Quanto seu velocímetro está marcando?

Como a velocidade de alguém pode interferir em seu sucesso profissional

Você já parou para pensar em sua velocidade? Já se perguntou se é uma pessoa rápida ou lenta? Apesar de, talvez, nunca ter pensado sobre isso, uma coisa é fato: seu ritmo pode dizer se você vai ou não conseguir alcançar o sucesso em uma determinada carreira. Afinal, assim como cada pessoa tem sua velocidade biológica, cada carreira também tem a sua.

 

Na prática

Durante a faculdade de administração, Camila* sempre foi uma jovem “elétrica”. Era ela quem corria para agilizar os trabalhos, quem agitava as festas e a líder da turma, que organizou a formatura. No último ano do curso, encontrou o “emprego dos sonhos” – em uma multinacional que tinha fama de formar grandes líderes.

 

O primeiro mês de Camila na nova empresa foi um tédio para ela. Suas responsabilidades se resumiam em preencher relatórios e participar de reuniões que não decidiam nada. Em pouco tempo, ela saiu de lá, começou a trabalhar em uma empresa bem menor (mas onde o ritmo de trabalho era bem mais parecido com o seu) e encontrou a felicidade profissional.

 

Já com Leonardo* o problema foi justamente o contrário. Ele era muito lento e entrou em uma empresa em que a palavra de ordem era intensidade. Tudo era muito rápido, os prazos eram curtos e o pensamento tinha de ser veloz – quando ele pensou em acelerar, já era tarde demais.

 

Onde mora o problema

Se você já passou por uma situação semelhante a de um de nossos personagens ou está vivenciando neste momento, e não sabe como agir, o primeiro recado é: tenha calma. É importante que tenha consciência de que cada pessoa possui seu próprio ritmo e que você não precisa necessariamente mudar seu comportamento para ser feliz profissionalmente e alcançar o sucesso.

 

Marcos Simões, psicólogo organizacional e consultor em recursos humanos, explica que é dever das empresas identificar a velocidade dos candidatos na hora do recrutamento: “Cabe ao RH determinar que tipo de profissional deve ocupar determinada vaga e enxergar isso no momento da seleção”. No entanto, como nem sempre isso acontece, é importante que você tome as rédeas do processo e demonstre sua insatisfação, pois, para o psicólogo organizacional da Insight Gestão de Pessoas, Thiago Gomes, trabalhar com velocidades diferentes da biológica pode gerar problemas de saúde. “Doenças de pele, queda de cabelo, irritação, doenças psicossomáticas e outros pequenos problemas podem ser originados pelo trabalho fora do ritmo pessoal de cada um”, afirma. Por isso, é muito importante estar atento a essa questão.

 

O que fazer?

A primeira coisa a fazer em um momento como esse é ter certeza de que o problema está mesmo na velocidade que você está desempenhando as funções que lhe são atribuídas. Para isso, comece a reparar no que as pessoas falam sobre o desempenho de suas atividades e questione seu líder sobre o que ele pensa. “As avaliações de desempenho podem ser uma boa maneira de encontrar as respostas que você precisa. Se a avaliação apontar pontos fracos e fortes, entenda os pontos a serem desenvolvidos como uma matéria-prima para essa descoberta. Se seu histórico de ‘pontos a melhorar’ for grande, é bem provável que haja um curto-circuito em sua velocidade e na velocidade que seu trabalho exige”, declara Marcos.

 

Antes de começar a tentar se adaptar ao que é exigido, você precisa ter certeza de que deseja aquilo. Quando souber disso, siga as indicações de Thiago:

  • Se estiver acelerado demais, reveja seus processos de trabalho, delegue, compartilhe mais, aprenda, alongue os prazos que der e automatize todos os processos possíveis usando a tecnologia a seu serviço.
  • Caso esteja muito lento, pense no quanto isso impacta seu desenvolvimento, desempenho e crescimento profissional e crie mecanismos para sair da zona de conforto.

 

Agora, é com você. Não deixe que a situação se agrave para rever sua velocidade e tentar se adaptar às exigências de seu ambiente corporativo. Aproveite as dicas de Thiago, repense constantemente sobre sua velocidade e seja feliz em seu trabalho.

 

Motiva Plus:

Gostou do assunto e quer saber mais? Então, acesse a seção Motiva Plus do site www.motivaonline.com.br e confira a entrevista de Marcos Simões na íntegra.

 

*Os personagens Camila e Leonardo são fictícios e foram criados para ilustrar a explicação.

 

Para saber mais:

Visite os sites: www.insightgestao.com.br e www.rhfacil.net

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima