Ser você, ser vendedor

Todos nós temos vários papéis na vida: filha ou filho, irmã ou irmão, pai, chefe, empregado, líder, vendedor, amigo. Também temos vários personagens. Todos nós temos vários papéis na vida: filha ou filho, irmã ou irmão, pai, chefe, empregado, líder, vendedor, amigo. Também temos vários personagens. Às vezes, no mesmo dia podemos ser um herói no trabalho e uma pessoa medíocre em casa ou vice-versa.

Mas e se, além de todos esses papéis e personagens, existisse um papel mais essencial? O verdadeiro eu. E se você estivesse tão à vontade com esse papel que ficasse completamente confortável consigo?

Só você pode responder esta pergunta: como é ser você? Como é poder dizer: sou vendedor? Como podemos ?fingir? quem nós somos, com honestidade e integridade?

As emoções e o aprendizado

Nós sabemos que podemos mudar os nossos corpos com treino, a imaginação com criatividade, as emoções com experiência e a mente com aprendizado. Todas essas coisas nos ajudam a moldar um novo eu. Mas que eu estamos moldando? É um eu falso ou um eu autêntico? Dizemos que queremos nos conhecer, mas quando chega a hora de darmos atenção ao processo de autoconhecimento e confrontar nossos hábitos, muitas vezes, acabamos desistindo.

Porém, se não fosse possível mudar, eu não estaria falando sobre isso. Crescimento interior e mudança, sem dúvida, são possíveis. Muitos fizeram isso, e não é necessário uma conta bancária gorda, um treinamento longo ou equipamento especial. Requer algo muito mais valioso: determinação e disciplina. Com esses ingredientes, você poderá desenvolver os pilares que sustentam a caminhada ao sucesso. São quatro:

1. Aceitação

2. Cooperação

3. Entendimento

4. Entusiasmo

Cada um pode ser aplicado em qualquer situação, para fazer de você um guerreiro disciplinado. No mundo das vendas, no qual fazer o outro aceitar limites e condições parece ser um indicativo de vitória, a aceitação deve ser interpretada como cessão. Ceder é uma arte. É só você pensar nos casamentos que comemoram bodas de prata e de ouro, qual você acha que foi o ingrediente-chave?

Competição e cooperação

À medida que os negócios se afunilam e os competidores se concentram, é natural a pressão aumentar e a busca pela excelência ser uma obsessão. Porém, quando falamos de cooperação, falamos da singular vantagem de saber trabalhar em equipe, na qual o espírito da competição é sadio e a cooperação é o que impera.

O pilar do entendimento é mestre, pois a maior virtude das principais decisões que diariamente circulam no mundo dos negócios é o equilíbrio. E isso só advém da maturidade do entendimento, principalmente do outro. E o literal poder do entusiasmo, que dinamiza ações e supera toda e qualquer expectativa na transposição de obstáculos. Quem tem entusiasmo, vai mais longe e melhor. Como você pode ver, só depende de você. Descubra-se, vale a pena!

Conteúdos Relacionados

Dica número 1 de liderança em vendas

Volta e meia recebo perguntas como esta: “Raul, se você pudesse me dar só uma dica sobre como ser um gestor melhor, qual seria?”

Procuro evitar responder questionamentos como este porque eles costumam vir de alguém que está procurando um atalho ou uma pílula mágica, mas a verdade é que sempre existe mais de uma opção para resolver um problema ou desafio – por isso mesmo, buscar uma única ferramenta milagrosa raramente traz os melhores resultados.

Continuar lendo
Rolar para cima