Professor Gretz

Professor Gretz. Sucesso com qualidade de vida

Conhecido por animar plateias em todo Brasil, o professor Gretz já escreveu mais de 11 livros e ministrou palestras sobre motivação, carreira e qualidade de vida em todo o País.

Em seu novo DVD Como a qualidade de vida pode se tornar um diferencial competitivo, ele trata de um tema que fez parte de sua própria experiência de vida e mudou sua maneira de agir: “Quando completei 40 anos, concluí que só podia estender minha carreira profissional se estivesse bem. Então, tomei algumas atitudes: perdi 30 quilos em 30 meses, adotei a alimentação vegetariana, comecei a fazer atividades físicas regularmente, iniciei um tratamento ortomolecular e passei a administrar melhor meu tempo. E, também, me permiti fazer o que gosto: viajar”.

O professor Gretz recomenda que as pessoas tenham mais qualidade de vida a fim de melhorarem o desempenho profissional a médio e longo prazos. Confira, na entrevista a seguir, os conselhos dele para atingir o sucesso.

Por que a qualidade de vida pode se tornar um diferencial competitivo para os profissionais?

Sentir-se útil torna-se uma condição de equilíbrio da personalidade humana, porém só posso ser útil se estou bem comigo mesmo. Um profissional de sucesso precisa praticar atitudes positivas que lhe permitam estar bem-disposto e com entusiasmo para enfrentar seus desafios.

Na sua opinião, o que significa qualidade de vida?

Qualidade de vida é estar em paz com seu coração. Para cada pessoa, ela tem um significado próprio. Para mim, é aliar o trabalho ao lazer, dedicar-se à família, à vida espiritual e manter uma alimentação saudável com atividade física constante. Ter qualidade de vida não é ficar deitado em uma cadeira de praia com o copo de cerveja do lado. Isso pode representar um bom período de férias, muito agradável para alguns, mas não chega a ser uma meta, um modelo de vida saudável, pois, para tanto, é fundamental sentir-se útil, é isso que realimenta a alegria de viver. Quando lancei meu livro Vida com qualidade, fiz uma pesquisa com milhares de pessoas e perguntei: “O que é qualidade de vida para você?”. Os dez itens mais votados foram: boa saúde, tempo para estar com a família, felicidade no amor, controle emocional, tempo dedicado a si próprio, boas amizades, bom salário, felicidade no casamento, estabilidade no emprego e tempo para o lazer (nessa ordem).

O humor é uma característica marcante de suas palestras e deixa clara sua disposição para viver a vida de forma plena. Qual é a importância dele no dia-a-dia de um profissional?

O humor é a menor distância entre dois indivíduos. As pessoas bem-humoradas tendem a ser menos rígidas, mais criativas, flexíveis e dispostas a considerar e incorporar novas ideias e métodos. O humor é um importante atributo dos líderes nestes tempos de rápidas mudanças e valorização do trabalho em equipe.

O que você faz para manter o bom humor nos momentos mais difíceis?

Quando eu tinha 17 anos, perguntei ao pastor Osvaldo Alves qual era o segredo para manter o bom humor, e ele me respondeu: “Não leve a vida muito a sério”.

Como a qualidade de vida pode interferir na motivação das pessoas?

A motivação é gerada por vários fatores. O primeiro deles é um trabalho desafiante que nos dê um sentido de missão e propósito. Só posso vencer os desafios quando estou internamente equilibrado. Esse é um dos indicadores da qualidade de vida, entre outros.

É possível um profissional desenvolver sua qualidade de vida mesmo que a empresa não faça isso? Nesse caso, como ele pode cuidar de sua qualidade de vida?

Cada um é responsável por sua vida e atos. A preocupação com qualidade de vida não está ligada ao cargo. Tenho encontrado pescadores nas praias de Santa Catarina que têm mais qualidade de vida que o presidente de uma multinacional. Quando era criança e morava no sítio, vivia sentado na beira do fogão comendo mandioca assada – e era muito feliz. Em minha infância, às vezes, as pessoas me perguntavam o que eu queria ser quando crescesse. Hoje, ninguém pergunta mais. No entanto, se perguntassem, eu diria: “Quero ser criança novamente”.

Muitas pessoas abrem mão da qualidade de vida no presente para obter mais êxito profissional. Mas quem zela por ela pode conseguir, dessa forma, mais sucesso?

Sim, mas em médio prazo. Em curto prazo, talvez o outro modelo leve vantagem. Ou seja, o profissional que trabalha demais e sacrifica a vida pessoal pode se tornar bem-sucedido mais rapidamente, porém o estresse acumulado poderá lhe trazer problemas no futuro.

Um profissional que exerce diversas atividades em seu dia-a-dia pode ter qualidade de vida?

Tudo depende de como ele administra suas prioridades. O fato de termos diversas atividades não ajuda nem atrapalha, por si só, a qualidade de vida. Quando estive no Tibet, vi um monge que batia em um bumbo. Em seguida, perguntei ao superior dele o porquê de fazer aquilo, e ele respondeu: “Esse monge vai ficar batendo aquele bumbo durante três anos, três meses, três semanas e três dias”. Então, percebi que ele estava feliz fazendo aquilo – aliás, deve estar batendo o bumbo e entoando aqueles mesmos mantras, naquela mesma posição até hoje, pois ainda não faz três anos que estive lá. Será que, para você, ficar três anos realizando uma mesma tarefa todo o tempo seria algo agradável?

Qualidade de vida para um professor, por exemplo, que trabalha em várias escolas diferentes, ganhando um pequeno salário em cada uma delas, pode ser a gratificação pessoal de estar colaborando na formação de crianças e jovens, fazendo diferença na vida de centenas de pessoas. Agora, se ele não gostar de seu ofício e fizer isso somente porque precisa dos empregos, o seu índice de qualidade de vida será negativo. E, mesmo gostando muito do que faz, se for obrigado a trabalhar mais que o normal por questão financeira, sem descanso, tempo de se atualizar e dedicar-se à família ou lazer, também terá sua qualidade de vida prejudicada.

O esgotamento, portanto, prejudica a qualidade de vida. De que forma evitá-lo?

O esgotamento é provocado basicamente por quatro motivos: não gostar do que está fazendo, desorganização pessoal – que provoca acúmulo de serviço e rouba energia –, alimentação inadequada e falta de atividade física.

Para saber mais:

Visite o site: www.gretz.com.br

Conteúdos Relacionados

Dica número 1 de liderança em vendas

Volta e meia recebo perguntas como esta: “Raul, se você pudesse me dar só uma dica sobre como ser um gestor melhor, qual seria?”

Procuro evitar responder questionamentos como este porque eles costumam vir de alguém que está procurando um atalho ou uma pílula mágica, mas a verdade é que sempre existe mais de uma opção para resolver um problema ou desafio – por isso mesmo, buscar uma única ferramenta milagrosa raramente traz os melhores resultados.

Continuar lendo
Rolar para cima