitas pessoas se lançam no ramo empresarial, sendo que algumas se dão bem, enquanto outras só vão aumentar o grupo dos empreendedores fadados ao fracasso. E um dos grandes motivos para se lançar no mercado como empreendedor é o desemprego e a falta de oportunidade de trabalho. Outras pessoas fazem a opção pela disponibilidade de capital, vocação para empreender, buscar sua independência, realização pessoal e assim por diante. Mas a verdade é que muita gente gostaria de administrar o seu próprio negócio.

Por outro lado, não importa por que as pessoas optam partir para um empreendimento próprio, mas antes de tomarem tal decisão é fundamental a conscientização das dificuldades que irão encontrar e se estão dispostas a seguir em frente, com a mesma motivação inicial. As respostas a estas quatro perguntas servirão de orientação para trilharem o caminho certo:

1) O que quero fazer?
2) Quando fazer?
3) Por que fazer?
4) Como fazer?

Mediante respostas conscientes e devidamente amadurecidas, define-se o objetivo desejado e o momento certo para a sua execução, bem como os motivos e as estratégias a serem adotadas para o sucesso do empreendimento. Com certeza, é o que faz o bom empreendedor antes de executar qualquer projeto, por melhor que seja a oportunidade identificada. Pois, de nada adianta uma oportunidade de negócio se não há o devido preparo para explorá-la. Pior, ainda, quando se junta o despreparo à má oportunidade, que é o que se vê no dia-a-dia de muitas pessoas que partem para uma atividade própria.

Conteúdos Relacionados

Dica número 1 de liderança em vendas

Volta e meia recebo perguntas como esta: “Raul, se você pudesse me dar só uma dica sobre como ser um gestor melhor, qual seria?”

Procuro evitar responder questionamentos como este porque eles costumam vir de alguém que está procurando um atalho ou uma pílula mágica, mas a verdade é que sempre existe mais de uma opção para resolver um problema ou desafio – por isso mesmo, buscar uma única ferramenta milagrosa raramente traz os melhores resultados.

Continuar lendo
Rolar para cima