Princess Hair

Como vencer a competitividade com a excelência em serviços

Muito barulho, puxões de cabelo, cheiros diversos, horas de espera, entre outros. É cada vez maior o número de pessoas que recorrem aos salões de beleza e centros de estética para aumentar a autoestima. Tanta procura gera, consequentemente, uma maior atratividade para o mercado que, na contramão da crise, cresce a passos largos. As estimativas mais recentes do Ministério do Trabalho, datadas de 2007, apontam que apenas na cidade de Curitiba há pelo menos 277 estabelecimentos com esse fim. E é justamente nessa cidade que se encontra a rede Princess Hair, que celebra, neste ano, seu 14o aniversário. O evento promete ser comemorado com o lançamento de mais duas novas sedes, totalizando 12 estabelecimentos.

 

O início da trajetória de sucesso da empresária Mônica Demeterco começou em 1995, como muitas outras no Brasil, com uma série de conversas entre familiares. Empreendedora, ela decidiu ousar e abriu seu primeiro salão de beleza – o Charlote Hair, localizado no bairro Juvevê. Em pouco tempo, o pequeno salão multiplicou-se em 11 amplas lojas espalhadas em várias regiões da capital paranaense.

 

Entretanto, para atingir o sucesso, a empresária precisou enfrentar um forte inimigo: a informalidade do mercado. “Foi difícil impor o conceito de salão-empresa. As pessoas não conseguiam visualizar um salão de beleza como sendo uma companhia. Elas achavam que o mercado era daquela forma e não podia mudar”, relembra Mônica. Aos poucos, o estabelecimento foi inovando e, com isso, reinventando o sistema. Uma das grandes novidades instituída pela rede na cidade foi o funcionamento de salões de beleza nas segundas-feiras.

 

“Nós decidimos mudar o conceito de salão de beleza tradicional. Então, implementamos, como gosto de chamar, o salão-empresa, onde oferecemos aos nossos clientes atendimento e serviços com excelência em qualidade. Nós fomos os primeiros a adotar a política de total transparência, em que o consumidor sempre poderá encontrar a tabela de preços na porta de entrada do salão. Além disso, também fomos pioneiros na implementação dos descartáveis. Primeiramente, para uso da manicure e pedicure e, depois, aos próprios cabeleireiros”, conta a empreendedora.

 

Realizado o sonho de dar ao salão o caráter profissional que imaginava, Mônica vivenciou seu segundo grande desafio: uma mudança no quadro societário, ocorrida em 2000, levou a empresária a abraçar apenas 5 dos 11 salões que a rede possuía até então. Em vez de “chorar sobre o leite derramado”, ela escolheu o momento de adversidade para dar vida a uma nova rede: a Princess Hair. Nove anos depois, a marca comemora o sucesso de uma dezena de lojas e pretende inaugurar, neste ano, mais duas sedes. Atualmente, o empreendimento conta com mais de 650 profissionais entre autônomos e funcionários.

 

Bom atendimento

 

Para crescer, a diretoria focou esforços para colocar no coração dos colaboradores a importância do cliente. “O principal desafio enfrentado foi fazer todo o grupo entender que a estrela do salão é o consumidor, e que estamos ali para servi-lo”, afirma Mônica, que relembra tal percurso como “uma luta constante para o crescimento profissional da equipe, em termos de atendimento e experiência”. Hoje, o Princess Hair compreende também um centro técnico próprio, que auxilia nos treinamentos da equipe. “Faço questão de que os profissionais que trabalham na rede estejam constantemente reciclando seus conhecimentos. Isso ajuda a superar muitas dificuldades nesse segmento”, explica.

 

Além de um bom atendimento, a equipe do Princess Hair também percebeu que precisava surpreender o cliente. Por isso, inaugurou, em outubro passado, o primeiro espaço em São José dos Pinhais, PR, tomando cuidado em criar uma área especial para o público masculino. Homens e mulheres, na visão do grupo, são bastante diferentes quando o assunto é dar um trato no visual, e isso foi refletido no novo espaço. Resgatando o tradicional conceito de barbearia, o setor masculino do local compreende uma sala isolada onde os homens podem usufruir com privacidade de serviços, como: manicure, coloração, corte de cabelo e aparagem de barba.

 

Oportunidade

 

A proprietária não teme a concorrência e vê os demais empresários do ramo como seus incentivadores. “Acreditamos que a concorrência seja saudável, pois faz com que todos melhorem”, afirma Mônica. Para vencê-la, além de todas as vantagens já citadas, ela também acredita na influência do ponto de venda e facilidade de acesso. Com sonho de alçar voos ainda mais altos e, futuramente, chegar a outros estados, a empresária mantém os pés bem no chão nesse momento: “Primeiramente, temos uma meta a cumprir no Paraná”.

 

Sem medo de comemorar, ela conta que já imaginava chegar aonde está. “Eu planejei assim. Nossa equipe é muito ativa, gosta de desafios e não conseguimos mais ficar parados”, assume a proprietária. Para os que, como ela, planejam prosperar nos negócios, Mônica conta que sua principal arma é a dedicação. “Dedique-se ao seu negócio com amor e não se esqueça que a cada dia aprendemos algo novo e importante para o empreendimento. Atenção aos detalhes é fundamental”, aconselha.

 

5 lições que você pode aprender com a trajetória do Princess Hair

 

  1. 1.    Acredite em seu sonho – Planeje com cuidado aonde pretende chegar e o que deve ser feito para isso.
  2. 2.    Reinvente-se – Mônica Demeterco não teve medo de dar seguimento ao seu sonho após a separação societária. Ela dedicou-se aos salões com que ficou e, neste ano, pretende ultrapassar a marca que possuía em 2000, em termos de estabelecimentos comerciais.
  3. 3.    Invista em profissionalismo – Por mais competitivo que seja o mercado, o consumidor reconhece a praticidade, qualidade e profissionais bem treinados. Isso agrega valor ao serviço.
  4. 4.    Conheça e reconheça o consumidor – Lembre-se de que o cliente é o maior responsável pelo sucesso de sua marca. Logo, escute-o, procure criar diferenciais e garantir produtos e serviços que atendam às suas demandas, em especial as que ainda não foram descobertas pelo grande mercado.
  5. 5.    Não tema a concorrência – Invista no constante aprimoramento de seus produtos e serviços e veja a concorrência como um incentivo para esse desenvolvimento.

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima