Saiba a sua parte

O primeiro passo para o estabelecimento de relacionamentos significativos é compreender quem você é no contexto de seu mundo exterior O primeiro passo para o estabelecimento de relacionamentos significativos é compreender quem você é no contexto de seu mundo exterior ? em outras palavras, saber ?a sua parte?. Essa expressão vem do mundo da música. Saber qual a parte que lhe toca é, no fundo, saber seu lugar no mundo a qualquer ponto no tempo e no espaço. E, se você não tem uma noção clara de qual é a parte que lhe cabe em cada situação, não existe maneira de você saber fazer direito as coisas. Veja este exemplo musical, para ilustrar a definição.

Eu tinha acabado de voltar de uma viagem de trabalho e parei num restaurante italiano perto de casa para jantar. Havia uma moça ao piano. O único problema era que ela não parecia muito boa nisso. Estava vestida com grande requinte, num longo de veludo negro e certamente o visual correspondia ao esperado. Mas estava tocando uma canção de Stevie Wonder que não parecia conhecer muito bem.

Como achei que seria capaz de ajudá-la, perguntei ao garçom se ela poderia vir até a minha mesa no intervalo. Quando ela chegou, me apresentei e perguntei se ela estudava música. ?Ora, estudo sim?, ela disse. ?Como você sabe?? Bom, eu sabia que era aluna porque estava claro que não era profissional, mas não era o que eu pretendia dizer-lhe. Em vez disso, perguntei qual escola ela freqüentava e acabou acontecendo de eu conhecer seu professor de piano.

Como eu estava fazendo perguntas e levando-a a falar sobre si mesma em vez de atormentá-la com sermões, estabelecemos uma ligação que lhe permitiu se descontrair e sentir-se confortável na minha presença. ?Essa é a sua primeira apresentação?, perguntei sabendo muito bem qual seria a resposta. Quando ela disse que era, perguntei quanto tempo ela achava que devia tocar cada noite. Claro que o esperado era quatro horas, durante o período em que serviam o jantar, mas o problema, como percebi, era que aquela moça só conhecia músicas para duas horas de repertório e agora estava tentando ocupar o tempo que restava com canções que não dominava ainda. Ficou aliviada e grata quando eu lhe disse que realmente ela só tinha de conhecer canções suficientes para tocar durante uma hora e meia, porque provavelmente esse seria o tempo mais longo que qualquer cliente ficaria no restaurante jantando.

Depois, perguntei ? novamente porque sabia que podia oferecer um bom conselho ? se ela estava estudando canto como formação principal (Esta não era uma resposta difícil de decifrar já que evidentemente piano não era). Quando ela confirmou minha óbvia suspeita, sugeri que cantasse enquanto tocava. ?Eles não querem. Não me deram microfone?, lamentou-se. ?Mas você não toca melhor quando canta? Cante mesmo que só para você mesma, mesmo que mais ninguém ouça?, comentei.

Aliviada e agradecida pelo conselho, ela voltou ao piano. Passei o resto do jantar ouvindo uma deliciosa música de fundo, executada por uma jovem instrumentista muito mais feliz, que tinha achado sua autoconfiança e a sua música, mudando o contexto em que pensava a sua apresentação. Antes da nossa conversa, essa jovem encantadora não sabia realmente qual era a sua parte. Não havia entendido de verdade que sua parte não era ser o centro das atenções mas, ao contrário, fornecer o fundo para a situação.

Alguma vez um amigo telefonou para você para se queixar de algo que estivesse acontecendo em sua vida? Muito freqüentemente, quando isso acontece, queremos ajudar o amigo resolvendo o problema dele. Mas se não entendemos bem a nossa parte, podemos talvez deixar nosso amigo ainda pior, e, no longo prazo, a raiva ou a preocupação dele podem acabar se voltando contra nós. Lembre-se: nossa parte, definida pelo amigo, seria ouvir com simpatia, e não solucionar a história dele. Se não tivermos isso claro, não aparecerá a solução, por mais que a apresentemos de modo persuasivo e, por isso, o amigo terminará na mesma, quando não pior.

Frase: ?O mais importante dentre todos os ingredientes na fórmula do sucesso consiste em saber como manter boas relações com as pessoas? ? Theodore Roosevelt

Para Saber Mais: Extraído do livro Seja Feliz ? Sem querer controlar tudo. Como encontrar a felicidade em um mundo que você não pode controlar, de Joe Caruso (Editora Alegro). Visite: www.campus.com.br.

Conteúdos Relacionados

Dica número 1 de liderança em vendas

Volta e meia recebo perguntas como esta: “Raul, se você pudesse me dar só uma dica sobre como ser um gestor melhor, qual seria?”

Procuro evitar responder questionamentos como este porque eles costumam vir de alguém que está procurando um atalho ou uma pílula mágica, mas a verdade é que sempre existe mais de uma opção para resolver um problema ou desafio – por isso mesmo, buscar uma única ferramenta milagrosa raramente traz os melhores resultados.

Continuar lendo
Rolar para cima