Reinvente-se!

Entenda porque a capacidade de se reinventar é necessária para todos os profissionais

Sem perspectivas de crescimento profissional, insatisfação financeira e nenhuma motivação para desempenhar o trabalho. Você já sentiu ou está vivendo alguma dessas descrições? Pode ser que tudo esteja teoricamente bem, mas há uma sensação de que falta alguma coisa.
Se o cenário lhe parece familiar, é a necessidade de se reinventar batendo à sua porta. Assim como você, muitas pessoas sentem em algum ou em diversos momentos da vida que precisam mudar algo para melhorar sua realidade. Foi o que aconteceu com Hugo Muniz de Albuquerque, administrador de empresas. “Trabalhava em um atacado de balas e estava desmotivado, pois ele não rendia bem financeiramente e não havia espaço para crescimento. Decidi voltar a estudar, então me lancei na mudança rumo à minha qualidade de vida. Agora, estou trabalhando, vou concluir meus estudos e avançar para o futuro”, conta.

Durante essa matéria, você perceberá que é possível e necessário se reinventar de tempos em tempos. Podem ser pequenas ou grandes mudanças, ajustes na direção ou mudança total de rumo. Independentemente de qual seja seu caso, você precisará de coragem, planejamento e muita disciplina.

Por que se reinventar?
Muitas vezes, a necessidade de mudar é clara, como nas situações citadas anteriormente. O próprio exemplo do Hugo mostra isso. No entanto, segundo especialistas, hoje a capacidade de se reinventar é uma habilidade essencial a todos os profissionais. “O mundo muda constantemente e como conseqüência precisamos agir mais rapidamente. Reinventar-se faz parte de um mundo moderno e isso exige que você reavalie constantemente o que faz e para onde quer ir”, explica Matilde Berna, especialista em Gestão e Transição de Carreira da Right Management.
Portanto, o ideal é que as pessoas sempre façam reflexões sobre sua vida para identificar sua satisfação e que não deixem para mudar quando a situação já estiver insustentável. Nesses momentos mais difíceis, as pessoas buscam uma saída para problemas já existentes e, apesar de eles muitas vezes impulsionarem a reinvenção, tornam as coisas mais difíceis em função do desejo desesperado de mudar. Segundo Matilde, para não chegar a esse ponto, o correto é fazer uma análise sobre o que você deseja, onde quer chegar e como chegará.
É a partir dessa reflexão que você vai saber como será sua reinvenção. Você pode apenas reinventar a maneira como desenvolve suas atividades hoje ou mudar de emprego e ainda desejar trocar completamente sua área de atuação.

As mudanças nem sempre chegam com hora marcada – É importante ressaltar que tanto pequenos ajustes como grandes transformações costumam tirar você da sua zona de conforto. É exatamente isso que costuma impedir as pessoas de pensarem em suas vidas. Mas o medo do novo não pode impedir a busca do que se quer realmente, e a melhor maneira de passar por essa barreira é se preparar adequadamente.
A primeira informação importante para essa preparação é saber que não existe o momento adequado, a idade-limite ou a situação ideal. Mudar pode ser possível sempre, desde que você se empenhe para isso. A especialista Matilde cita alguns sinais que apontam a necessidade de se reinventar: “Quando os resultados alcançados já não são os mesmos; se percebemos que o ambiente está mudando; se as pessoas evoluem e nós ainda não nos movimentamos. Saber o que está acontecendo e como esses acontecimentos podem nos afetar direta ou indiretamente é um referencial importante para a mudança”.

O passo-a-passo da reinvenção
Detectada a necessidade de se reinventar, chega a hora do planejamento. Nesse momento, Márcia Dolores Del Resende, psicóloga e diretora do Instituto Saber, diz que é fundamental analisar com cautela os motivos da mudança e o que pretende alcançar com ela. “Defina o que quer obter e em quanto tempo. Determine quais serão as suas ações durante o processo de transição e avalie todas as variáveis possíveis, como sua adaptação, questões financeiras, aspectos familiares e estados emocionais (medo, ansiedade e decepção)”, justifica.
Segundo a psicóloga, avaliar o novo cenário, o que tem de produtivo e quais são os aspectos limitantes ajuda a perceber e aceitar melhor as mudanças. É nessa hora que também se analisa se o que você quer é viável. Para ajudar a descobrir essas condições, converse com as pessoas, troque informações e tente encontrar profissionais que fizeram movimentos semelhantes. Colha informações, mas lembre-se de que cada situação exige um tipo determinado de comportamento, conforme será explicado a seguir.

Fazer as mesmas coisas de forma diferente
Paula* trabalhava há anos num cargo administrativo e sentia que estava bem distante de ser uma pessoa realizada. Ela pediu férias, refletiu bastante e concluiu que gostava do que fazia, mas estava “empurrando com a barriga”. “Decidi continuar no trabalho, mas de forma bem diferente. Passei a amar tudo o que fazia e isso teve conseqüência no tratamento com as pessoas. Hoje, amo muito tudo o que faço, procuro dar tudo de mim, trabalho com prazer e mesmo que não seja exatamente o que eu gostaria, procuro fazer o melhor”, conta.
Ela não precisou sair do emprego ou mudar totalmente o foco de sua carreira, apenas mudou sua postura diante das coisas. Você também pode fazer isso e uma boa dica nesse caso é procurar ampliar seus conhecimentos, fazendo cursos, lendo livros e revistas que o ajudem a desempenhar melhor seu trabalho. O livro Como Administrar sua Carreira, da Série Sucesso Profissional, da Publifolha, indica cinco ações importantes para melhorar sua realização no seu atual emprego:

1. Avalie as principais tarefas e aponte as que são essenciais, opcionais ou habituais.
2. Pare de executar tarefas desnecessárias.
3. Encontre novas maneiras de desempenhar tarefas essenciais e opcionais.
4. Esforce-se para compor uma imagem correta.
5. Crie um perfil positivo.

*Nome fictício para preservar a fonte

Trocar de emprego Nesse caso específico, apenas querer não basta. Matilde não considera trocar de emprego uma mudança drástica, mas avisa que isso exigirá muito empenho e dedicação: “O primeiro passo é entender como está o mercado em que atua. O segundo é pesquisar o quanto você está valendo no mercado – a referência de quanto você vale em sua empresa atual não é, necessariamente, a mesma de quanto você valeria para uma outra organização. Estude isso com carinho”.
A especialista ainda sugere que você avalie se o que estimula a mudança de emprego está relacionado à tarefa que executa, ou ao relacionamento com a chefia, ou ao ambiente da empresa e falta de perspectiva de crescimento. Essa análise é fundamental para ajudar a ter uma decisão mais adequada. O livro Como Administrar sua Carreira sugere que você faça alguns questionamentos antes de tomar essa decisão:

» Sei quanto quero ganhar e quais condições procuro?
» Avaliei todos os benefícios e eventuais desvantagens?
» Quais são as chances de crescimento com essa troca de emprego?
» Tenho dúvidas quanto a minhas chances de adaptação no novo ambiente de trabalho?
» Solucionei todas as dúvidas sobre a oferta?

Nova área de atuação
Essa mudança é considerada mais drástica por Matilde. “A experiência em sua área de origem pode ser considerada um diferencial competitivo, enquanto mudar para uma outra totalmente diferente é como começar do zero”, alerta.
Foi assim com Gustavo Leite da Silva. Ele estava insatisfeito no setor administrativo de um banco, mas há sete anos teve coragem de mudar e passar a trabalhar na área comercial: “Comecei como assistente e fui aprendendo todos os conceitos e princípios de vendas. Voltei a estudar, fiz pós-graduação e um MBA Executivo em Negócios. Depois de sete anos, estou realizado e, hoje, trabalho como coordenador de grandes contas em uma empresa de Telecom”.
Caso você pense em uma mudança como essa, avalie bem para saber se vale a pena, pois será um grande desafio. Se optar mesmo pela mudança, saiba que encontrará dificuldades, como concorrentes com mais experiência, maior conhecimento e melhor rede de contatos que você. Prepare-se bastante e aja com cautela para obter resultados positivos. O livro Como Administrar sua Carreira aconselha que antes de mudar de carreira você deve verificar se suas habilidades estão em dia com as demandas do mercado e tomar as medidas necessárias para se atualizar.

Saldo da reinvenção
Depois de todo o processo de mudança, é interessante fazer uma avaliação dos resultados obtidos com ela. Matilde Berna aconselha que você busque feedbacks das pessoas que estão ao seu redor e observe como se sente no dia-a-dia.
A especialista também recomenda que você dê um certo tempo para cada reinvenção que fizer em sua vida: “Toda mudança precisa de um tempo de acomodação, consolidação e validação. Esse é um processo natural e saudável. Quando se tem mudanças constantes, não há espaço de consolidação, ao contrário, pode gerar estresse, principalmente nas pessoas e no próprio ambiente ao seu redor”. Para evitar que o resultado seja insatisfatório, evite mudanças por impulso ou por motivação que não seja a sua. “Avalie sempre todos os ângulos da decisão e leve em considerações seus valores, princípios e objetivos, o que realmente é importante para você. Fazer uma mudança apenas por uma questão financeira, por exemplo, quando seus valores são outros, pode não ter um bom resultado”, acrescenta.
Márcia Dolores Del Resende, que auxilia profissionais que buscam mudanças, concorda que a reinvenção é um processo fascinante se a pessoa tiver claro o que quer. “Reinventar-se é a busca da realização do ser e isso é possível através de uma boa definição de metas e um excelente planejamento para gerenciar e transformar estados internos limitantes. Garanto que é possível ser feliz com uma reinvenção. A mudança pode ser muito produtiva”, relata.

5 perguntas necessárias antes de mudar

Ao decidir mudar o rumo de sua carreira, é fundamental responder alguns questionamentos. Confira quais são e só mude depois de respondê-los:

1. Estou confiante quanto às possíveis vantagens?
2. Tenho consciência dos custos envolvidos nessa mudança?
3. Ouvi a opinião de todas as pessoas afetadas pela decisão?
4. Avaliei as possíveis desvantagens?
5. As avaliações e expectativas têm base na realidade?

Pessoas que se reinventam e melhoram suas vidas!

Mudança total!
“Resolvi mudar de vida em janeiro deste ano. Com a ajuda de uma nutricionista e uma personal trainer, comecei um processo de reeducação alimentar e atividade física, além disso parei de beber, fumar e comecei a malhar. Perdi mais de dez quilos em dois meses e ganhei uma vida 100% nova. Precisava de um corpo são para ter idéias e disposição para alavancar meus negócios. Antes eu sempre acordava tarde, tinha pouca motivação para o trabalho e só pensava em diversão. Hoje, sou uma pessoa e um profissional renovado. Tenho muita disposição, acordo cedo, tenho planos palpáveis e trabalho efetivamente para a realização dos mesmos”
Luiz Eduardo Cordeiro Corrêa Pinto
Publicitário

Reinventar-se para recomeçar!
“Faltava algo na minha vida e decidi ir morar em Madrid. Procurei uma “amiga” que conseguia passagens com desconto, pois trabalhava na Infraero. Fiz o primeiro depósito na conta dela e, em seguida, veio a facilidade de arrumar apartamento e emprego, totalizando 12 mil reais de gastos. O sonho ganhava forma, mas como amizade não desconfia, não exigi boleto, tíquetes nem contrato. Virou um pesadelo, pois não existia viagem, Infraero, apartamento, emprego, apenas minhas economias todas na conta dela. Foram duas semanas sem motivação e sem rumo, mas precisava reagir e recomeçar. Enviei um currículo e após cinco meses estava com as dívidas pagas e com o tesouro mais valioso: eu! E com uma grande lição: recomeçar é preciso sempre, pois o segredo das pessoas de sucesso é que no momento em que a maioria desiste, elas enfrentam as adversidades e viram o jogo”.
Tathianne Candal
Vendedora

Conteúdos Relacionados

Dica número 1 de liderança em vendas

Volta e meia recebo perguntas como esta: “Raul, se você pudesse me dar só uma dica sobre como ser um gestor melhor, qual seria?”

Procuro evitar responder questionamentos como este porque eles costumam vir de alguém que está procurando um atalho ou uma pílula mágica, mas a verdade é que sempre existe mais de uma opção para resolver um problema ou desafio – por isso mesmo, buscar uma única ferramenta milagrosa raramente traz os melhores resultados.

Continuar lendo
Rolar para cima